NOTÍCIAS
19/08/2013 | 19h44

Lançamentos

Iveco ingressa no segmento premium com extrapesado Hi-Way

Modelo fabricado em Sete Lagoas chega este mês a partir de R$ 320 mil


SUELI REIS, AB | De Santiago (Chile)

Foi em um cenário a pouco mais de 530 metros de altura acima do nível do mar, no clima frio e montanhoso da capital chilena Santiago que a Iveco escolheu para apresentar à imprensa brasileira especializada seu novo caminhão extrapesado Hi-Way, que marca a estreia da montadora no segmento de extrapesados top de linha. Disponível a partir deste mês nas 110 concessionárias da rede, o modelo eleito o Caminhão do Ano 2013 no último Salão de Hannover (Alemanha) é lançado no Brasil quase que simultaneamente com a Europa e representa a nova fase da marca no mercado brasileiro. Foi com essa alusão de escalada – e com a Cordilheira dos Andes como pano de fundo – que o presidente da Iveco e da Fiat Industrial para a América do Sul, Marco Mazzu, definiu a importância do novo produto em seu portfólio nacional.

“O Hi-Way abre novos horizontes para a Iveco, na disputa por novas fatias de mercado, agora no segmento de extrapesados premium”, declarou Mazzu.

O executivo destacou o novo caminhão dentro da estratégia da empresa de alavancar suas vendas no mercado brasileiro a partir da renovação de portfólio, projeto viabilizado com o ciclo de investimento de R$ 570 milhões aplicados entre 2007 e 2011, que incluiu a atualização dos produtos com a linha Ecoline, lançada no fim de 2011 para atender as novas normas de emissões Proconve P7.

“Tudo isso faz parte do nosso projeto de ser uma empresa full line, ou seja, atender com excelência todos os segmentos, para isso a Iveco investiu o equivalente a R$ 2,5 bilhões em todo o mundo.”

O Hi-Way que começa a ser produzido na fábrica da montadora em Sete Lagoas (MG) difere pouco do modelo oferecido nos países europeus. O processo de adaptações do veículo para o mercado brasileiro, conhecido como tropicalização, demandou investimento equivalente a R$ 100 milhões e foi dirigido pela equipe de engenheiros do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (CPD) localizado no mesmo complexo industrial, o primeiro da marca fora da Europa. Já no lançamento mundial, a Iveco investiu pouco mais de R$ 1 bilhão. Para ingressar no País, o Iveco Hi-Way somou 2,1 milhões de quilômetros de testes realizados com 34 veículos em estradas brasileiras, em parceria com grandes frotistas, revela o diretor de marketing para América Latina, Christian Gonzalez.

“O modelo chega para elevar o patamar do veículo rodoviário brasileiro. O segmento extrapesado é a nata do mercado de caminhões e o mais profissional, no qual estão inseridas grandes transportadoras. Com ele, ganharemos espaço no segmento topo de gama, onde ainda não tínhamos atuação.”



MERCADO EXTRAPESADO

Segundo as projeções da Iveco, o mercado nacional de caminhões extrapesados deve marcar novo recorde de vendas em 2013, para algo como 48 mil unidades, contra o recorde anterior, de 2011, quando foram vendidas 46 mil unidades. Para 2014, a previsão é de 50 mil caminhões extrapesados. Segundo o diretor comercial, Alcides Cavalcanti, o crescimento de setores fundamentais para a economia no primeiro semestre, como o agronegócio (16%), combustíveis (7,4%) e construção civil serão os responsáveis por tamanha demanda.

“Com o Hi-Way, a meta é elevar em pelo menos dois pontos porcentuais nossa participação neste segmento de 8% para 10% em 2013, com a venda de 900 unidades entre agosto e dezembro, o que já será um excelente ano. Já em 2014, prevemos aumentar ainda mais nossa participação, para 15%, com a venda de 5 mil caminhões neste segmento, sendo 50% Stralis Ecoline e 50% Hi-Way.”

Cavalcanti destaca que vários motivos sustentam o otimismo da Iveco com o Hi-Way, como uma extensa lista de itens de série, além dos opcionais, garantia estendida exclusiva de quatro anos – um para o veículo completo e mais três para o trem de força. O executivo informa que o modelo terá um programa exclusivo de pós-venda, além da apresentação e exposição do veículo em ações e eventos de associações e sindicatos ligados ao transporte de carga.

“Disponível nas versões 4x2, 6x2 e 6x4, o Hi-Way chega por um preço altamente competitivo, que parte de R$ 320 mil até R$ 395 mil.”

Todas as três versões são equipadas com o motor FPT Cursor 13, dotado do sistema SCR (que utiliza Arla 32). São três versões de potência, com 440 cv, 480 cv e a estreante de 560 cv, desenvolvida exclusivamente para o modelo, com cabeçote de alumínio (e não em liga de ferro fundido), que reduz o peso e por consequência diminui consumo e emissões, informa o diretor de desenvolvimento de produto, Marcelo Mota. O câmbio é automatizado Eurotronic ZF, de 16 velocidades. “O novo motor Euro 5 concede redução de até 10% do consumo de combustível com relação ao Euro 3”, completa Mota.

Outras contribuições melhoram o desempenho do caminhão, revela a gerente de marketing, Cristiane Nunes: “O layout foi projetado para reduzir a resistência do ar, utilizando o conjunto grade central, defletores e para-choques: o projeto conseguiu obter uma redução de 3% de melhoria no arrasto aerodinâmico, resultado em menor ruído na cabine e economia adicional de 0,6% no consumo de combustível”.

Na extensa lista de itens de série, destacam-se o conjunto de acessórios de conforto da cabine, equipada com climatizador de baixo ruído posicionado no teto, que mesmo com o motor desligado, mantém o ar refrigerado e umedecido, que pode ser acionado via controle remoto. Para aumentar a comodidade, o condutor pode acionar o aparelho por controle remoto; ar-condicionado digital com controle automático de temperatura e direcionamento do ar por teclas para o motorista e o ocupante; porta-objetos, geladeira e box térmico localizados entre o banco do condutor e do passageiro, com a possibilidade de serem acomodados sob a cama, o que não compromete com o espaço interno da cabine. Pontos de iluminação e luzes de LED para leitura – incluindo na cama – além de luz automática de segurança. No painel, rádio com CD, leitor de MP3, entrada USB e função RDS, tomadas elétricas de 12 volts e tomada de ar comprimido.

O computador de bordo traz informações sobre a condução do veículo, como níveis de pressão dos circuitos de freio, média de consumo de combustível, tempo de funcionamento do motor e indicador do nível de Arla 32, entre outras. Integrado ao computador de bordo está o Econômetro, instrumento que auxilia no gerenciamento da frota e que aponta parâmetros precisos para obter uma direção mais eficiente, indicando consumo de combustível e o nível de pressão do turbo.

No quesito segurança, o Iveco Hi-Way traz ajuste automático de freios, freios ABS e sensor do nível de desgaste da lona freio, além do opcional auxiliar Intarder, que, combinado ao freio motor, chega em quase 1 mil cv de potência de frenagem. O modelo conta ainda com piloto automático, limitador de velocidade e dois retrovisores auxiliares (frontal e lateral), além de sistema elétrico para basculamento.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 18/10/2017
Medidas simples e novos estudos ajudam na redução de emissões de CO2

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement
AUTOINFORME | 19/10/2017
Hyundai produz em Ulsan 1,5 milhão de carros por ano
DE CARRO POR AÍ | 13/10/2017
Com Jumpy, marca avança em novo território
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
INOVAÇÃO | 15/08/2017
Indústria automotiva precisa abrir os olhos para novas formas de trabalhar
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes