Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Renault vende seus primeiros carros elétricos no Brasil
Gama 100% elétrica da Renault: Twizy, Zoe, Fluence e Kangoo desembarcam no Brasil

Powertrain | 29/08/2013 | 23h35

Renault vende seus primeiros carros elétricos no Brasil

Seis unidades dos modelos Zoe, Kangoo e Fluence foram adquiridos pela CPFL Energia

CAMILA FRANCO, AB | De Porto Alegre (RS)

A Renault realizou a sua primeira venda de veículos 100% elétricos no Brasil. Por causa de seu portfólio importado diversificado, formado por quatro modelos de segmentos diferentes: o quadriciclo Twizy, o hatch compacto Zoe, o sedã Fluence e o utilitário Kangoo, a fabricante francesa conseguiu fechar negócio com a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL Energia), grupo privado do setor elétrico que gere, distribui e comercializa energia para mais de 7 milhões de clientes nos Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Um Zoe e um Kangoo acabaram de ser adquiridos pela empresa, mais quatro unidades (duas do utilitário, uma do sedã e outra do hatch) serão compradas ainda este ano.

Vinicius Teixeira, gerente de inovação da CPFL, conta que a companhia procurava há mais de um ano uma montadora parceira para avaliar soluções inovadoras de mobilidade elétrica e estudar os seus impactos junto do setor de energia.

“A Renault é a empresa mais habilitada a participar deste projeto porque oferecerá transporte tanto para nossos executivos, com Zoe e Fluence, quanto de nossos operadores, com o Kangoo. Para a CPFL esta oportunidade é interessante pois nos possibilita ganhar um consumidor móvel. Haverá aumento do consumo e de investimentos em geração de energia. Vamos desenvolver novos negócios com a instalação e manutenção de pontos de carregamento”, comenta Teixeira.

Apenas neste ano a CPFL investiu R$ 6,5 milhões para adquirir os seis carros 100% elétricos da Renault, que deverão ser incorporados à sua frota comercial em Campinas (SP), onde mantém sede, e também para desenvolver estudos preliminares e instalar alguns pontos de abastecimento. O programa prevê cem pontos deles nos próximos anos, que vão desde recargas simples realizadas entre quatro e oito horas até às mais rápidas, em 30 minutos.

A companhia não teve nenhum incentivo tributário durante a importação dos modelos. Teixeira conta que conseguiu negociar desconto com a Renault por causa da quantidade adquirida, mas ainda assim por um preço bem mais alto do que o praticado com os mesmos modelos na Europa. “Queremos em breve ampliar a nossa frota com veículos 100% elétricos da marca. Quem sabe até lá o governo já não incentive este tipo de ação em prol do País?”

Segundo Antonio Calcagnotto, diretor de relações institucionais e governamentais da Renault-Nissan, o Zoe é vendido na Europa por cerca de € 21 mil, sem a bateria de íon lítio, que é oferecida por leasing. No Brasil, com tributação e custos de logística, o preço do mesmo carro salta para R$ 215 mil. “Sem o IPI, o Zoe poderia ser vendido no País por R$ 90 mil”, aponta o diretor.

O quadriciclo Twizy, o único modelo que não foi adquirido pela CPFL por transportar apenas duas pessoas, é comercializado na Europa por € 7,8 mil sem a bateria. Com impostos e custos logísticos, chega ao Brasil por R$ 60 mil. Sem a tributação o valor cairia para R$ 30 mil, segundo Calcagnotto.

Todos os custos operacionais dos veículos elétricos ficarão a cargo da própria CPFL, que espera gastar no máximo R$ 7 para rodar até 200 quilômetros. Caberá à concessionária Renault Valec, de Campinas, receber os carros para eventuais manutenções.

A companhia de energia espera dividir estes e gastos de pesquisas com empresas da região que toparem firmar parcerias para usar os carros em regime de comodato. “Pretendemos no ano que vem comprar mais veículos da Renault e emprestá-los para parceiros. Empresas de logística já demonstraram interesse”, revela Teixeira.

Olivier Murget, presidente da Renault do Brasil, que anunciou o negócio com a CPFL Energia durante o Seminário de Eficiência Energética promovido pela montadora na quinta-feira, 29, diz que esta só é a primeira venda da Renault, um começo que pode impulsionar o uso de veículos elétricos no País. Mas o executivo ressalta que este tipo de propulsão só tende a se popularizar depois de uma reforma que diminua a sua carga tributária. “Temos sentido muito apetite dos consumidores por carros elétricos. Apostamos, inclusive, em modelos com preços mais acessíveis, mas ainda não há previsão de vendas no varejo.”

eletricosRenault/
Renault pretende ampliar a sua gama de elétricos. Nos últimos anos, investiu com a Nissan € 4 bilhões para desenvolver este tipo de propulsão.

GAMA COMPLETA

A Renault aproveitou o Seminário de Eficiência Energética para comunicar a primeira venda de modelos com zero emissão no Brasil e também para apresentar a gama completa a jornalistas de todo País.

Duas unidades do quadriciclo Twizy foram importadas para demonstração. O carrinho de dois lugares, já desenvolvido para ser 100% elétrico, tem motor elétrico dianteiro com potência máxima de 17 cavalos. É automático, com uma marcha à frente e uma à ré. Acelera de 0 a 100 km/h em 6,1 segundos e atinge até 45km/h. A sua bateria de íon lítio tem autonomia para 100 km em ciclo urbano.

O hatchback compacto Zoe, também desenvolvido para grandes cidades, transporta cinco pessoas e tem autonomia superior a 210 quilômetros. Seu motor elétrico atinge 88 cavalos e vai de 0 a 100 km/h em 13,5 segundos.

O sedã Fluence Zero Emissão prova que um veículo elétrico não precisa ser pequeno e com autonomia limitada. Seu motor conta com 95 cavalos. Acelera de 0 a 100 km/h em 13,7 segundos, atinge 135 km/h e tem autonomia de 185 km.

Já o Kangoo é o primeiro furgão a ter propulsão 100% elétrica do mercado. É equipado com motor de 60 cavalos. Vai de 0 a 100 km/h em 20,3 segundos, alcanca 130 km/h e autonomia de 170 km.

O presidente Olivier Murget garante que novos modelos elétricos serão lançados tanto pela Renault quanto pela parceira Nissan. Segundo o executivo, a aliança Renault-Nissan lidera o segmento de veículos elétricos no mundo, com 70% deste mercado, tendo investido nos últimos anos € 4 bilhões para o desenvolvimento da tecnologia. As duas marcas juntas já acumulam vendas de 100 mil unidades dos carros elétricos em todo o mundo, incluindo o Nissan Leaf, que é o mais vendido.

E O MOTOR A COMBUSTÃO?

O seminário também trouxe a tona o futuro dos motores a combustão. A Renault deixou claro que continuará a apostar nestes modelos, mesmo a longo prazo. O diretor Calcagnotto, que também é vice-presidente da Anfavea, associação dos fabricantes de veículos, ressalta: “No Brasil, por conta do Inovar-Auto, a palavra de ordem agora é eficiência energética. Está em discussão as alternativas que vão tornar os nossos carros menos poluentes, como Start-Stop e o downsizing, que devem ser definidas pelas montadoras até o fim deste ano para atender antes de 2017 as exigências do novo regime. Tudo isso indica que o motor a combustão nunca vai deixar de existir. Pesquisa de 2009 do The Boston Consultant Group mostra, inclusive, que em 2050 ele vai corresponder a 60% dos motores vendidos no mundo. Tanto lá fora quanto aqui dentro, mais cedo ou tarde, será preciso aprender a desenvolver um mix de sistemas de energia, em que o carro flex conviva perfeitamente com o elétrico e outras tecnologias de propulsão.”

A Renault, que se inscreveu em 2010 no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, do Inmetro, conta atualmente com seis veículos com nota A, a melhor classificação: Clio, Logan, Sandero, Duster, Kangoo e Fluence.

A sua expertise no desenvolvimento de motores vem do campeonato de Fórmula 1, no qual coleciona 11 títulos mundiais como fornecedora do componente. Na competição, as normas de emissões também estão ficando mais acirradas. A Renault preparou motor V6 1.6 para o ano que vem com injeção direta e mais dois motores elétricos auxiliares. Ele substituirá o bloco V8 2.4, possibilitando uma redução em torno de 35% do consumo de combustível.

“A busca pela eficiência energética está no DNA da Renault, e faz parte da historia da companhia, da sua tradição, desenvolver motores eficientes. Ao mesmo tempo em que empreendemos esforços para tornar nossos motores mais eficientes e econômicos, estamos na vanguarda também em veículos zero emissão. Nosso objetivo é levar esses desenvolvimentos para uma única direção”, salienta Murget.



Tags: Renault, elétrico, eficiência energética, CPFL, Olivier Murget, Zoe, Fluence, Kangoo, Twizy.

Comentários

  • gildo

    o Governo esta mais preocupado com o ganho da Petrobrás do que com os impacto Ambiental com os elétricos todos sairia ganhando .

  • A.KUNZ MULLER EMREITEIRA

    GOSTEI MUITO DE SABER QUE A RENAUT ESTA TRAZENDO CARROS ELETRICOS PARA O BRASIL GOSTARIA DE TROCAR MEUS CARROS A COMBUSTÃO POR ELETRICO. GOSTARIA DE RECEBER POR EMAIL OS PRECOS E CONDIÇOES PARA AQUISIÇÃO DE TODOS OS ELETRICOS QUE VOCES TEM AVENDA NO BRASIL.

  • GILSON

    GOSTARIA DE SABER C JA TEM ZOE PRA VENDER NO BRASIL E O PREÇO

  • Mario Ivo de Macedo

    O governo brasileiro tem que abrir mão dos impostos, que são os mais, senão um dos mais altos do mundo, para que sejamos lançados ao primeiro mundo. Abrir mão significa, no meu conceito, deixar de olhar para o próprio umbigo, ser mais humano, ser mais social, ser menos egoísta. Dar mais atenção e importância para as causas ambientais, do contrário, nada disso vai valer a pena.

  • Halex Costa

    Eu tenho certeza que os VEÍCULOS ELÉTRICOS, não vendem mais porque ainda não foram lançados no mercado brasileiro. Mas, após serem lançados vão vender mais, e mais, e mais, etc. Eu acredito que antes de 2050, os veículos elétricos vão representar mais de 60% dos veículos vendidos no mercado brasileiro.

  • Marcos

    Gostaria de obter informações a respeito do ZOE, se já foi lançado aqui no Brasil.

  • ClailtonPereira Moraes

    Gostariade saber se o furgão está disponível pra venda aqui no Brasil e se pode ser feito financiamento para empresa? Se possível me mandar mais informações sobre os veículos disponíveis para venda no Brasil.

  • ELIZANDRO

    Comofasso para comprar o zoe?

  • FlavioCosta

    soutaxista gostaria muito de comprar um veiculo elétrico de preferencia o ZOE para lançar como taxi , por favor pessoal me ajudem tenho que trocar meu carro e dou preferencia pelo Renault , Aguardo resposta.

  • fiqueiinteressada no quadriciclo Twizy - qual o preço e como faço para comprar 01

    Fiqueiinteressada no quadriciclo Twizy - qual o preço e como faço para comprar 01 ?

  • ValdirRoberto Balbo

    Háanos que venho investindo em gestão ambiental, reuso de água, aquecimento solar e mais recentemente em energia fotovoltaica. Gostaria muito de adquirir um veículo elétrico, um Zoe ou Nissan Leaf. No entanto os preços não são atraentes.

  • sandralucia de melo emidio

    Gostariade saber onde encontro no Brasil e valores.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência