Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Negócios | 30/09/2013 | 15h40

Mercedes-Benz fabricará automóveis em Iracemápolis (SP)

Companhia assinou acordo com sindicato dos metalúrgicos da região

ALEXANDRE AKASHI, PARA AB

A Mercedes-Benz anunciará na terça-feira, 1º, investimento para voltar a fabricar automóveis no Brasil. A planta de veículos de passeio da companhia deve ser erguida em Iracemápolis (SP), município próximo a Limeira, a 153 quilômetros da capital. Para oficializar o projeto, a companhia convocou coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, que deve acontecer em seguida à assinatura do protocolo de intenções com o governador do Estado, Geraldo Alckmin. O convite aos jornalistas aponta apenas que a companhia “anuncia a sua estratégia para o futuro no Brasil”, sem confirmar a divulgação do plano para a nova fábrica.

Durante o Salão do Automóvel de Frankfurt, Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz no Brasil, confirmou que a companhia voltaria a produzir automóveis nacionalmente (leia aqui). Segundo ele, os estados de São Paulo e de Santa Catarina disputavam o investimento. Após intensa negociação, a montadora assinou protocolo de entendimento com o Sindicato dos Metalúrgicos Limeira e Região no fim da semana passada.

Em entrevista ao Jornal de Limeira, o diretor da entidade, Wilson Cerqueira, aponta que o acordo trabalhista era o último empecilho para que a Mercedes optasse por se instalar no interior paulista. "Durante as negociações fomos informados pela empresa que todos os outros itens haviam sido decididos em prol de Iracemápolis: impostos, topografia, fornecedores, escoamento de produção. O último seria o acordo sindical", disse Cerqueira à publicação.

A nova planta da Mercedes no Brasil deve entrar em operação em 2015 para produzir o utilitário GLA. Outros veículos estão em estudo, como o sedã CLA e o Classe C. A operação deve gerar 1,1 mil empregos diretos.

INVESTIMENTO

A fábrica vai se enquadrar na categoria do Inovar-Auto para empresas de baixo volume, com capacidade produtiva de até 35 mil unidades por ano e índices de nacionalização menores do que os previstos para plantas de grande produção. Os planos de investimento da BMW e da Audi se encaixam nessa mesma categoria do novo regime automotivo.

O investimento da Mercedes-Benz será semelhante ao anunciado pelas concorrentes. O aporte deve ser ordem de R$ 600 milhões, já que, para garantir a inscrição no Inovar-Auto, a companhia precisa aplicar ao menos R$ 17 mil em ativos fixos por cada unidade prevista de capacidade produtiva.

Assim que a companhia anunciar o investimento e se inscrever no novo regime automotivo, ela poderá importar 50% da capacidade produtiva prevista sem o adicional de 30 pontos no IPI. Dessa forma, caso a fábrica tenha potencial para 35 mil automóveis por ano, a empresa poderá trazer do exterior cerca de 17,5 mil unidades anuais até que a planta entre em operação. Pelas regras do Inovar-Auto, metade desse volume entra no País sem a alíquota majorada. Para importar a outra metade, a empresa precisa pagar a tributação adicional, que será recuperada quando a planta nacional entrar em atividade.



Tags: Mercedes-Benz, fábrica, investimento, automóveis, Iracemápolis.

Comentários

  • roberto messias da silva

    a mercede sera bem vinda bem porque vai ampliar o mercado de trabalho e vai dar ou melhor vai gerar muito emprego estou muito ançioso na chegada dela

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência