Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
New Fiesta global começa a ser produzido no Brasil, na velha São Bernardo do Campo

Lançamentos | 25/03/2013 | 20h35

New Fiesta global começa a ser produzido no Brasil, na velha São Bernardo do Campo

Ford investiu R$ 800 milhões para fazer o hatch aqui, que nasce com 75% de nacionalização

CAMILA FRANCO, AB

A fábrica da Ford de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, que produz com os seus 4,2 mil empregados o compacto Ka e a picape Courier, dois modelos que em breve deverão receber grandes modificações - o Ka já tem nova geração em desenvolvimento a ser fabricada na Ford de Camaçari (BA) e vendida a partir de 2015 -, subiu de status: foi promovida a planta com produto global, o New Fiesta.

Na segunda-feira, 25, Steve Armstrong, presidente, e Rogelio Golfarb, vice-presidente da Ford América do Sul, acompanhados do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, do prefeito local, Luiz Marinho, e do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Rafael Marques, apresentaram o primeiro New Fiesta global a sair da linha de produção na antiga unidade, cuja operação começou nos anos 1960. O novo compacto feito no Brasil abastecerá a partir do fim de abril o mercado interno e a América do Sul.

“O carro compacto mais vendido no mundo, fabricado em três continentes, começa agora a ser produzido no Brasil, em São Bernardo do Campo, onde nasceu a indústria automobilística brasileira", ressaltou Armstrong.

A comemoração simbólica na fábrica faz parte de uma série de eventos para o lançamento do New Fiesta brasileiro. Como parte da programação, a Ford promoveu no domingo, 24, no centro na cidade, uma festa com show da cantora Claudia Leitte para um público de mais de 50 mil pessoas (boa parte funcionários e seus familiares).

Segundo Golfarb, o New Fiesta entra em produção com 75% de componentes nacionalizados (não são feitos aqui o câmbio automatizado Powershift e sistemas eletrônicos), mas o carro não tem nenhuma relação de componentes comuns com o Ka ou a Courier. Ganhou o design global da marca, com mudanças estéticas significativas no capô e no conteúdo em relação ao Fiesta que era importado do México desde 2010. “A vinda do New Fiesta coloca a fábrica de São Bernardo do Campo no contexto mundial do grupo, de ter toda sua linha com carros globais até 2015”, declara Golfarb.

A unidade do ABC, inaugurada há 45 anos, foi escolhida para receber a mais nova geração do Fiesta, de acordo com o vice-presidente, por sua experiência e tradição. “Com a chegada do Rodoanel, a logística da região será muito facilitada. Além disso, fizemos um balanceamento da nossa capacidade, deixando os demais novos modelos para as nossas outras unidades.”

New-Fiesta/

FÁBRICA GLOBAL

Para produzir um carro moderno, a velha fábrica de São Bernardo do Campo teve de se modernizar. Foram aplicados R$ 800 milhões para instalar os processos de manufatura do novo veículo global - o aporte faz parte do programa de investimento de R$ 4,5 bilhões da Ford no Brasil.

Foi instalada uma nova linha de prensas, capaz de realizar cinco estágios de prensagem de forma totalmente automática. A área de carroceria foi ampliada e tem agora 310 máquinas automatizadas. As linhas de fechamento da carroceria ganharam flexibilidade para a produção de partes como portas, capô e tampa do porta-malas. O controle da geometria é feito por sensores a laser.

Na pintura, foi adicionada uma nova linha de aplicação de fosfato, a primeira camada de proteção da carroceria, por imersão total, além de um novo sistema automático de aplicação por robôs de selante, a camada de vedação. Foi adotada uma nova tecnologia de pintura com alto teor de sólidos, que garante maior proteção e brilho.

A montagem final, por sua vez, teve adequações gerais na linha para facilitar a passagem de mais um modelo, e foi incrementada como novas apertadeiras eletrônicas e um novo sistema de transportadores aéreos. Também foram instaladas novas células para a inserção automática de vidros e manipuladores para a montagem de radiador, painel, portas e bancos. O controle de qualidade foi reforçado com um sistema à prova de erro, que informa imediatamente se alguma etapa for realizada fora do padrão. Um sistema de avaliação automática checa os componentes elétricos e eletrônicos em 100% dos veículos produzidos.

A capacidade atual da unidade é de 100 mil automóveis por mês com um turno de montagem final. A nova geração do New Fiesta Hatch brasileiro começa a ser produzida regularmente nos próximos dias. A Ford ainda não revela o volume específico do novo modelo. Os motores Sigma 1.5 e 1.6, com bloco e cabeçote em alumínio que equipam o New Fiesta, vêm da planta de Taubaté, no interior de São Paulo, que recebeu investimentos de R$ 500 milhões nos últimos anos.

fabricaFord/

NEW FIESTA GLOBAL

Embora a Ford tenha feito mistério para revelar informações sobre a gama New Fiesta, que tem lançamento previsto para 20 de abril, já se sabe que o novo compacto terá duas motorizações: os propulsores flex Sigma TiVCT 1.5 e 1.6, com comando de válvula variável. Segundo a Ford, o motor Sigma tem classificação A nos testes de economia e eficiência energética do Inmetro, programa brasileiro que normatiza o rendimento dos veículos produzidos no País.

Serão duas opções de câmbio: manual e automatizada sequencial PowerShift de seis velocidades e dupla embreagem, a mesma que equipa o novo Ecosport, o primeiro carro global da marca fabricado em Camaçari (BA). E três versões de acabamento: S, SE e Titanium. Um dos diferenciais será o mais avançado sistema de conectividade da marca, o SYNC, que permite conexão com telefone celular e seleção de músicas usando comandos de voz em português.

O New Fiesta global vem equipado com seis airbags, controle de tração, assistente de partida em rampa e obteve quatro estrelas no teste de impacto do programa Latin NCAP (leia aqui).

Como concorrentes, a Ford aponta o recém-lançado Peugeot 208, Citroën C3, Fiat Punto e as versões mais caras de Hyundai HB20 e Chevrolet Onix. Se de fato se encaixar nesse nicho de compacto "premium", a versão mais barata do carro da Ford deverá partir de R$ 40 mil e a mais cara deve beirar R$ 55 mil. O preço oficial só será divulgado em abril.

NEW FIESTA SEDÃ E FIESTA ROCAM

Apenas a versão hatch do New Fiesta será feita no Brasil por enquanto. O sedã, que ainda não entrou para a gama global, para de ser importado do México, pelo menos enquanto não é renovado. Já o velho Fiesta Rocam, modelo mais vendido da Ford no Brasil, continua sendo fabricado na Bahia tanto na versão hatch como na sedã.

Assista à entrevista exclusiva de Rogelio Golfarb, vice-presidente da Ford, à ABTV:



Tags: Ford, New Fiesta, São Bernardo do Campo, Rogelio Golfarb.

Comentários

  • Ricardo Mello

    Lamentavelmente ainda não anunciaram a fabricação do modelo sedã do new fiesta aqui no Brasil, pois gosto mais do sedã, tomara que comece logo a fabricar, pois nao queria mudar e comprar o hb20 sedã que já tem lançamento marcado para 20 de abril. Por favor ford ,fabrique logo o sedã aqui o Brasil.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência