Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Duas Rodas | 04/07/2014 | 12h08

Motos têm forte retração de 18% no mês de junho

Com 103,8 mil unidades, período foi o pior desde fevereiro de 2013

MÁRIO CURCIO, AB

O segmento de motos zero-quilômetro foi o que teve a maior retração de emplacamentos no confronto de junho em relação a maio. As 103.869 unidades emplacadas resultaram em queda de 18%. Como comparação, a lacração de caminhões no período caiu 17%, a de ônibus, 12,45%, a de comerciais leves, 10,8%, e a de automóveis, 9,5%. Os números foram divulgados pela Fenabrave, federação que reúne as associações de concessionários.

Junho foi o pior mês para o setor de motocicletas desde fevereiro de 2013 (com 101,9 mil unidades). No acumulado de 2014, as 717,7 mil motos emplacadas resultam em pequena queda de 4,1% ante igual período do ano passado.

A retração no sexto mês confirmou a previsão das fabricantes. Desde o início do ano elas já temiam que o menor número de dias úteis, associado ao comprometimento da renda dos motociclistas com a compra de televisores, prejudicaria as vendas durante o torneio de futebol. Fábricas e concessionários realizaram promoções e até lançaram produtos (veja aqui) como forma de tentar reduzir os efeitos da competição.

RESULTADOS POR FABRICANTE

Neste primeiro semestre a Honda teve 576,8 mil motos emplacadas, o que resultou em queda de 4,5% ante igual período de 2013. Como detém mais de 80% do mercado, ela foi quase um retrato do que ocorreu com o setor. A vice-líder Yamaha teve 90,2 mil unidades emplacadas, 15,5% a mais que no primeiro semestre de 2013. Seu crescimento se deve aos modelos Fazer 150 e Crosser 150, dois novos produtos de baixa cilindrada que vêm ajudando a marca a enfrentar o período difícil.

A Dafra, que neste ano subiu da condição de quarta para terceira maior fabricante, teve 10,4 mil unidades emplacadas, anotando queda de 20% ante os seis primeiros meses de 2013. A Suzuki, agora a quarta, teve 7,8 mil motocicletas emplacadas em 2014, uma retração de 47,2%. A Shineray manteve-se em quinto lugar, mas, com 5,4 mil motos, caiu 26,1% ante os seis primeiros meses do ano passado.

Com 3,5 mil motos lacradas neste primeiro semestre, a Kawasaki também teve retração importante, de 29,4%. Há um ano ela era a sexta maior fabricante, posição ocupada agora pela BMW, que teve 4.057 motos emplacadas neste primeiro semestre e cresceu 11,2%. Está à frente da Harley-Davidson, cujas 3.665 unidades resultaram em pequena queda ante os seis primeiros meses de 2013.



Tags: Motos, motocicletas, Abraciclo, Fenabrave, automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, Honda, Yamaha, Suzuki, Dafra, Shineray, BMW, Harley-Davidson, Fazer 150, Crosser 150.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência