Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Crédito | 19/08/2014 | 19h04

Inadimplência recua no semestre, para 4,9%, aponta Anef

Enquanto liberação de recursos para financiamentos de veículos cai

REDAÇÃO AB

A inadimplência no setor de veículos, caracterizada pelos atrasos nos pagamentos dos financiamentos acima de 90 dias, caiu em junho, fechando o primeiro semestre em 4,9%, o que representou recuo de 0,1 ponto porcentual na comparação com o indicador verificado no mês anterior, segundo dados disponíveis pela Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef). O dado considera os empréstimos feitos pelos bancos via CDC para pessoas físicas.

No acumulado dos seis primeiros meses do ano, as quedas somam 0,3 p.p, enquanto os atrasos inferiores a 90 dias mantiveram estabilidade, fechando junho em 8,1%.

Por outro lado, apesar do maior controle do consumidor, a oferta de crédito segue tendência de baixa: em junho, os recursos liberados pelos bancos de montadoras somaram R$ 8,5 bilhões, 8,8% abaixo do resultado de maio, quando foram liberados R$ 9,3 bilhões, além de queda de 3,3% sobre igual mês de 2013, quando R$ 8,8 bilhões foram disponíveis para os financiamentos. Já no semestre, os recursos somaram R$ 55,5 bilhões, alta de 2% sobre mesmo intervalo do ano passado.

O movimento de retração sentido na passagem de maio para junho pela Anef é atribuído ao menor volume de vendas de veículos, que continua com tendência de queda neste mês (leia aqui).

Com isso, o saldo das carteiras, na soma do CDC e leasing para pessoas físicas e jurídicas, apresentou retração de 0,9% em junho contra maio, passando para R$ 217,1 bilhões. Sobre igual mês de 2013, a redução é mais contundente, de 7,7%.

Para fugir da estagnação, os bancos das montadoras mantiveram as taxas de juros, em 1,41% ao mês e 18,3% ao ano. Os planos máximos disponíveis continuaram em 60 meses, enquanto o prazo médio fechou junho em 41 meses.

O CDC continuou como a modalidade preferida dos consumidores para a aquisição de veículos leves, com 52% de participação, seguida pelos pagamentos à vista, com 38%. Consórcio e leasing representaram 8% e 2% dos pagamentos, respectivamente. Já para caminhões e ônibus, o Finame PSI lidera isoladamente, com 71% das compras, pagamentos à vista somou 14%, CDC, 11%, consórcio, 2%, e leasing e leasing Finame fecharam em 2% cada.

No mercado de duas rodas, os bancos de montadoras observaram que as vendas à vista e as feitas por consórcio empataram com 34% de participação, enquanto CDC ficou com 32%.



Tags: Inadimplência, financiamentos, CDC, leasing, consórcio, Anef.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência