Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 08/05/2013 | 19h49

Renault tem como meta crescer acima do mercado

Arrancada na produção e novos produtos garantirá resultado, aponta VP comercial, Gustavo Schmidt

SUELI REIS, AB

Embora tenha registrado queda de 7,2% em suas vendas no acumulado entre janeiro e abril na comparação com iguais meses do ano passado, com a entrega de 63,8 mil veículos entre automóveis e comerciais leves, a Renault mantém seu objetivo para o ano, no qual planeja crescer com índice acima do mercado, cujas projeções apontam para alta entre 3,5% e 4,5% sobre 2012, segundo a Anfavea (leia aqui).

O vice-presidente comercial da marca no Brasil, Gustavo Schmidt, sem revelar o índice, fundamenta a meta a partir da retomada do ritmo de produção do Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR), responsável pela produção dos automóveis e comerciais leves da marca.

“No primeiro trimestre, devido à paralisação da fábrica de automóveis para a reforma geral da unidade, a rede sofreu com o desabastecimento de produtos, o que já era esperado. Agora em abril, retomamos o ritmo com o qual encerramos as operações no ano passado, antes da paralisação. Com esta arrancada e com o aumento da cadência de produção ao longo do ano, teremos mais produtos para atender a demanda e alcançar crescimento acima do mercado, como tem sido nos últimos três anos.”

Em 2012, a empresa registrou crescimento de 24%, enquanto o mercado geral de veículos e comerciais leves figurou na casa dos 6%. Em 2011, o mesmo movimento: Renault cresceu 21% enquanto o mercado marcou 3% de alta, e em 2010, os índices foram de 36% contra 10% de avanço. Schmidt, citando seu presidente, Olivier Murguet, afirma que o maior desafio para a marca será fazer de 2013 um ano de doze meses em dez. Otimista, o executivo embasa a estratégia nos modelos Sandero e Clio, este último elencado por ele como “a alavanca para continuar a crescer no País”.

No caso do Sandero, o modelo da marca que mais sofreu com o desabastecimento entre janeiro e março, em abril voltou a figurar no ranking dos dez modelos mais vendidos no mês, segundo Schmidt, com 8,9 mil unidades emplacadas e 3,3% de participação no mercado de compactos leves: em fevereiro, seu pior mês de vendas do ano, o volume não ultrapassou as 4,5 mil unidades e 2,4% de fatia desse mercado.

Ele revela que em termos de produto a Renault prepara duas séries especiais que serão apresentadas nos próximos meses, além das versões 2014 do Fluence, que chega em maio, e do Duster, ainda sem data de lançamento. Além disso, para sustentar sua retomada, a montadora planeja aumentar em 0,4 ponto porcentual sua abrangência de território, para 86% este ano e abrir mais quarenta novas concessionárias até dezembro, somando 275 casas contra as 235 contabilizadas no fim de 2012.



Tags: Renault, vendas, mercado, Gustavo Schmidt, Sandero, Clio, Duster, Complexo Ayrton Senna, São José dos Pinhais.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência