Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 02/05/2013 | 15h17

BMW: faturamento cai 4,1% no primeiro trimestre

Grupo argumenta aumento das despesas com novas tecnologias e recursos humanos

REDAÇÃO AB

O Grupo BMW reportou queda de 4,1% no faturamento obtido no primeiro trimestre na comparação com igual período do ano passado, para € 17,5 milhões, devido ao aumento das despesas com novas tecnologias, custos com recursos humanos, além das difíceis condições de mercado em todo o mundo, informa a montadora em comunicado divulgado na quinta-feira, 2. O lucro antes de juros e impostos (Ebit) totalizou € 2,03 milhões, o segundo melhor resultado para um primeiro trimestre, embora signifique recuo de 4,5% sobre os três primeiros meses de 2012.

Entre janeiro e março deste ano o lucro líquido do grupo ficou em € 1,31 milhão, retração de 3% sobre iguais meses de 2012. As receitas do primeiro trimestre para o segmento automotivo totalizaram € 15,9 milhões, 1,6% abaixo do resultado de igual período do ano passado. As vendas globais das marcas do grupo - BMW, Mini e Rolls-Royce - cresceram 5,3% no período, para 448,2 mil unidades.

“Apesar da atual fraqueza dos mercados de automóveis na Europa, o Grupo BMW teve um bom começo de ano. Alcançamos um novo recorde de volume de vendas para um primeiro trimestre e, apesar de elevadas despesas em novas tecnologias e condições de mercado desafiadoras em todo o mundo, conseguimos manter receitas e lucros em níveis elevados”, comentou o presidente do conselho de administração da BMW AG, Norbert Reithofer, na quinta-feira em Munique (Alemanha) durante a divulgação do balanço financeiro.

Como resultado das altas despesas com novas tecnologias, o EBIT do segmento automotivo totalizou € 1,58 milhão, portanto, 15,9% inferior ao resultado correspondente do primeiro trimestre de 2012. A margem EBIT no período para o segmento foi de 9,9% e o lucro antes de impostos ficou 16,8% abaixo do registrado há um ano, para € 1,51 milhão.

O segmento de motocicleta anotou receita de € 436 milhões nos três primeiros meses do ano, 2,7% abaixo do resultado de um ano antes, no entanto, o lucro antes de juros e impostos (Ebit) saltou 37,8% no período, para € 51 milhões.

Os negócios na divisão de serviços financeiros tiveram bom desempenho durante os três primeiros meses do ano, com receitas e ganhos em níveis recordes: a receita do segmento subiu 0,6% para € 4,83 milhões e o lucro antes dos impostos foi de € 449 milhões, alta de 3,5% sobre 2012.

VENDAS

A marca BMW estabeleceu um novo recorde de volume de vendas para um primeiro trimestre, ajudando assim a manter a sua posição de liderança no segmento premium em todo o mundo, com crescimento de 7%, para 381,4 mil unidades contra as 356,5 mil entregues nos três primeiros meses de 2012. Os destaques foram os modelos BMW X1, Série 3, Série 5 e Série 7, os mais vendidos do período.

Já a Mini entregou 66,1 mil veículos entre janeiro e março, 3% abaixo do volume de 68,2 mil vendidos no primeiro trimestre do ano passado, enquanto as vendas dos modelos de luxo Rolls-Royce totalizaram 642 unidades nos três meses, alta de 16,6% na mesma base de comparação.

As vendas do segmento de duas rodas somaram 24,7 mil unidades em três meses, crescimento de 1,5% sobre o intervalo janeiro-março de 2012.



Tags: BMW, Mini, Rolls-Royce, faturamento, receita, lucro, balanço financeiro.

Comentários

  • Ricardo Battaglia

    Pessoal, tudo indica que existe uma confusão entre queda de lucratividade e queda de faturamento. Toda a justificativa do primeiro paragrafo se refere a queda de lucratividade e não faturamento. O topico de vendas indica recorde do volume de vendas, o que indica provável expansão de faturamento..

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência