Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 06/02/2014 | 21h00

Suzuki quer emplacar 2,5 mil Jimny em 2014

Volume representaria aumento de 61% sobre as unidades vendidas em 2013

REDAÇÃO AB

Embora seja o carro mais acessível da Suzuki, com preço inicial de R$ 56.790, o Jimny foi o segundo modelo mais vendido da marca em 2013, com 1,55 mil unidades emplacadas. O líder da marca foi o Grand Vitara, com 3.788 unidades zero-quilômetro lacradas. Até o fim do ano, porém, a fabricante quer aumentar a fatia de seu jipinho montado em Goiás desde 2012.

“Nos meses mais recentes foram licenciadas cerca de 200 unidades por mês. E se considerarmos o total que repassamos às revendas de fevereiro de 2013 até o momento foram 2 mil unidades. Em 2014 devemos chegar a 2,5 mil unidades emplacadas”, acredita o presidente da Suzuki Veículos do Brasil, Luiz Rosenfeld. Isso representaria uma alta de 61% sobre o ano anterior.

“O Jimny é um carro único, sem concorrente no Brasil. Em alguns anos será possível chegar a mil unidades por mês”, estima Rosenfeld, para lá de otimista. Segundo o executivo, começa a crescer a venda do Jimny entre frotistas. “É um carro capaz de acompanhar o plantio, colheita e inspeção de redes elétricas, por exemplo.” A montadora aposta também num mercado crescente formado por veterinários, zootecnistas, topógrafos, geólogos, produtores rurais, engenheiros agrônomos, florestais e ambientais. A Suzuki tem 54 concessionárias no País e só não está nos Estados do Acre e Roraima.

De acordo com o presidente da Suzuki, a montagem do Jimny começa na fábrica da Mitsubishi, em Catalão, e termina em Itumbiara. “Em Catalão, o powertrain e a carroceria são instalados sobre o chassi. Em Itumbiara, a carroceria recebe a montagem final. Entre as parceiras da Suzuki estão a Flamma (antiga Automotiva Usiminas), a Weldmatic e a MVC”, cita Rosenfeld.

A Suzuki inscreveu-se no Inovar-Auto como montadora, mas em 2014 sua cota livre do “super-IPI”, segundo Rosenfeld, estará em torno das 4,8 mil unidades. A fabricante vem desenvolvendo uma versão flex para o Jimny, mas não estabeleceu uma data para o lançamento. Por enquanto, o comprador do carro conta com um motor 1.3 a gasolina com 16 válvulas e 85 cv de potência.



Tags: Suzuki, Jimny, Catalão, Itumbiara, Luiz Roselfeld.

Comentários

  • Marcos

    Se a suzuki soubesse vender carro, esse poderia ser o carro mais vendido do ano.. Porcariazinha mal acabada, desconfortavel, sistema de som péssimo, vale 45mil e olhe lá... Se por 57mil já teve um monte de abestado p comorar, imagina só. Esse carro não deve custar 20 mil pra ser fabricado e to esticando ainda..

  • André Luis

    Acho que o Marcos tá doido para ter um e não consegue! Para os preços de carros, perdão, digo, carroças, que GM, Ford, VW e Fiat vendem no Brasil, ele não é tão caro assim, afinal, é um legítimo off-road: 4x4 com reduzida, carroceria sobre chassis, com espaço para 4 pessoas. No Brasil um corolla, digo, vovôrolla "top" quer custar o mesmo que BMW! kkkkkkk!!!!!! Infelizmente a falta de concorrência só prejudica uma parte: o consumidor.

  • Felicio

    O preço é salgado, mas o jipinho é espetacular!!! Obs. o meu é um HR 2011... made in japan. Nota 10!

  • Luis

    Brasileiro gosta de comprar carro pra aparecer. Compram SUVs que aparentam ser o que não são; já o Jimny é o que não aparenta ser: Um Off-road de verdade.

  • gustavo de paula

    Eu acho o Jimny fantástico !!! Gosto do visual descolado e do verdadeiro DNA lameiro. Sim, claro, é mais que óbvio que eu também acho o Jimny um pouco caro, mas isso é política da Suzuki que nunca facilitou nessa parte. Tá muito fácil pra Suzuki deslanchar, mas ela tem que fazer a sua parte, ou com uma política agressiva de preços ou com taxas subsidiadas. Lembro bem em meados de 2011 quando a Nissan antes de trazer o Tiida sedan foi fazer uma pesquisa com os concessionários para ver se era um veículo "bom" para o Brasil. Todos os concessionários reclamaram do carro, dizendo que era muito feio e iria prejudicar a imagem da Nissan, que ninguém iria comprar e tal, mas a Nissan trouxe mesmo assim, mas com uma política agressiva de preços e deu no que deu, venderam muitooooo Tiida sedan, até faltava nas concessionárias. Portanto..PREÇO É O QUE IMPORTA!! Tá aí o Fiesta antigo que não me deixa mentir, abraço!! VAI SUZUKI !!

  • Elieser Ferreira Lopes

    Jimny versão flex sera bem vinda pois a gasolina que temos muito ruim

  • Marcelo

    A nissan fracassou com o tiida(não o fabrica mais).Faltam 2 anos para terminar de pagar o meu uno. Neste espaço de tempo, espero a suzuki se firmar como montadora definitiva no Brasil. Até lá vou poupando por mais 1 ano a compra de um jimny que com certeza já será flex. Sou apaixonado por ele. Abraço a todos.

  • francisco de assis pinheiro

    apesar de pequeno ,mas porem muito versatil.gostei dele,mesmo caro para ,padrao dele,mesmo assim e compraria;e e um suzuki ........

  • Mario Portmann

    Sou o feliz proprietario de um Jimny a 1 ano ,que infelizmente foi destruido por uma colisao com um mota BMW 800 ,conduzida por um motociclista nao hablitado e a aproximadamente 130 Km por hora ,a moto atingiu em cheio a parte traseira do carro esquerda ,apos a coluna do motorista .a flexibilidade do Jimny fez com que ele inclina-se para o lado e retorna-se ao seu eixo com isso o impacto foi absorvido. A parte lateral traseira ficou destruida ,eu e minha esposa saimos do carro sem nenhum arranhao ,nao posso dizer que foi devido ao Jimny que sobrevivemos ,mas que ajudou ajudou muito. Claro que acho caro ,e gostaria que ele tive-se um motor mais potente e cambio automatico ,mas enquanto nao temos isso no Brasil ,vou comprar outro Jimny zero. Obrigado

  • wagner

    Com a alta absurda da gasolina a Suzuki precisa se apressar com o modelo flex do jipinho, cambio automatico nem vou falar...por que se o danado ja é caro imagina se tivesse opção de aut ?! Já tive um samurai capota de lona ano 94, foi o melhor carro que tive, só me trouxe alegrias, fui de sp a fortaleza sem problema algum, pra se ter uma ideia de como esses jipinhos são valorizados, em 2001 paguei 14.500$ no samurai 94, hj vc não acha samuca por menos de 20k. Jimny então nem se fala, um 2001 conservado é 30k. Conlcuindo o jimny tem 3 problemas distintos : não tem flex, é caro demais, sem opção de aut ( no off seria melhor o aut ) O preço de venda dele não se justifica, uma vez que o custo de produção não condiz com o preço de venda...pois quando começou a ser produzido no br o preço continuou o mesmo de quando era importado...absurdo !!

  • vitor

    tenho interesse em comprar um, mas o preço não ajuda.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência