NOTÍCIAS
30/01/2014 | 21h00

Lançamentos

Futuro Audi brasileiro já está entre nós

Carro chega por R$ 116,4 mil para ser o mais vendido da marca no País


PEDRO KUTNEY, AB

Está à venda no Brasil desde 15 de janeiro o futuro Audi nacional, que começará a ser produzido em São José dos Pinhais (PR) a partir do segundo semestre de 2015. O A3 Sedan, lançado no ano passado na Europa, chega ao mercado brasileiro por preço a partir de R$ 116,4 mil, com a missão de ser o mais vendido da marca alemã no País. A estimativa é emplacar 3,5 mil deles este ano, o que representa expressivos 35% de tudo que se pretende vender por aqui em 2014, algo em torno de 10 mil unidades. “O A3 Sedan nos coloca no maior segmento de vendas no mundo e tem papel chave no Brasil, porque atinge as necessidades do brasileiro e atrai novos consumidores”, avalia Jörg Hofmann, presidente da Audi Brasil.

Entre os sedãs compactos de marcas de prestígio, o A3 Sedan chega com o valor mais competitivo e grande barulho na mídia. Nunca a Audi investiu tanto em publicidade no País, começando este janeiro com o lançamento do carro sendo anunciado em horário nobre das TV e rádio, além de inserções publicitárias nos principais veículos de comunicação. De cara, ele sai batendo forte no que é considerado seu principal concorrente (ao menos em tamanho), o cupê de quatro portas Mercedes-Benz CLA, que custa R$ 150,5 mil. Mas a Audi não reconhece essa concorrência: “As duas marcas têm consumidores diferentes; o nosso é mais jovem”, avalia Hofmann.

Seja como for, os dois carros têm sim diferenças – como o motor mais potente do A3 Sedan e o design mais aerodinâmico e carregado de estilo do CLA (que também tem acabamento interno mais luxuoso) –, mas também têm coincidências; incluindo até o interessante fato de ambos serem importados da Hungria. Como trafegam na mesma faixa de mercado, a comparação de preços por um mesmo consumidor será inevitável – e aí o Audi ganha larga vantagem. Mesmo quando ao preço do A3 Sedan são somados R$ 9,9 mil para incluir um sofisticado sistema multimídia de som e navegação por GPS (que já vem de série no CLA), ainda assim o sedã compacto é R$ 24,2 mil mais barato do que o cupê da Mercedes-Benz.

Outra grande diferença diz respeito à limitação de produção: o CLA tem fila de espera em todo o mundo e este ano coube ao Brasil uma pequena cota de 1,4 mil unidades exclusivamente da versão mais cara, enquanto a Audi poderá trazer quantos A3 Sedan quiser, em configuração mais barata.

QUALIDADES

Audi
Conjunto óptico bem desenhado com contornos iluminados por LEDs é o principal destaque do design exterior do Audi A3 Sedan

O sedã compacto da Audi segue a mesma identidade visual sóbria da marca, com linha limpas e bem delineadas, mas essa pode ser considerada uma qualidade. Ao contrário do que costuma acontecer com sedãs pequenos derivados de hatchbacks, o A3 Sedan não ficou mais feio ao ganhar o terceiro volume na traseira. Isso porque a silhueta de sua carroceria é um meio-termo entre um três-volumes tradicional e um cupê. Como explica Markus Gleitz, coordenador de design exterior da Audi AG, a ideia desde o início do projeto foi dar ao carro ares de sofisticação e esportividade dentro de dimensões reduzidas.

Ajuda muito a valorizar essas características os vincos laterais paralelos, que dão movimento ao design externo, além do caimento mais baixo da traseira – que como já se viu não chega a ser o desenho de um cupê (e por isso não sacrifica altura de cabeça nos assentos de trás), mas é suficiente para retirar qualquer aspecto “tiozão” dos sedãs tradicionais. Na dianteira e na traseira, o conjunto óptico foi desenhado com raro bom gosto: faróis e lanternas têm angulações muito bonitas de se ver, ressaltadas pelos contornos da iluminação de LEDs.

Do ponto de vista do desempenho, nada a reclamar. O motor 1.8 turbinado com dupla injeção (multiponto indireta e direta) gera mais que suficientes 180 cavalos. O torque máximo de 250 Nm está disponível desde rotações baixas, a partir de 1.250 rpm. Aliado ao câmbio automatizado de dupla embreagem de sete velocidades, o A3 Sedan faz de 0 a 100 km/h em apenas 7,3 segundos, segundo medições da Audi.

TECNOLOGIA

Audi
No interior, atração à parte é o sistema multimídia que combina navegação e áudio com memória de 60 gigabytes para armazenar músicas, vídeos e fotos

A interessante tecnologia de injeção dupla aproveita o melhor de dois mundos para melhorar a eficiência de consumo. A central eletrônica de gerenciamento do motor escolhe se usa injeção indireta MPI ou direta dependendo das condições de uso. Por exemplo, rodando em uma estrada acima de 100 km/h sem empurrar muito o acelerador, a opção escolhida é a MPI, ao passo que quando o motorista pede mais velocidade e afunda o pé entra em cena a injeção direta que garante desempenho superior.

Quem dirige pode escolher uma entre quatro opções de condução. O sistema Audi Drive Select dosa a rigidez da direção eletromecânica progressiva e os tempos de troca de marcha de acordo com o gosto do freguês, em modo conforto, econômico, esportivo (volante mais “duro” e marchas mais esticadas) ou individual, em que o motorista faz sua própria “dosagem”.

Ajuda na economia o sistema de recuperação de energia cinética (KERS), que confere torque extra nas arrancadas por meio de um motor elétrico, além do start-stop, que desliga o motor (já aquecido acima de 40˚C) quando o carro para e religa assim que o motorista aciona o acelerador – ou quando a carga da bateria cai abaixo de 60% ou a temperatura interna da cabine sobe acima de 23˚C, para acionar o ar-condicionado. O cálculo da Audi é que o start-stop traga economia de 0,3 litro por 100 quilômetros rodados.

Em termos de segurança ativa, o A3 Sedan tem sete airbags de série, além de controle eletrônico de estabilidade (ESP) e freio de emergência, acionado automaticamente após uma colisão em que os airbags são inflados.

Internamente, os bancos de couro e o ar-condicionado digital de dupla zona de temperatura garantem bastante conforto aos ocupantes, tanto na frente como atrás. O A3 Sedan tem bastante espaço para bagagens em seu porta-malas de 425 litros – extensíveis a 880 litros com o rebatimento dos bancos traseiros.

Atração à parte é o sistema multimídia de som, com oito alto-falantes e um subwoofer. Estão disponíveis 60 gigabytes de memória interna para armazenar músicas, vídeos e fotos a partir de pen-drives ou cartões SD. Todo o sistema pode ser controlado por alguns comandos de voz ou pelo mouse instalado no centro do console central. O navegador (opcional) foi programado para “falar” português brasileiro e mostra imagens em 3D. Também é possível “escrever” endereços usando o dedo para desenhar letras sobre o botão do mouse.

A carroceria do A3 Sedan tem uma interessante combinação siderúrgica: 30% das chapas são aços estruturais de alta resistência, outros 28,5% são macios deformáveis, 17% são ligas modernas resistentes aplicadas em pontos de fixação (como o suporte do motor), 17% são aços ultrarresistentes estampados a quente (soldados na cabine para formar uma célula de sobrevivência) e 0,5% é alumínio. Mas o metal mais leve é usado também em todo o subchassis dianteiro.

O A3 Sedan é montado sobre a flexível plataforma MQB do Grupo Volkswagen, projetada para receber muitos tipos de veículos. Contudo, em relação ao seu primo hatch, o A3 Sportback, a versão sedã tem apenas quatro grandes partes em comum: os faróis, a grade dianteira, as laterais e as maçanetas. No mais, ele é mais baixo, mais largo e tem entre eixo maior.

Na prática, em um percurso de pouco mais de 200 quilômetros por estrada e cidade, deu para sentir que o A3 Sedan é muito agradável de se guiar. Tem pegada esportiva, com acelerações rápidas e estabilidade justa nas curvas. Por tudo que oferece e pelo que custa, pode ser incluído sem deméritos na faixa de carros premium, ainda que isso seja muito mais fácil no Brasil do que na Europa, onde certos luxos são bem mais comuns entre automóveis dessa categoria.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 15/11/2017
Mudança na mobilidade domina discussões do Congresso SAE Brasil

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
DE CARRO POR AÍ | 17/11/2017
Chineses entregam operação brasileira à administração dos brasileiros
INOVAÇÃO | 25/10/2017
Indústria precisa questionar qual será o seu papel no futuro
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
AUTOINFORME | 09/11/2017
Luguez firmou parceria com o governo de Ohio
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro