Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Tecnologia | 22/10/2013 | 18h45

Navig apresenta simulador móvel para motoristas

Empresa do ex-piloto e comentarista Luciano Burti ajudará transportadoras a treinar profissionais

CAMILA FRANCO, AB

Pesquisa da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC) mostra que 13% dos caminhões da frota brasileira estão parados por falta de motoristas qualificados. Com o objetivo de oferecer ao setor de transporte de carga e de passageiros uma alternativa rápida e eficaz para ajudar a resolver este problema, começa a operar este mês a Navig, empresa brasileira especializada em treinamento, formação e qualificação dos motoristas por meio de simuladores, similares aos usados na aviação.

Fundada e administrada pelo ex-piloto de Fórmula 1 e comentarista Luciano Burti, a Navig atenderá, em princípio, empresas frotistas e transportadoras. Conta atualmente com três simuladores de última geração importados da canadense Virage Simulation. Dois são para motoristas de caminhões e ônibus e o outro para veículos urbanos de carga (VUC) e automóveis. Cada simulador pode reproduzir veículos de diversas marcas e funciona dentro de um container móvel, que é deslocado até a empresa cliente.

“Esse é um dos principais diferenciais da Navig, já que a unidade móvel de treinamento irá atender o cliente e ficará a sua disposição o tempo necessário”, comentou Burti durante evento de apresentação da empresa na terça-feira, 22, em São Paulo.

CURSOS

Segundo Burti, em um mesmo simulador, com a ajuda de dois instrutores, podem ser treinados, tanto na teoria quanto na prática, até cinco motoristas de uma só vez. São oferecidos seis cursos diferentes. O principal é o que visa a economia do consumo de combustível - corresponde a cerca de 50% da despesa de uma transportadora. Ele demora cerca de 1h30 para ser ministrado e custa entre R$ 350 a R$ 400 por motorista. Há também curso de direção defensiva, de antitombamento, de manobra de carreta, de avaliação de novos motoristas, e o de conscientização das consequências do consumo de álcool e drogas ao volante. Burti aconselha que os motoristas realizem um curso por vez para melhor assimilação.

No fim de cada curso, que não duram mais de uma hora e meia, há mensuração dos resultados. “Nos meses seguintes ao treinamento, acompanharemos o desempenho de cada um em seu dia a dia de trabalho. Os que apresentarem melhorias receberão o certificado de qualificação da Navig”, conta Burti.

De acordo com o empresário, após passar pelo módulo de economia de combustível, o motorista é capaz de diminuir em média 10% do consumo. Em alguns casos, a redução pode chegar a 15%. “Com esta economia, o investimento no curso é totalmente recuperado após rodar de 3 mil a 5 mil quilômetros”, calcula Burti.

EMPRESAS CLIENTES

A Navig trabalhará em princípio com empresas que tenham no mínimo 90 motoristas. “Por causa do custo deslocamento do nosso container, é mais viável ficarmos de dois a três dias sediados na transportadora. Podemos capacitar de 30 a 90 pessoas por dia, em sete dias da semana”, explica Gustavo Ricca, diretor operacional da Navig.

Após se consolidar no mercado, a empresa pretende construir um centro de treinamento em São Paulo para que empresas menores possam direcionar seus profissionais.

A transportadora Braspress foi a escolhida para os primeiros testes das Navig no Brasil. Motoristas da empresa passaram pelo treinamento de redução de consumo por duas semanas. Conseguiram reduzir em 16% em trechos urbanos e 6% nas estradas.

“Um dos principais atrativos deste simulador é que não é preciso deslocar os motoristas até um local específico de treinamento. O fato de o equipamento vir até a empresa diminui o ônus que teríamos com o deslocamento do profissional”, comentou Urubatan Helou Júnior, controlador da frota da Braspress.

Burti diz que a Navig estará na Fenatran, feira dos transportes que acontece entre 28 de outubro e 1º de novembro. A empresa espera prospectar seus primeiros clientes durante o evento, dando prioridade aos frotistas e transportadoras instalados em São Paulo. “Como estamos sediados no Estado, os nossos primeiros atendimentos serão realizados por aqui. Mas a ideia é atender todo o Brasil nos próximos anos, ao passo que o negócio ganhar proporções maiores”, promete o empresário.

INVESTIMENTO

Para montar a Navig, até agora Burti investiu com dinheiro próprio mais de R$ 3,5 milhões. Gastou em torno de R$ 700 mil para importar cada simulador, os quais podem ser revendidos por R$ 850 mil. “Nós apostamos fortemente neste negócio e estamos prontos para uma segunda fase de investimentos”, concluiu o empresário.

Burti decidiu fundar a empresa por causa de sua experiência com pilotagem. Em 2001, ele sofreu um acidente durante prova de F1 na Bélgica, ao correr a mais de 270 km/h. Desde então, a segurança e, sobretudo, ensinar as pessoas a ter uma condução eficiente passou a ser um de seus principais focos de atuação.

TREINAMENTOS SIMILARES

Já são oferecidos cursos similares para capacitação de motoristas no Brasil, por instituições como o Serviço Social do Transporte (Sest) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat). Mas Burti ressalta que eles têm custo mais elevado, oferecem risco mais alto para os motoristas por não usarem simuladores e não conseguem obter dados precisos do desempenho dos alunos.

“A grande vantagem do simulador da Virage é que ele tem um software com capacidade pedagógica muito eficiente. A Virage têm grande expertise na indústria de aviação. Mantém parceria com o CFTC, centro de treinamento no Canadá com mais de 120 caminhões próprios e 20 cursos, sendo a maioria deles associados ao uso de simuladores. Portanto, todo o conteúdo teórico e prático da Navig foi desenvolvido em parceria com o CFTC. Sabemos que o simulador é a ferramenta principal, porém, precisamos de uma metodologia apropriada para alcançar estes resultados. Isso influenciou a nossa escolha”, declara Burti.



Tags: Navig, caminhão, treinamento, simulador, frotista, Luciano Burti, Gustavo Ricca.

Comentários

  • carlos

    sou presidente da FETAC FEDERAÇÃO DOS TRANSPORTADORES AUTÔNOMOS DE CARGA DO ES GOSTARIA DE MAIS INFORMAÇÕES DO SIMULADOR

  • Luciano Costa

    O simulador é interessante, mas não condiz com a realidade dos motoristas e dos transportares de cargas. Como instrutor de treinamentos operacionais, sei as dificuldades das transportadoras em treinar e capacitar seus motoristas e também alcançar as médias de consumo de combustível impostas pelas montadoras e fabricantes de veículos comerciais. O fato é que toda a tecnologia necessita de treinamentos e esse treinamento tem que ser teórico e prático, e segundo as transportadoras, um treinamento prático com eficácia, tem que ser na rota do cliente e transportando sua carga. Coisa que um simulador não faz. E pra finalizar, um piloto de Fórmula 1, não opera um extrapesado, assim como um condutor de extrapesado não pilota um Fórmula 1. Temos que treinar nossos motoristas na prática, como deve ser. Me desculpem a sinceridade. Sem mais e boa sorte com o simulador.

  • Mauro Cipriano da Silva

    Concordo com o Luciano Costa em parte. Na verdade, o uso do simulador é muito importante para iniciar um condutor de caminhões na profissão dando a esse, uma confiança maior, visão mais apurada da estrada etc. Mas na verdade, para que um motorista possa tirar todo o proveito numa condução eficiênte, conduzindo com economia, preservando o equipamento, diminuindo a manutenção e dirigindo com segurança, é necessario sim receber um acompanhamento prático e de preferência no trecho em que a transportadora transporta seus produtos com o peso habitual, clima e estrada onde o motorista esta acostumado a rodar etc. Também sou Instrutor de Condução e operação e fiquei contente por termos mais uma ferramenta onde poderemos preparar mais condutores de veículos pesados por esse Brasil afora para tentarmos diminuir acidentes e também emissão de gás carbônico na natureza. Abraços,

  • Estevam Morais

    O uso do simulador é muito importante, tanto em questão de segurança quanto em economia. A Knorr-Bremse Brasil também oferece uma excelente opção de simulador, composto de cabine completa e com possibilidade de simular a condução com os sistemas de segurança (ABS, EBS) ou mesmo sem eles, para medidas de comparação.

  • Estevam Morais

    O uso do simulador é muito importante, tanto em questão de segurança quanto em economia. A Knorr-Bremse Brasil também oferece uma excelente opção de simulador, composto de cabine completa e com possibilidade de simular a condução com os sistemas de segurança (ABS, EBS) ou mesmo sem eles, para medidas de comparação.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência