NOTÍCIAS
30/04/2014 | 18h22

Lançamentos

Honda aposta suas fichas no novo Fit

Com a linha 2015, vendas do modelo poderão subir até 75%


MÁRIO CURCIO, AB

Mais que um tapa no visual, o Fit ganhou nova carroceria. Entre-eixos aumentou em 3 cm
As concessionárias Honda começam a receber a terceira geração do Fit como linha 2015. Não foi apenas um tapa no visual. O carro está quase dez centímetros mais longo. Passou de 3,9 para 3,997 metros. O modelo chega em quatro versões, todas com motor 1.5 e preço inicial de R$ 49,9 mil, pedido pela opção DX. A tabela chega a R$ 65,9 mil, cobrados pelo Fit EXL, equipado de série com transmissão automática CVT.

Com a renovação do modelo, a Honda espera vender entre 5 mil e 6 mil unidades mensais, o que resultará em aumento de emplacamentos entre 50% e 75% na comparação com a média de 2013, que ficou pouco abaixo de 3,4 mil Fit por mês. O carro é fabricado na unidade de Sumaré (SP), de onde já saiu mais de meio milhão de unidades do Fit desde 2003.

Segundo a Honda, a produção mundial do modelo já passa de 5,2 milhões de unidades. Ele é montado na unidade brasileira e em outras dez fábricas pelo mundo, sendo duas no Japão e duas na China. Taiwan, Tailândia, Malásia, Indonésia, Reino Unido e México também fabricam o Honda, que é vendido em mais de 120 países.

Pela previsão da montadora, ele começará a ser feito no fim de 2015 em Itirapina (SP), onde ficará a segunda unidade produtora de automóveis Honda no Brasil. Com ela, a capacidade anual passará de 120 mil para 240 mil carros/ano no País. De lá, tudo indica, também sairá o utilitário esportivo lançado como Vezel no Japão e como HR-V nos Estados Unidos. Bem antes disso, entre setembro e outubro de 2014, chegará a nova geração do sedã City. Ele, o Fit e o Vezel/HR-V utilizam a mesma plataforma. Outra novidade para este ano será o Civic 2016, que chega reestilizado entre junho e julho, o que ajudará a manter sua competitividade ante o novo Toyota Corolla (veja aqui).

NOVA CARROCERIA E OUTRAS MUDANÇAS

Nesta terceira geração, além do comprimento maior, a distância entre eixos aumentou três centímetros e soma agora 2,530 metros. E o rearranjo dos componentes desse novo projeto resultou em 12,2 centímetros a mais de espaço para as pernas de quem viaja no banco de trás. Uma das novidades do Fit 2015 é o modo Refresh de posicionamento dos bancos.

Com ele é possível deitar os encostos dianteiros e alinhá-los ao assento traseiro, em um encaixe que transforma seu interior numa grande cama se for preciso. O banco traseiro ganhou mais um centímetro em seu ajuste de distância, mas o volume declarado para o porta-malas está um pouco menor. Baixou de 384 para 363 litros.

Honda
Opção automática volta a ser do tipo CVT e trouxe ganho de economia em até 17%. Acabamento mantém o padrão habitual da Honda. Aumento de entre-eixos e outras mudanças permitem novo arranjo, em que os bancos podem virar uma grande cama.

Todas as versões do Fit têm agora motor 1.5 e sistema FlexOne, em que a injeção pré-aquece o combustível em dias frios antes de injetá-lo, dispensando o tanquinho de gasolina para partida a frio. O propulsor rende os mesmos 116 cv de potência com etanol e 115 cv com gasolina, mas recebeu mudanças que aumentaram seu torque de 14,8 para 15,3 kgf.m.

Outra mudança importante ocorreu na opção automática, que voltou a utilizar o sistema CVT, continuamente variável. A solução havia sido trocada por uma caixa automática convencional quando o Fit passou a utilizar motor flex. Sua volta nesta terceira geração resultou, segundo a Honda, em até 17% de economia na comparação com o Fit automático da geração anterior. De acordo com a Honda, com o novo câmbio CVT e em uso urbano o Fit faz 8,3 km/l com etanol e 12,3 km/l com gasolina. Na estrada, esses números sobem para 9,9 e 14,1 km/l, respectivamente.

O carro com câmbio manual também está mais econômico, em até 8%. Com essa transmissão e na cidade o Honda faz 8,3 km/l com álcool e 11,6 km/l com o derivado de petróleo. Na estrada os dados são 9,5 e 13,6 km/l.

VEJA A TABELA COM TODAS AS VERSÕES DO FIT 2015

DX manual: R$ 49,9 mil;
DX CVT: R$ 54,5 mil;
LX manual: R$ 54,2 mil;
LX CVT: R$ 58,8 mil;
EX CVT: R$ 62,9 mil;
EXL CVT: R$ 65,9 mil.

Comentários: 1
 

Maria de Fátima de Rooy
18/05/2014 | 09h02
Gostaria de saber se o Fit blindado pelo sistema Dupont Amura, continua com o mesmo desempenho.

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 22/11/2017
Frota brasileira de 42 milhões exige controle apropriado

Esta coluna é apoiada por:

Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
INOVAÇÃO | 25/10/2017
Indústria precisa questionar qual será o seu papel no futuro
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
AUTOINFORME | 09/11/2017
Luguez firmou parceria com o governo de Ohio
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
DE CARRO POR AÍ | 17/11/2017
Chineses entregam operação brasileira à administração dos brasileiros
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório