Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Engenharia | 29/08/2013 | 17h23

Fiat e UFMG desenvolverão motor exclusivo para etanol

Parceria terá duração de 18 meses e prevê investimento de R$ 3,6 milhões

REDAÇÃO AB

A Fiat e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) assinaram um acordo de cooperação técnico-científica que prevê investimentos de R$ 3,6 milhões na área de engenharia de motores. A parceria, que terá duração prevista de 18 meses, prorrogável por mais 12 meses, tem como objetivo a realização conjunta de pesquisa e simulação computacional unidimensional e tridimensional de motor exclusivamente movido a etanol.

Estudos sobre o desempenho do propulsor serão obtidos por meio de simulação de fluxo de ar frio, do spray, da mistura e da combustão, além da transferência de calor. As envolvidas no projeto esperam com a pesquisa prever com precisão o comportamento nos âmbitos da combustão e da mistura de ar com o combustível, e dessa forma, melhorar a eficiência do motor.

“Com essa parceria, a Fiat, a UFMG e Minas Gerais saem vitoriosos. Traremos a capacidade de estudar motores de combustão interna em profundidade, com equipamentos e expertise que só essa união poderia proporcionar. O uso do etanol, substância menos poluente do que outros componentes, é oportuno e viável porque os consumidores estão cada vez mais exigentes quanto às questões do consumo e da preservação dos recursos naturais”, disse Paolo Ferrero, diretor de engenharia powertrain da Fiat Chrysler para a América Latina, durante a assinatura do acordo, na quarta-feira, 28.

O diretor da Coordenadoria de Transferência e Inovação Tecnológica (CTIT) da UFMG, Pedro Vidigal, também comemorou: “A parceria com a Fiat representa um excelente exemplo de como a academia e o setor produtivo podem trabalhar na criação de novos produtos e processos. Alinhando objetivos e expectativas, é possível colocar duas instituições, que apresentam interesses distintos, atuando de forma sinérgica e cooperativa. Parcerias como essa são fundamentais para o desenvolvimento tecnológico e, certamente, apresentam impacto significativo no contexto econômico local, regional e também nacional”.

DO LABORATÓRIO AO MERCADO

O projeto, que será coordenado pelo professor Ramon Molina, do Departamento de Engenharia Mecânica da Escola de Engenharia da UFMG, é intitulado Simulação computacional tridimensional do motor conceito a etanol, envolvendo caracterização do escoamento de ar, spray e da combustão. Molina adverte que se trata de um longo processo, que pode levar por volta de 10 anos entre a concepção e a chegada ao mercado.

“Depois de modelado computacionalmente, o motor precisa ser construído. Daí sai o protótipo de pesquisa, que começa a ser testado experimentalmente, e só depois de conferir se o resultado é o proposto, ele passa a ser um protótipo para construção de produto final”, relata.

As etapas envolvem calibração e ajustes de todos os componentes e aprovação na legislação de emissões. Dentro do acordo, a UFMG receberá prêmios com base em porcentuais dos ganhos obtidos com a comercialização da tecnologia.

O professor informa ainda que é a primeira vez que se firma um convênio nesses moldes entre uma montadora de automóveis e uma universidade. “Existem vários grupos que realizam trabalhos acadêmicos em indústrias automotivas, mas a iniciativa, por seu caráter de transformação drástica no consumo, é pioneira”, assinala.



Tags: Fiat, UFMG, parceria, engenharia, motores, etanol.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência