Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Combustíveis | 01/08/2013 | 18h30

Grupo criará entidade para liberar carro diesel no Brasil

Associação será patrocinada por empresas do setor

PEDRO KUTNEY, AB

Até o fim deste mês será anunciada a criação formal de uma associação com o objetivo de articular esforços para a liberação das vendas dos carros diesel no Brasil. A entidade já conta com o patrocínio de cerca de uma dezena de empresas do setor, a maioria fornecedora de componentes e sistemas para motores diesel. A proibição é única no mundo e já vigora no País há 37 anos. A ideia é informar sobre os benefícios do combustível, que tem rendimento energético maior do que a gasolina ou etanol, para convencer governo e sociedade de que não é mais necessário proibir sua utilização na frota de veículos leves.

A legislação atual só permite o uso de diesel para caminhões e ônibus, além de veículos leves com capacidade de carga superior a uma tonelada ou com tração 4x4 reduzida – onde se enquadram utilitários esportivos e picapes médias em geral. Em 1976, quando a norma foi baixada pelo governo, o temor era a falta de diesel no País, porque todas as refinarias foram projetadas para produzir mais gasolina. Na época, nem existiam tantos carros a diesel para justificar a proibição, mas havia a preocupação de que um possível aumento dessa frota poderia provocar um colapso. O Brasil estava altamente endividado no exterior, com problemas para aumentar importações do combustível que não podia produzir aqui, ao mesmo tempo em que dependia – e continua dependendo – do diesel para todo o transporte interno de carga.

Décadas depois, os defensores da liberação ponderam que não há mais motivos para a proibição – nem mesmo o argumento do possível aumento da poluição atmosférica causada pelo combustível de má qualidade produzido no País, com alta concentração de poluentes. O Brasil em breve terá refinarias capazes de produzir diesel com baixo teor de enxofre, o S10, usado em modernos motores Euro 5, já introduzidos no mercado nacional em 2012. A tecnologia evoluiu e hoje carros pequenos a diesel poluem menos do que similares a gasolina, são cerca de 30% mais eficientes e, por consequência, têm baixo consumo e baixa emissão de gás de efeito estufa, o CO2. Na Europa, dependendo do modelo, automóveis rodam de 25 a até 100 quilômetros com um único litro de diesel.

Alguns membros da futura entidade pró-diesel avaliam que já é hora de liberar o carro a diesel no Brasil e deixar o mercado se autorregular. O argumento é que a regra iguala um tipo de veículo a entorpecentes ou jogos de azar, com o agravante de que automóveis diesel não estão disponíveis nem de forma ilegal – e portanto não há nada mais proibido do que isso no País.

BARREIRAS

Na Anfavea, o presidente da associação dos fabricantes de veículos, Luiz Moan, diz que a entidade está aberta para estudar e eventualmente apoiar a liberação, mas avalia que é difícil convencer o governo neste momento. Ele pondera que, mesmo com as duas novas refinarias que vão destilar o S10, a produção ainda não seria suficiente para dar conta de todo o consumo interno, assim o País terá de continuar a importar o combustível. Caso essa frota cresça, teria de aumentar as importações ainda mais, elevando o déficit das contas externas. Também existe subsídio ao preço do diesel, difícil de ser justificado para uso em carros de passeio.

É verdade que o País importa muito diesel – é a segunda maior pauta de importação no momento, que consumiu US$ 4,5 bilhões só no primeiro semestre de 2013, atrás apenas do próprio petróleo. Mas, contra essa barreira, alguns membros da futura organização não governamental oferecem outra maneira de fazer a conta: também se traz muita gasolina de fora (US$ 1,8 bilhão no mesmo período) e, caso houvesse aumento da frota diesel, na prática seriam reduzidos os gastos gerais com as importações de combustíveis, pois os carros diesel são mais econômicos. Ao mesmo tempo, quando as novas refinarias entrarem em operação, vão deixar as antigas livres para produzir mais gasolina, diminuindo a necessidade de importar o combustível.

Também não se espera nenhuma explosão de consumo de carros a diesel caso a venda seja liberada. Como eles são, em média, 20% mais caros do que similares com motorização ciclo otto, estima-se que o crescimento seja bastante lento – começando, por exemplo, com taxistas que gostariam de uma opção de veículo mais econômico. Portanto, a necessidade de aumentar as importações do combustível seria apenas marginal nos primeiros anos.

Outro fator positivo a considerar é que o aumento da frota diesel também eleva o incentivo à produção e consumo de biodiesel ou diesel de cana, com emissões de CO2 reduzidas pela reabsorção das próprias plantações, como já acontece com o etanol.



Tags: Diesel, carro, entidade, associação, legislação.

Comentários

  • Jorge Pimentel de Morais

    Prezados, Para os estudiosos em mobilidade, o quê está por trás da proibição da utilização do diesel para veículos leves É A MATRIZ DO TRANSPORTE DE CARGAS E PASSAGEIROS BRASILEIRA, cuja associação de classe é a segunda mais poderosa do Brasil (perde ó para os banqueiros, tendo já ameaçado várias vezes de "parar o Brasil"). A CNT - Confederação Nacional do Transporte sabe que esta distorção impõe uma demanda pelo diesel que contraria a MATRIZ DE OBTENÇÃO DO DIESEL, cujo processo de obtenção gera uma quantidade de gasolina INCOMPATÍVEL COM A DEMANDA, QUE NÃO É CONSUMIDA, SENDO EXPORTADA POR PREÇOS ABAIXO DO MERCADO. Esse quadro é tão grave que seria o caso de uma CPI, tal o mal que vem causando ao desenvolvimento brasileiro.

  • Mônica

    Eu acho que mais uma maneira de aumentar o veículo, preferido mudar de estado e usufruir de uma menor carga de tributos e ter melhor qualidade de vida. Pois neste pais só se falam mais um imposto. Todo produto de 1º qualidade é vendido ao esterior a preço de banana a porcariada que sobra é comercializada no pais, triplica-se o valor + taxas e repassa-se para o povo brasileiro. Carro à diesel no pais é mais uma piada de econômia................

  • Fausto Bandeira

    O uso e a comercialização de veículos leves movidos a diesel foram proibidos através da Portaria nº 346, de 19 de novembro de 1976, do antigo Ministério da Indústria e Comércio - MIC, que posteriormente foi substituída pela Portaria nº 16, de 29 de julho de 1993, do extinto Departamento Nacional de Combustível - DNC, do Ministério de Minas e Energia - MME. Essa portaria foi substituída pela Portaria DNC nº 23, de 6 de junho de 1994, que continua válida até hoje. Ora, a Constituição Federal, em seu art. 5º, inciso II, estabelece que "ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei". Portanto, não existindo lei que estabeleça a proibição da comercialização de veículos de passeio e veículos de carga de pequeno porte, de produção nacional ou estrangeira, movidos a diesel, no Brasil, é forçoso concluir que a Portaria DNC nº 23, de 6 de junho de 1994, que estabeleceu tal proibição é inválida, ilegal, inconstitucional.

  • Paulo Nunes

    Creio que devamos ser produtores de Diesel e ter uma matriz completa de combustíveis. Penso que o movimento a ser feito na direção da adequada utilização de motorizações Diesel, equilibradas e com geração menos impactante ao meio ambiente acabara forcando a produção nacional de diesel, tornando-nos independentes e completos. Seguramente este movimento gerara investimentos com benefícios importantes para a economia nacional.

  • Mauro Dobbins

    O governo não está liberando carros elétricos para consumir petróleo do pré-sal, pois o preço da gasolina é absurdamente caro. Duvido que libere os carros a diesel , pois haveria um reajuste monstro no preço do combustível.

  • Carlos

    Sim, estou de acordo com a matéria, passou da hora do governo liberar o diesel para automóveis de passeio. É um absurdo o governo continuar a proibir o seu uso. Seria bom se o governo ouvissem mais seus eleitores. E sugiro também que se fizesse um abaixo assinado, para se conseguir do governo a liberação! Estou dentro!!!

  • gelson rovani

    Realmente eu acho que esta na hora de ser liberado o carro diesel no brasil ,ou primeiramente mais de imediato picapes leves,taxis,viaturas,e outros destinados ao trabalho,pelo fato da economia que estes geram,pela menor emissão de poluentes,pela mair geração de empregos que esta industria irá gerar com a diversificação do mercado automobilistico.

  • Claudio

    Tenho 3 carros. Um Palio 2012 , um Corsa 2010 e uma Saveiro Diesel 1988. Adivinha com qual carro ando a maior parte do tempo ? Acertou é a Saveiro diesel. É só economia, não pago IPVA e a autonomia de combustível na cidade é de 15,5 km/l e de 21,5 km/l na estrada.Faço a inspeção veícular desde 2008 e nunca fui reprovado Preciso falar mais alguma coisa ? Se liberar a venda, com certeza vou ser um dos primeiros a comprar.Abraços.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência