Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Abeiva: vendas de veículos importados avançam em abril

Mercado | 08/05/2013 | 23h10

Abeiva: vendas de veículos importados avançam em abril

Cotas do Inovar-Auto puxaram a aceleração

GIOVANNA RIATO, AB

A Abeiva, associação dos importadores de veículos sem fábrica no Brasil, registrou crescimento de 36% nas vendas de seus associados abril na comparação com o fraco resultado de março, para mais de 11 mil unidades. A alta acontece depois de sucessivas retrações. Ainda assim, o volume é 6,9% menor do que registrado no mesmo mês de 2012. Os dados foram divulgados pela entidade na quarta-feira, 8.

Flavio Padovan, presidente da organização, aponta que o Inovar-Auto foi um dos fatores importantes para que as vendas do setor voltassem a apresentar resultados positivos. Habilitadas ao novo regime automotivo, as empresas obtêm cotas para importar veículos sem o adicional de 30 pontos no IPI. “Com isso, conseguimos reduzir os preços”, explica. O executivo aponta que houve um aumento da demanda no início do ano que os importadores não conseguiram atender de imediato por falta de produtos.”Tivemos um bom mês, mas ainda longe do que poderíamos alcançar.”

Entre janeiro e abril as vendas das empresas associadas à Abeiva somaram 35,3 mil unidades, com redução de 25,5% sobre os volumes anotados nessa mesma época do ano passado. Padovan lembra que, no início de 2012, as vendas permaneceram aquecidas porque a rede de concessionárias das marcas ainda tinha veículos que importados antes da imposição do IPI majorado.

A queda no primeiro quadrimestre aconteceu mesmo em contexto de expansão do mercado. As vendas totais no período, considerando carros nacionais e importados, cresceram 8,2% para 1,16 milhões de unidades, entre veículos leves e pesados. Desse volume, 80,% eram produzidos no Brasil e 16,5% importado pelas montadoras filiadas à Anfavea, que trouxeram do exterior 182,6 mil carros no período. Os importadores da Abeiva responderam por apenas 3,2% das vendas no acumulado do ano.

Houve diminuição de 45,6% nas importações do México feitas pelas fabricantes instaladas no Brasil. “Isso é efeito das cotas definidas na renegociação do acordo automotivo com o país”, explica Padovan. Já as vendas de veículos produzidos na Argentina avançaram 9% no primeiro quadrimestre apesar da instabilidade das relações comerciais entre o Brasil e a nação vizinha.

PROJEÇÕES

Depois do ano de perdas em 2012, quando os importadores de veículos fecharam 10 mil vagas de empregos em suas estruturas administrativas e rede de concessionárias, a Abeiva acredita que o setor passa por leve recuperação. A entidade manteve a projeção de que as vendas alcancem 150 mil unidades em 2013. Padovan admite, no entanto, a possibilidade de revisar a expectativa para baixo no fim do semestre se os números não caminharem para este resultado.

Assista à entrevista exclusiva com Flavio Padovan, presidente da Abeiva:



Tags: Abeiva, importadores, veículos, importados, Flavio Padovan.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência