Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Inovar-Auto trará negócios e melhora tecnológica
Queiroz (Bridgestone), Toyama (Continental), Lozano (Brasmetal) e Ibusuki (Mercedes-Benz)

Eventos | 03/06/2013 | 21h43

Inovar-Auto trará negócios e melhora tecnológica

Em simpósio da SAE, representantes da indústria indicaram caminhos para a evolução do setor

MÁRIO CURCIO, AB

Na segunda-feira, 3, ocorreu o Simpósio SAE Brasil de Novos Materiais e Nanotecnologia. Durante o debate que encerrou o evento, “Novas matérias-primas e o impacto do Inovar-Auto: oportunidades e desafios”, representantes da indústria opinaram sobre a futura aplicação de novas tecnologias em razão da entrada em vigor do Inovar-Auto.

“Trabalhamos com aço de alta resistência e vai haver volume para a produção local, afirma o diretor comercial da Brasmetal, Antônio Lozano. “O Inovar-Auto traz a perspectiva de mais negócios e de melhorar o grau tecnológico daquilo que produzimos aqui.”

Lozano queixou-se de que o setor de aço laminado é um dos que mais sofrem com a vinda de produtos importados, acha positiva a contribuição do programa para o aumento do conteúdo local e gostaria de “números mais claros” sobre o tamanho do crescimento que ocorrerá nos próximos anos.

Sobre as oportunidades e mudanças que se desenham com o programa de incentivo à nacionalização, o diretor comercial da Continental, Wilson Toyama, afirmou: “O grande trabalho hoje é como aumentar a margem sem onerar os preços finais; é conseguir com o fornecedor fundos para fazer investimentos.”

Sobre a corrida para alcançar as metas de conteúdo local, o gerente sênior de compras da Mercedes-Benz, Ugo Ibusuki, recordou: “O desafio ficará para os entrantes, especialmente os asiáticos, o que provocará corrida por itens locais.

INOVAÇÕES REAIS OU ADAPTAÇÕES DO QUE JÁ EXISTE

Durante o debate, o moderador Paulo Alves trouxe da plateia a questão: “O que o Inovar-Auto pode trazer se as matrizes das montadoras já têm produtos prontos?

O gerente comercial da Bridgestone, Rodrigo de Queiroz, disse: “A companhia tem polos de desenvolvimento de polímeros fora do País (...) Podemos investir em fornecedores locais de borracha natural.” Segundo Queiroz, apesar de os pneus contarem como itens 100% locais, quase toda a borracha de sua composição é importada.

Sobre os desenvolvimentos locais, Ugo Ibusuki, da Mercedes-Benz, recordou o trabalho feito pela companhia em tecnologia e desenvolvimento para ônibus e motores. Lozano, da Brasmetal, disse: “A tendência é utilizar as tecnologias já existentes no exterior com tropicalização.”



Tags: Simpósio, SAE, Novos Materiais, Nanotecnologia, Antônio Lozano, Brasmetal, Continental, Wilson Toyama, Mercedes-Benz, Ugo Ibusuki, Bridgestone, Rodrigo de Queiroz.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência