Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Marketing | 27/09/2013 | 16h39

Pesquisa aponta desejos dos consumidores

Segurança e satisfação têm grande peso; motorista brasileiro é mais ‘verde’ que a média mundial

REDAÇÃO AB

Um estudo realizado pela empresa especializada em pesquisa de mercado GfK levantou mudanças nas atitudes e comportamentos dos consumidores que devem influenciar na escolha dos carros no futuro. O trabalho uma série de tendências, entre elas segurança e satisfação.

“Em todo o mundo, o consumidor quer pagar mais por produtos e serviços que façam com que ele se sinta mais seguro, não só fisicamente, mas com ‘paz de espírito’. As empresas terão de provar que podem oferecer isso”, afirma o líder global do setor automotivo da GfK, Don Deveaux. “Como boa parte do tempo é passada dentro do carro, é preciso pensar em como tornar essa permanência mais agradável, oferecendo recursos que diminuam o impacto do ato de dirigir sobre o corpo e a mente, como bancos com massageador.” Embora já disponível, o recurso se restringe a modelos com preço elevado.

Devaux diz também que as pessoas querem se conectar com outras que tenham gostos em comum. “Uma ideia é que as fabricantes apoiem a criação de clubes e ‘aventuras’ onde os proprietários participem de atividades trocando histórias sobre seus veículos, como fez a Jeep com os entusiastas do jipe (...) A necessidade que o consumidor tem de cocriação é algo que as empresas também devem levar a sério. Ele quer um carro que reflita quem ele é”, diz o executivo, citando a possibilidade de mudanças na iluminação, firmeza do assento, música e cheiros, entre outros fatores.

O estudo da GfK mostra que a divulgação de informações boca a boca entre os consumidores tende a se fortalecer. “As empresas podem criar e estimular comunidades privadas. A Mercedes-Benz nos Estados Unidos criou e alimentou a própria comunidade, com membros que formam a próxima geração de proprietários de Mercedes-Benz para obter retorno sobre pontos como desenho e estilo dos automóveis e também para gerar entusiasmo, interesse e lealdade pela experiência compartilhada de cocriação e acesso vip a seus principais desenhistas e projetistas de produtos”, diz o executivo.

PREFERÊNCIAS DO BRASILEIRO

De acordo com a diretora da área automotiva no Brasil e líder na América Latina, Meire Waki, os brasileiros tendem a enfatizar seu poder de compra e se mostram dispostos a migrar de marca caso não fiquem satisfeitos com um produto ou serviço.

“Satisfação é percepção. Brasileiros buscam novas experiências com as marcas que propiciem diversão e entretenimento: 47% dos consumidores daqui dizem que estão sempre em busca de novidades e diversão, mesmo em produtos do dia a dia, uma demanda acima da média global (31%) e norte-americana (32%)”, afirma Meire.

Para a GfK, os brasileiros conhecem cada vez mais o custo real dos produtos e buscam o melhor retorno para seus gastos. Querem exercer o direito de escolha, ter flexibilidade para decidir sobre os itens do veículo e montar o produto que desejam, sem pagar por supérfluos. Mas também são consumidores que gastam um pouco mais quando percebem valor no produto. Essa visão deve ser comunicada pelo segmento automotivo, por exemplo, oferecendo pneus que durem mais ou que sejam resistentes a furos, mesmo que custem um pouco mais.

O fator marca continua sendo importante para os brasileiros. Enquanto a média global fica em 20% dos entrevistados, no Brasil é de 32%. Nos Estados Unidos esse índice cai para 11%. Qualidade é prioridade para os brasileiros: 45% preferem ter menos itens, mas de melhor qualidade, ante 39% dos consumidores globais e 34% dos norte-americanos.

A pesquisa demonstra que no Brasil, mais do que na média mundial, os consumidores se importam com o meio ambiente e esperam que governo e indústria assumam a liderança sobre esse tema. Diante da frase “As empresas devem agir de forma responsável com o ambiente”, 83% dos brasileiros disseram concordar. Na média global, esse índice foi de 74%.

“Ser ‘verde’ é símbolo de status (...) Esse fator será cada vez mais importante e se tornará básico”, acredita a diretora da GfK, citando o emprego de revestimentos internos feitos com garrafas PET recicladas e a substituição do aço pelo alumínio para a produção de veículos mais leves e que consumam menos combustível.



Tags: GfK, consumidor, Jeep, jipe, Mercedes-Benz, Don Deveaux, Meire Waki, garrafas PET, alumínio.

Comentários

  • Jorge Pimentel de Morais

    FINALMENTE UM ÓTIMO INDICADOR: MUDANÇA DE VALORES!

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência