Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Duas Rodas | 27/06/2014 | 18h25

Revendas Kasinski estão minguando em São Paulo

Além de motos, faltam peças para atuais e antigos concessionários do Estado

MÁRIO CURCIO, AB

Um levantamento feito na sexta-feira mostra que a maior parte da rede Kasinski do Estado de São Paulo deixou de vender motos zero-quilômetro desta marca. Com situação ainda indefinida em relação ao novo sócio, a empresa está com a produção parada desde 2013 (veja aqui).

Dos 19 revendedores do Estado listados no site Kasinski, Automotive Business conseguiu ouvir 16. Destes, apenas seis continuam como concessionários. Nos outros dez existem casos de troca de bandeira, migração para o mercado multimarcas e há ainda os que passaram a vender apenas motocicletas usadas ou trabalhar como oficina.

A Konstru Motos, de Votuporanga, tornou-se Dafra. A empresa ainda tem peças de reposição Kasinski, mas atende os consumidores marca com dificuldade. “Falta tudo”, disse Marcos, do setor de assistência técnica, citando cabos e carenagens. A revenda ainda tem itens em estoque, mas seriam insuficientes para a demanda.

A MPB Motos, de Piracicaba, agora só tem motocicletas Kasinski usadas. A empresa enfrenta problemas para continuar assistindo usuários e dá preferência a clientes antigos da loja: “É difícil atender motos com histórico de problemas que vieram de outras concessionárias”, diz o profissional Nivaldo, que se empenha em reparar as motos Kasinski de sua região. “Noventa por cento da minha oficina tem casos desse tipo. Dá para resolver, desde que o cliente tenha paciência.”

A falta de peças de reposição é queixa generalizada nas revendas do interior do Estado. Na Fast Motos, de Barretos, que também deixou de revender as Kasinski zero-quilômetro, também ocorre a falta de carenagens de motos e scooters. “Temos motos paradas há três meses”, diz o vendedor Caio.

Em 14 de fevereiro, Cláudio Rosa Júnior, atual proprietário da Kasinski, afirmou que em no máximo 60 dias anunciaria a entrada de um novo sócio, um “fundo de participação”, que injetaria até R$ 30 milhões para a retomada da produção. Já se passaram mais de 130 dias e o parceiro ainda não foi revelado.



Tags: Motos, Kasinski, Cláudio Rosa Júnior, Konstru Motos, MPB Motos, Fast Motos.

Comentários

  • jose wilson santas melo

    eu tenho uma mirage 150 que esta com farol copo e suporte do painel massanetas pneu original e paralama dianteiro quebrado e nao encontro quem souber onde encontrar entre em contato com migo não gostaria de me desfazer desta moto

  • ricardo

    a Cars Trucks em Poços de Caldas tem várias peças e entrega para todo o Brasil, pelo menos eles ainda tem alguma coisa,

  • Adigon

    Até as autorizadas Kasinski estão reclamando da Kasinski https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=589776047787410&id=153225024775850

  • andre

    kasinski residis na rua anchieta,depois passou para rua paes leme.atualmente onde ela reside 20/09/2014

  • Everton

    Tenho uma prima 150, moro na Zona Sul de SP, todas as oficinas e revenda que conhecia fecharam, está dificil permanecer com essa moto, consegui achar uma assistencia tecnica somente no Taboão, por enquanto somente la que tem peça da prima 150, vou trocar por uma cityClass da dafra.

  • peres

    a Kasinsk já era, sou cliente antigo, ja tive trê modelos diferentes mas confesso que a chinesada deixou a marca na mão, caminhando pra sumir do mercado quem tem motos Kasinsk vai ficar no prejuízo, a minha atualmente está uma carniça, andando de teimosa. Uma pena.

  • jose

    bom eu tinha uma comet 150, e a cabei vendendo quase de graça, gostava dela mais ta muito dificio pra achar peças, atualmente estou querendo compra uma gtr 250 ou 650. mais cade os lançamento da kasinski 2014 e 2015. a e fica dificio.

  • Juliano

    Tenho uma Mirage 150 ano 2013 de uns tempos a moto só da problema. Acho que uma marca quer entrar no mercado tem que ter em primeiro lugar respeito para quem compra, pois agora estamos desabrigados e sem assistência. Se voltar ao mercador brasileiro que acho pouco provável que não, eu particularmente não compro mais Kasnisk, pela má qualidade das motos e pelo medo de comprar apenas uma marca e não qualidade. Quem quiser moto é Honda, Yamaha marcas solidas em nosso pais e não esses lixos coreanos. Estou muito insatisfeito pela Moto Mirage Kasinsk. Ela é igual ao Kinder ovo, toda vez que vai na oficina, tem uma surpresa, eu já abandonei a minha.

  • Antonio

    Boa tarde a todos !!! Que decepção !!!! Agora , com 62 anos que vou retornar a andar de Scooter , e a vinho com beje é muito simpática, estou estarrecido em ler está pagina !!!!! Desejo que a Kasinski se recomponha o mais breve possível , porque muitos , como eu, gostam da brasileirinha.Vou esperar um pouco .Abraços a todos . Ao dono da Kasinski !!! Não permita que aconteça , o que fizeram com o Gurgel.

  • rubens alves

    que pena eu com muita vontade de possuir uma kasinski mas agora com estas noticias como poderei realizar meu sonho

  • Susana

    Desejoque volte logo a kasinki para o mercado troquei minha Honda que foi uma decepção total por uma kasinki e estou muito contente não troco de moto nunca mais só por outra kasinki ????

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência