Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 07/01/2014 | 16h38

Caminhões recuperam fôlego em 2013

Anfavea prevê crescimento de 5% no mercado interno no novo ano que se inicia

MÁRIO CURCIO, AB

O ano de 2013 trouxe a recuperação no setor de caminhões, tanto em mercado interno como na produção local. A marca de 154.549 unidades emplacadas foi a terceira melhor da história. Ficou 10,6% abaixo de 2011 (ano em que os frotistas anteciparam encomendas para escapar dos preços maiores do Proconve P7) e foi apenas 2% menor que a de 2010.

A produção de veículos comerciais pesados em 2013, de 190,3 mil unidades, teve seu segundo melhor período, atrás somente de 2011, quando os fabricantes montaram 223.388 unidades, também motivados pela antecipação de compras.

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, está confiante em 2014: “Este ano o setor deve crescer 5%”, estima o executivo, destacando que o agronegócio deverá continuar aquecido, assim como obras de infraestrutura decididas em 2013 que começam a sair do papel este ano. “Ainda temos um PSI (financiamento via BNDES) competitivo com a redefinição da taxa em 6% ao ano.” Outro fator que deve ajudar o setor será a definição, ainda no primeiro semestre, do programa de renovação de frota de caminhões.

“Esperamos uma posição do governo até o meio do ano”, afirma o vice-presidente da entidade, Luiz Carlos Moraes, também diretor de assuntos governamentais e comunicação da Mercedes-Benz. Sobre as dificuldades para pôr em prática o programa, ele diz: “Primeiro é preciso convencer o caminhoneiro a entregar seu veículo, depois desmanchar esse caminhão em uma empresa homologada e dar baixa em sua documentação. Outro ponto é como conceder o crédito a esse caminhoneiro”, recorda Moraes.

EXPORTAÇÕES

A recuperação de 2013 também ocorreu nas vendas ao exterior, com 25.019 unidades embarcadas, alta de 4,7% em relação ao ano anterior. “Acreditamos que o crescimento das exportações deve ocorrer mesmo em 2015, com as regras definidas do Exportar-Auto”, diz Luiz Moan. A exportação de caminhões pesados teve queda de 10,2%. Foram 9.932 unidades em 2013, ante 11.066 no ano anterior. Nos emplacamentos, porém, esse segmento foi o que mais cresceu.

MERCADO INTERNO

Segundo a Anfavea, a alta nas vendas internas e na produção de caminhões em 2014 será motivada pelo bom momento que vive a agricultura e por obras de infraestrutura. Os modelos pesados tiveram a alta mais expressiva em 2013, de 36%, com 55.559 unidades emplacadas no ano. “O segmento deve continuar crescendo em 2014”, diz Moan. A maior variação negativa ocorreu para os semileves, que registraram 5.493 unidades, retração de 15,8% ante 2012.

Em razão da Copa do Mundo, a Anfavea vê espaço para crescimento na venda de modelos menores este ano.

- Veja aqui os dados da Anfavea.



Tags: Caminhões, vendas, emplacamentos, exportação, Luiz Moan, Proconve P7, Anfavea, Luiz Carlos Moraes, Exportar Auto, renovação de frota.

Comentários

  • silvio r santos

    meus caros com panheiros a sra dilma presidente podia abaixar um pouco de impostos de veiculos pesados sendo assim muitos caminhoneiros poderiam trocar seu caminhões por favor senhora presidenta

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência