Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Negócios | 27/03/2014 | 18h33

Renault e Nissan completam 15 anos de aliança

Grupo comemora às vésperas de introduzir novo plano global de sinergias

REDAÇÃO AB

Há exatos 15 anos, em 27 de março de 1999, nascia a Aliança Renault-Nissan, parceria que deu novos rumos às marcas: na época, a francesa investiu o equivalente a € 5 bilhões por uma participação de 36,8% da montadora japonesa, que estava à beira da falência. Desde então, as empresas já somaram 8,3 milhões de veículos vendidos, 4,8 milhões a mais do que em 1999, elevando as duas marcas ao patamar de montadoras globais. Atualmente, a Renault mantém participação de 43,4% da Nissan, que hoje detém 15% da parceira.

“Juntos, Renault e Nissan têm ampliado significativamente a sua presença global e as economias geradas em escala tem sido muito maior do que qualquer empresa poderia realizar por conta própria. Como Renault Nissan, definimos um percurso único em 15 anos, aumentando as sinergias e criação de marcas distintas de cada empresa e da cultura corporativa”, disse o CEO e presidente da Aliança Renault-Nissan, Carlos Ghosn.

Desde 1999, a Aliança tem se expandido para acomodar novos projetos e parceiros em todo o mundo, acumulando importantes estruturas de negócio, como sua participação majoritária na joint venture que controla a AvtoVaz, a maior montadora da Rússia; uma participação na joint venture com a Dongfeng Motor da China por meio da Nissan, além das relações estratégicas com a Daimler, com a Ashok Leyland, da Índia, e com a Mitsubishi Motors do Japão.

Hoje, a Aliança Renault-Nissan é responsável pela venda de um em cada 10 carros vendidos em todo o mundo, o quarto maior grupo automotivo global. Em seu portfólio, estão oito marcas: Renault, Nissan, Renault Samsung, Infiniti, Venucia, Dacia, Datsun e Lada. A companhia emprega 450 mil pessoas em todo o mundo, incluindo as joint ventures na Rússia e China.

Quando a aliança foi formada, cerca de 1% das vendas totais do grupo veio do BRIC - Brasil, Rússia, Índia e China. Em 2013, mais de 30% das vendas totais da aliança debutante vieram desses quatro países. Também no ano passado, o grupo lançou uma nova arquitetura de veículos compartilhados especificamente para mercados emergentes, chamado CMF-A (leia aqui).

No mesmo ano, o grupo gerou um novo recorde em sinergias, de aproximadamente € 2,8 bilhões, originadas na redução e eliminação de custos e aumento de receita. Para 2016, a companhia esperar alcançar € 4,3 bilhões a partir de um novo plano global a partir de ações de integração em quatro áreas específicas: P&D (pesquisa e desenvolvimento), manufatura e logística, compras e RH (recursos humanos), que entra em vigor a partir de 1º de abril (leia aqui).



Tags: Aliança Renault-Nissan, Carlos Ghosn, joint venture, AvtoVaz, Dacia, Infiniti, Lada, Dongfeng.

Comentários

  • Gilberto Machado Lumertz

    Muito interessante esta matéria,foi essencial para minha decisão de me interessar no novo versa

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência