NOTÍCIAS
16/12/2013 | 22h00

Indústria

BMW Série 1, Série 3, X1, X3 e Mini Countryman serão brasileiros

Fabricante começa a produzir em Araquari em outubro de 2014


PEDRO KUTNEY, AB | De Araquari (SC)

Maquete da fábrica da BMW em Araquari (SC) e a cerimônia que marcou o início das obras dos prédios da unidade
A BMW confirmou que produzirá em sua primeira fábrica no Brasil, em Araquari (SC), os modelos Série 3, Série 1, X1 e X3, e acrescentou aos seus futuros carros nacionais o Mini Countryman, marca que pertence ao grupo. Com isso, aumentou bastante a complexidade de sua produção brasileira, com quatro plataformas diferentes, mas em compensação, segundo as regras do Inovar-Auto, a empresa ganhou uma cota de importação flexível de carros similares, de até 8 mil unidades/ano, que ficam livres da sobretaxação de IPI de30 pontos porcentuais. O número é equivalente a 25% da capacidade instalada da nova planta catarinense, que começa o operar em outubro de 2014 em um turno de trabalho e potencial para fabricar 32 mil veículos/ano, com investimento de € 200 milhões anunciado em outubro de 2012.

“Fomos a primeira marca premium a anunciar a fábrica no País após o Inovar-Auto e seremos a primeira a começar a produzir”, destacou Arturo Piñeiro, presidente do BMW Group Brasil, durante evento na segunda-feira, 16, que marcou o início das obras dos prédios da nova fábrica – a terraplanagem foi praticamente concluída nos últimos oito meses. A unidade industrial será essencial para a estratégia de crescimento da marca no Brasil. Piñeiro estima vender 40 mil carros por ano aos brasileiros a partir de 2017, somando a produção nacional e as importações, o que significa mais que triplicar os volumes atuais de modelos BMW e Mini vendidos no mercado brasileiro.

“Esta fábrica segue nossa estratégia global de crescimento rentável, com a produção que segue o mercado”, afirmou Ludwig Willisch, presidente do BMW Group Americas. “O Brasil tornou-se importante para nossas vendas globais e para manter nosso ritmo de expansão aqui precisávamos da planta local”, acrescentou. Segundo ele, todos os cinco modelos serão produzidos em uma só linha de montagem. “Isso demonstra nossa flexibilidade.”

Piñeiro afirmou que em cerca de três anos a montadora espera atingir a capacidade máxima inicial da fábrica, destinada somente ao consumo doméstico. “Poderemos exportar só depois de atender o mercado brasileiro”, disse. “Ainda não pensamos em expansão, mas se for necessário podemos fazer isso dentro das mesmas instalações, com a adição de mais turnos, pois começaremos com somente um”, explicou.

Também não faltará espaço para crescer em caso de necessidade: a construção de linhas de armação de carroceria (solda), pintura e montagem final, além de prédios administrativos, ocupará 500 mil metros quadrados de área pavimentada em um terreno de 1,5 milhão de metros quadrados.

BMW
BMW Série 1, Série 3, X1, X3 e Mini Countryman: todos serão fabricados no Brasil

CONTEÚDO LOCAL

Os motores e as peças estampadas da carroceria dos BMW e Mini montados no Brasil virão da Europa. Mesmo assim, Piñeiro garante que não será problema atingir o volume de compras locais necessário para abater da sobretaxação de IPI. “Vamos atender aqui todas as exigências do Inovar-Auto”, informa.

A montadora negocia com fornecedores, mas avalia que não terá dificuldades em conseguir o que precisa no País. “Cerca de 80% das empresas de autopeças instaladas no Brasil são globais e quase todas já fornecem para a BMW, portanto não haverá problemas”, diz Piñeiro. Como o volume de produção é baixo, poucos deverão encontrar rentabilidade necessária para instalar plantas perto da fábrica de Araquari, embora alguns poderão abrir linhas de montagem de componentes mais volumosos e difíceis de transportar, como bancos, por exemplo. “A partir de janeiro vamos aprofundar essas negociações”, informa Gleide Souza, diretora de assuntos governamentais do BMW Group Brasil.

Os modelos BMW e Mini fabricados em Santa Catarina, segundo a montadora, terão o mesmo nível de qualidade de todos os carros das duas marcas produzidos em qualquer lugar do mundo, portanto vão precisar de sistemas sofisticados. Piñeiro garante que não haverá o chamado “downsizing tecnológico” comumente praticado por quase todas as montadoras instaladas no País, em que muitos equipamentos de conforto e segurança usados nos países de origem são retirados no mercado brasileiro para tornar os produtos mais baratos. No caso da BMW, a previsão é que os carros feitos no Brasil serão quase tão caros quanto os importados, portanto nem há necessidade de reduzir itens. No pacote de segurança, Piñeiro afirma que todo o aparato será mantido, inclusive o controle eletrônico de estabilidade (ESC ou ESP) para todos os veículos nacionais.

O treinamento dos futuros empregados começa em janeiro em uma linha de montagem experimental instalada no Perini Park, na vizinha Joinville. A BMW também já trata de firmar convênios com instituições locais de formação de mão de obra industrial qualificada, como o Senai. Apesar de o Estado de Santa Catarina ostentar um dos mais baixos índices de desemprego do mundo, de apenas 3%, a BMW garante que não faltam candidatos a trabalhar na nova fábrica, com mais de 20 mil aplicações de emprego já recebidas pelo departamento de recursos humanos. Em um primeiro momento, a planta de Araquari deve empregar 1,3 mil pessoas e gerar 2,5 mil empregos indiretos na região.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 13/12/2017
Requisitos de segurança têm de se adequar à realidade local de mercado

Esta coluna é apoiada por:

Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
DE CARRO POR AÍ | 15/12/2017
Governo oferece incentivo para instalação de fábrica em Itumbiara
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
QUALIDADE | 01/12/2017
Envolver e motivar colaboradores é essencial para gerar bons resultados
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
AUTOINFORME | 15/12/2017
Coreia constrói ambiente urbano planejado e inteligente
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
INOVAÇÃO | 25/10/2017
Indústria precisa questionar qual será o seu papel no futuro
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição