Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Duas Rodas | 06/05/2013 | 15h54

Kawasaki vai bem em três segmentos de motocicletas

Fabricante tem a esportiva mais vendida e se destaca entre os modelos maxitrail e naked

MÁRIO CURCIO, AB

Embora não produza modelos urbanos, tenha uma rede de apenas 52 revendas e ocupe o sétimo lugar entre as fabricantes de motocicletas no Brasil, a Kawasaki marca presença entre os dez modelos mais vendidos de três segmentos importantes.

“A matriz nos considera um sucesso por oferecer produtos de nicho. O consumidor reconhece o valor da marca e aceita pagar por isso”, afirma o gerente da Kawasaki Motores, Ricardo Suzuki. “Esse é o motivo de termos lançado alguns modelos com apenas três meses de diferença em relação ao exterior, como a Ninja 300 e a Z800”, explica o executivo sobre as evoluções dos modelos Ninja 250 e Z750. “Em vez de esperar esgotar os modelos antigos, preferimos começar a praticar descontos para eles já desde a metade de 2012.”

A Ninja 300 é a moto esportiva mais vendida. Substitui a versão 250, cujo estoque na rede ainda lhe garante a quarta posição no segmento. Em décimo lugar está a Ninja 650. Outro segmento em que a Kawasaki se destaca é o das motos com estilo naked, sem carenagem (a palavra significa nu em inglês).

Das dez mais vendidas, quatro têm a marca Kawasaki: Z750 (quarta colocada), ER-6n (sexta), Z800 (sétima) e Z1000 (oitava). A Z750 é outra que saiu de linha (dando lugar à Z800), mas figura entre as mais vendidas por causa do estoque da rede.

No segmento maxitrail, em que estão as motos apropriadas a longas distâncias em qualquer tipo de terreno, a Kawasaki ocupa o oitavo e o décimo lugares como os modelos Versys 650 e Versys 1000. A fabricante também tem uma representante (a Concours 1400) entre as tourers, específicas para viajar com conforto, mas esta ocupa a sétima posição de um ranking de apenas sete modelos, em que a Harley-Davidson detém os quatro primeiros lugares.

Desde a década passada, a Kawasaki é representada no Brasil pela própria fabricante japonesa, que vem nacionalizando seus produtos em uma unidade inaugurada em outubro de 2009. De janeiro a abril, a Kawasaki teve 3.310 unidades emplacadas. Em 2012, a escassez de crédito que afetou o segmento também provocou retração (de 16%) para a Kawasaki, que, assim como as grandes fabricantes, tem utilizado o próprio consórcio para vender suas motocicletas.



Tags: Kawasaki, Ricardo Suzuki, Ninja, Z750, Z800, ER-6n, Versys, Concours.

Comentários

  • Paulo Pedroso

    Esse fato é porque a Kawasaki está muito melhor em todos os quesitos que as outras marcas existentes no mercado e principlamente pelo Design, sabe-se que para a Moto esse quesito é o 2º fundamental, pois qualidade é notória, comprei uma Z1000, pq se vende paradinha, tive Hornet, não dá para comparar, Kawa bem melhor.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência