Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 16/07/2013 | 20h30

Freudenberg prepara expansão no Brasil

Grupo inaugura centro corporativo para apoiar estratégia de crescimento regional

PEDRO KUTNEY, AB

Após período de expressivo crescimento no Brasil, o Grupo Freudenberg espera manter expansão em torno de 8% ao ano no País – como aconteceu em 2012, quando o faturamento de R$ 619 milhões representou elevação de 8,6% sobre 2011. O objetivo é avançar mais 50% até 2020, para aumentar dos atuais 5% para 8% a participação na receita mundial da companhia (€ 6,3 bilhões em 2012). O setor automotivo, que hoje responde por 40% das vendas no mercado brasileiro, representa o principal foco de ampliação de plantas industriais e novas oportunidades de fornecimento, tanto para montadoras como para o aftermarket.

“Esperamos que vamos continuar a crescer acima da média do mercado não só por causa da expansão da produção de veículos e da frota nacional, mas também porque estamos conseguindo vencer concorrências importantes para fornecimento de novos produtos às montadoras”, diz Alexandre Bicalho, coordenador do recém-inaugurado Freudenberg Regional Coorporate Center South America (FRCC SA), localizado em Alphaville (Barueri, SP) – o terceiro do mundo da companhia, criado após os centros regionais na China e Índia.

“O objetivo do centro é dar apoio às diversas unidades de negócios do grupo nas regiões onde se espera maior crescimento dos negócios”, explica Bicalho, que acumula a posição de chefe financeiro (CFO) da Freudenberg-NOK no Brasil, divisão que produz em Diadema (SP) peças de vedação e controle de vibrações para diversos tipos de aplicação em veículos, como motores, transmissões e eixos.

Segundo o executivo, para atender ao crescimento planejado todas as divisões do grupo investem em expansão de plantas e modernização, incluindo a abertura de novas fábricas no horizonte até 2020. Os investimentos somaram R$ 35 milhões em 2012 e devem chegar a R$ 40 milhões este ano. “Com o aumento da demanda teremos de ampliar operações e abrir novos sites. Também estamos automatizando mais nossas linhas de produção, para ganhar competitividade”, afirma Bicalho. Ele destaca, por exemplo, a compra de misturadores para a unidade da Freudenberg-NOK, para produzir aqui elastômeros (elementos flexíveis) que eram importados.

OPORTUNIDADES

O novo centro regional concentra atividades dos departamentos jurídico, financeiro, de recursos humanos, comunicação corporativa e tributos. “Todas as divisões continuam a atuar de forma independente, a ideia não é centralizar a administração. O nosso papel é dar apoio à estratégia de crescimento do grupo”, destaca Bicalho. Entre essas funções estratégicas, conforme explica o executivo, está levantar as possibilidades de novos negócios trazidos pela política industrial do setor automotivo, o Inovar-Auto, ou mesmo negociar a localização de novas fábricas.

Bicalho diz que o Inovar-Auto traz novas oportunidades para a Freudenberg no País, mas a empresa ainda avalia de que forma poderá atender às demandas dos clientes criadas pelas exigências da política industrial. Ele cita o exemplo de um novo selo de borracha que reduz o atrito no motor e traz economia de combustível, uma das exigências do regime automotivo. “Já fornecemos esse produto globalmente e estudamos a possibilidades, entre tantas outras, de fornecer aqui também.”

Uma das vantagens da presença global da Freudenberg é a participação em projetos mundiais dos fabricantes de veículos, que acabarão sendo desenvolvidos no Brasil também. “Claro que esse fator ajuda a ganharmos participação em todos os países onde estamos presentes. Atualmente o mercado brasileiro está associado a essa globalização”, diz o executivo.

Das quatro divisões do grupo alemão, só a unidade de utensílios de limpeza doméstica não está presente no Brasil. Todas as outras três têm operações locais e, em maior ou menor grau, fornecem autopeças e insumos para sistemistas, montadoras e mercado de reposição com a marca Corteco (braço de aftermarket da Fraudenberg-NOK). Aqui a empresa fornece selos, componentes de controle de vibração, filtros, não-tecidos (revestimentos e telas), agentes desmoldantes e lubrificantes para quase todos os fabricantes de carros. Cinco fábricas no Estado de São Paulo atualmente atendem a cerca de 70% da demanda nacional de componentes da Freudenberg destinados ao setor automotivo: a Freudenberg-NOK em Diadema, a Não-Tecidos e a Filtration em Jacareí, além de duas plantas da joint venture TrelleborgVibracoustic (controle de vibração, como coxins de motor), uma em Taubaté e outra em Guarulhos.



Tags: Freudenberg, autopeças, indústria, investimento, fábrica, expansão, Inovar-Auto.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência