Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Negócios | 26/08/2013 | 23h58

Volvo: nova marca terá investimento adicional

Produção local de caminhões Mack, UD ou Renault terá aporte além dos US$ 500 milhões já anunciados pelo grupo

GIOVANNA RIATO, AB | De Trancoso (BA)

O projeto do Grupo Volvo de trazer uma nova marca de caminhões para o mercado nacional demandará investimento adicional da companhia na região. O pacote de US$ 500 milhões anunciado pela organização para os próximos anos não inclui a chegada da nova família de veículos, que, se confirmada, terá produção local.

Como parte do investimento de meio bilhão de dólares está o lançamento de novos produtos, como a nova linha VM, que consumiu em torno de R$ 150 milhões, e a nacionalização da última geração do FH, que certamente virá para o País, mas ainda não tem data para o lançamento. Integra o pacote ainda a modernização da planta da companhia no Paraná.

Roger Alm, presidente da empresa para a região, evita falar sobre a chegada de nova marca do grupo no Brasil e nega, inclusive, que o lançamento está confirmado. Apesar disso, executivos da companhia já admitiram a intenção de produzir e vender no País caminhões das marcas Mack, UD ou Renault, todas pertencentes ao grupo. O intuito fica ainda mais claro após o lançamento da nova linha VM, que enfatiza o posicionamento da Volvo no segmento de caminhões pesados, acima de 16 toneladas, deixando espaço para a chegada de outra família de produtos, que teria espaço livre para concorrer entre modelos mais leves.

O presidente da Volvo, aponta que o projeto ainda está em estudo, sem nenhuma decisão tomada. Para ele, caso a vinda da nova marca seja aprovada, a produção não será feita necessariamente em planta adicional dentro do complexo industrial paranaense, que tem 1,5 milhão de metros quadrados. “Há muitas cidades que têm boas condições para a instalação de uma fábrica. Erguer a planta onde já produzimos talvez não seja a melhor opção. Tudo precisa ser avaliado”, explica.

ESTRATÉGIA

Enquanto a decisão não é tomada, o grupo foca em garantir o melhor rendimento a partir do portfólio atual de produtos, que inclui apenas a marca Volvo. Para que isso aconteça, Bernardo Fedalto, diretor comercial de caminhões para o Brasil, trabalha na ampliação da rede de concessionárias no País. Segundo ele, houve expansão de 20% entre 2008 e 2013, para 90 casas. “Esse crescimento pode parecer pouco expressivo, mas é importante enfatizar que ampliamos em 91% o número de boxes para manutenção, para 1.900”, enfatiza.

Para encarar a concorrência cada vez mais acirrada no segmento de pesados, que agora conta com Iveco Hi-Way e Ford Cargo extrapesado, a companhia seguirá trabalhando na capacidade de atendimento da rede. Segundo Fedalto, a intenção é chegar perto de dobrar a quantidade de concessionárias e de boxes nos próximos 10 anos.

A companhia também trabalha para alinhar a gama de veículos com os anseios dos clientes. “Tentamos sempre identificar no nosso produto o que podemos agregar de benefício para o cliente. Ainda assim, sabemos que não seremos competitivos em qualquer situação”, avalia, explicando que, para certas aplicações, pode haver necessidade de um caminhão mais simples.



Tags: Volvo, negócios, investimento, nova marca.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência