Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 29/07/2014 | 20h40

Lucro líquido do Grupo Volvo dobra no primeiro semestre

Crescimento em mercados maduros compensam perdas em emergentes

REDAÇÃO AB

No primeiro semestre, o Grupo Volvo registrou lucro líquido de € 399,6 milhões, o dobro do resultado verificado em igual intervalo do ano passado, quando os ganhos somaram € 199,8 milhões, conforme relatório financeiro divulgado pela companhia. O lucro operacional aumentou expressivos 55,7%, ao atingir € 634,2 milhões no período. As vendas globais do grupo, incluindo caminhões, ônibus e máquinas de construção, somaram o total de 148,1 mil unidades, representando queda de 7% sobre o volume da primeira metade do ano anterior. Apesar disso, o faturamento global aumentou em 5,3%, para o equivalente a € 15 bilhões.

Na divisão de caminhões, o faturamento global subiu 5% no semestre, para pouco mais de € 10 bilhões, com vendas 12% acima do volume anotado há um ano, para 116,3 mil unidades. O impulso veio das melhoras dos mercados europeu e norte-americano:

“Nos seis primeiros meses de 2014, a demanda na Europa tem melhorado gradualmente após a transição para o novo padrão de emissão Euro 6, que entrou em vigor em janeiro deste ano. Apesar disso, a demanda na Rússia tem sido afetada pela turbulência política na região. Por outro lado, o mercado de caminhões na América do Norte aumentou 10% e a confiança na economia continua a crescer, assim como a demanda no setor de construção. Já na América do Sul, o resultado tem sido afetado pelas vendas menores do mercado brasileiro de caminhões, que diminuíram 8% no período, e pelo baixo crescimento do PIB e menor atividade econômica em todo o continente, particularmente no Brasil, onde os clientes também estão cautelosos antes das próximas eleições”, avalia o CEO do Grupo Volvo, Olof Persson.

No segmento de ônibus, a companhia registrou incremento de 8,7%, para € 885,3 milhões, com vendas globais de 3,9 mil unidades entregues, alta de 2%. A América do Sul lidera as vendas da Volvo, com pouco mais de 1,3 mil unidades entregues (€ 129 milhões, +44%), aumento de 21% sobre o primeiro semestre do ano passado, deixando a Europa em segundo lugar em volume de vendas, com 1,05 mil unidades, mas com índice maior de crescimento, 3% (€ 315 milhões, +7,5%).

Já as entregas de máquinas da divisão Volvo Construction relataram queda de 6% no primeiro semestre sobre iguais meses do ano passado, para 36,1 mil unidades.

O executivo reforça que no decorrer do ano, o grupo dará continuidade a estratégia implementada nos últimos dois anos como objetivo de garantir maior rentabilidade até o fim de 2015. Entre as ações, Olof cita a revisão de preços dos caminhões e foco na redução de custos operacionais:

“O programa está progredindo conforme o planejado e estamos começando a ver os efeitos positivos da todas as decisões que tomamos em 2012 e 2013. Estamos ligeiramente adiantados com relação ao nosso objetivo de aumentar a margem bruta de nossos caminhões por meio de uma melhor realização de preços, ao mesmo tempo em que vamos reforçar o foco na redução nossos custos. Entre as medidas que vamos implementar estão a redução da nossa produção e dos custos de materiais, incluindo a melhora da produção de caminhões na Europa, que ganhará novo vigor até 2015, como planejado. Por exemplo, durante o último trimestre, consolidamos a produção de caminhões médios na região, passando de duas para apenas uma planta.”

Para o executivo, com todas as atividades e medidas adotadas atualmente, o Grupo Volvo mantém a perspectiva de alcançar lucro acima de € 970 milhões até 2015, conforme já havia divulgado previamente.



Tags: Volvo, lucro, receita, faturamento, lucro operacional, caminhões, ônibus.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência