Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 10/05/2013 | 16h51

Nissan: receita cresce 2,3% no ano fiscal 2012-2013

Marca contabiliza ganhos de US$ 116,6 bilhões nos doze meses encerrados em março

REDAÇÃO AB

A Nissan encerrou o ano fiscal 2012-2013 com aumento de 2,3% na receita líquida consolidada entre abril do ano passado e março deste ano, para US$ 116,6 bilhões, enquanto o lucro operacional recuou 4,1%, para US$ 6,31 bilhões, e o lucro líquido com ligeiro avanço de 0,2%, para US$ 4,13 bilhões. Vendas mais fracas na China devido ao boicote dos consumidores contra uma disputa territorial com o Japão e a competição mais acirrada nos Estados Unidos foram compensadas pela desvalorização do iene, informou o CEO da Nissan, Carlos Ghosn, durante a apresentação do balanço financeiro na sexta-feira, 10, no Japão.

“O ano fiscal de 2012 foi marcado por sucessos e desafios para a Nissan. Encerramos o ano com um balanço marcado por recorde de vendas globais e uma presença expandida nos mercados em crescimento. Igualmente importante, temos tomado medidas preventivas que nos permitam navegar pelos ventos contrários que temos pela frente e retomar um crescimento significativo”, declarou Ghosn.

As vendas globais da marca fecharam o ano fiscal em 4,53 milhões de unidades, volume 1,7% acima do registrado no ano fiscal anterior. Os Estados Unidos figuraram como o maior mercado da Nissan no período, com pouco mais de 1,1 milhão de veículos entregues nos doze meses terminados em março de 2013, o que representou crescimento de 3% sobre o ano fiscal anterior. Na China, com 694,9 mil unidades vendidas, houve recuo de 8,6% nas vendas. No caso do mercado chinês, a Nissan contabiliza os emplacamentos entre janeiro e dezembro de 2012.

Na Europa, a marca japonesa entregou 689,5 mil veículos, queda de 9,5%, enquanto que em outros mercados (Ásia, exceto China e Taiwan, Oceania, África, América Latina e Oriente Médio), as vendas somaram 664,8 mil veículos, avanço de 12% na mesma base de comparação.

“A Nissan continuou a superar a média do mercado em muitos desses mercados, com o nosso crescimento global de vendas quase acima do dobro da indústria local como um todo. Por exemplo, na Tailândia, as vendas aumentaram 80,4%, para 138 mil unidades; no Brasil, subiram 18,4%, para 96 mil unidades e no Oriente Médio, as vendas cresceram 20,8%, para 184,7 mil unidades”, reforçou Ghosn em seu discurso.

PROJEÇÕES

O executivo disse que para o ano fiscal vigente, que começou em abril de 2013 e vai até março de 2014, a Nissan espera alcançar um novo recorde de vendas de 5,3 milhões de veículos, o que significaria crescimento de 7,8% sobre o ano fiscal anterior. “Isso daria à Nissan uma participação de 6,5% do mercado global”, informou.

As projeções da empresa para o ano fiscal atual apontam ainda para aumento de 7% no lucro líquido, para US$ 4,42 bilhões, alta de 1,7% no lucro operacional, para US$ 6,42 bilhões e queda de 6,4% na receita líquida, para o equivalente a US$ 109,1 bilhões. Para suas previsões, a empresa considerou câmbio de 95 ienes por dólar.



Tags: Nissan, Carlos Ghosn, balanço financeiro, lucro líquido, receita.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência