Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Audi tem “grande plano de investimento no Brasil”

Negócios | 11/09/2013 | 19h33

Audi tem “grande plano de investimento no Brasil”

Hofmann não confirma fábrica, mas divulga meta de vender 30 mil unidades anuais no País

GIOVANNA RIATO, AB | De Frankfurt, Alemanha



Mesmo depois das confirmações de que BMW e Mercedes-Benz produzirão automóveis no Brasil, a Audi hesita em anunciar a fabricação local. Em entrevista à imprensa brasileira durante o Salão do Automóvel de Frankfurt na quarta-feira, 11, Jörg Hofmann, presidente e CEO da marca alemã no País, frisou que não confirma a produção no País. Ainda assim, a negativa se mostrou um tanto controversa. O executivo se recusou a admitir o projeto, mas também não disse que ele não existe.

Ao contrário: ele deu ainda mais indícios de que este seria o caminho natural para sustentar o crescimento que a marca pretende alcançar no País. “O Brasil é o quarto mercado global de veículos, tem grande população, é o sexto PIB do mundo e tem a quinta maior reserva de petróleo. Isso mostra que há um grande futuro. Levamos isso muito a sério e queremos que o País se torne um dos nossos maiores mercados”, declarou.

Segundo ele, a intenção é ampliar as vendas anuais do patamar de 7 mil unidades para 30 mil carros em cinco anos. “A Audi tem grande plano de investimento no Brasil”, apontou, sem entrar em detalhes. O diagnóstico do executivo alemão, que assumiu a presidência da marca há apenas três semanas, indica necessidade de aumentar a oferta de produtos, reduzir os preços com modelos na faixa de R$ 80 mil, e ampliar o número de concessionárias. O plano é dobrar a rede para 60 casas também em cinco anos.

O volume esperado de vendas é improvável para uma companhia que atua no segmento premium apenas como importadora e teria de absorver os 30 pontos adicionais de IPI que incidiria sobre a maior parte dos modelos vendidos localmente. Dentro do Inovar-Auto, as empresas habilitadas nessa categoria podem trazer do exterior volume máximo 4,9 mil veículos por ano sem pagar o imposto majorado. A alta do dólar é desafio adicional para que a empresa sustente expansão no mercado interno sem produção local.

INDEFINIÇÃO

Havia certa expectativa de que a companhia aproveitasse o Salão de Frankfurt para divulgar que retomaria a manufatura no País em parceria com a Volkswagen, na fábrica de São José dos Pinhais (PR). Especula-se sobre a produção do A3 na unidade, que compartilha a plataforma com o novo VW Golf, lançado no fim de semana que antecedeu a abertura da exposição. Não houve, no entanto, confirmação da produção nacional de nenhum dos carros.

A Audi já teria firmado o acordo com o governo do Paraná para fabricar carros no País. A Informação escapou de Mauro Borges Lemos, presidente da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), no fim de agosto, durante o Simea, evento promovido pela AEA (Associação de Engenharia Automotiva). Consultada na época, a companhia negou o acerto e disse que a fábrica ainda estava em negociação (leia aqui).

LEIA OUTRAS NOVIDADES DO SALÃO DE FRANKFURT:
-Montadoras se reinventam na Europa para atender novo consumidor (+)
-Conheça as novidades do Salão do Automóvel de Frankfurt (+)
-GLA deve ser um Mercedes-Benz brasileiro (+)



Tags: Audi, Salão de Frankfurt, fábrica, Brasil, investimento.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência