Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Internacional | 27/08/2014 | 18h20

Kia terá fábrica de US$ 1 bilhão no México

Com capacidade de 300 mil unidades/ano, planta fará Cerato e Sportage

REDAÇÃO AB

A coreana Kia deverá em breve se juntar ao crescente grupo de fabricantes de veículos que constroem fábrica no México. De acordo com fontes do governo mexicano citadas pela agência Reuters, a montadora investirá US$ 1 bilhão em uma planta com capacidade para 300 mil unidades/ano no Estado de Nuevo Leon, ao norte do país. O início da produção está previsto para o primeiro semestre de 2016 e o primeiro modelo a sair da linha de montagem mexicana da Kia deverá ser o Forte, conhecido no Brasil como Cerato – um sedã médio para os padrões brasileiros, mas considerado compacto na América do Norte. Também estaria nos planos o utilitário esportivo Sportage.

De acordo com a Reuters, o presidente mexicano Enrique Peña Nieto disse em um evento na Cidade do México que o investimento da Kia deverá atrair US$ 1,5 bilhão adicionais de fornecedores, que deverão acompanhar a montadora.

A Kia segue o rastro de diversos investimentos de fabricantes de veículos no México, que já somam cerca de US$ 10 bilhões. Em julho passado a alemã BMW anunciou fábrica de US$ 1 bilhão, menos de um mês após a Nissan divulgar que erguerá nova planta no país em conjunto com a Daimler, ao custo de € 1 bilhão, para produzir carros Inifiniti e Mercedes-Benz. Recentemente, a japonesa Mazda começou a produzir no México. A Audi fabricará o Q5 por lá a partir de 2016. Todos buscam os custos trabalhistas baixos dos mexicanos e o acesso livre de tarifas ao mercado dos Estados Unidos, o segundo maior do mundo em volumes, mas certamente o primeiro em valor agregado médio por cada carro vendido.

A partir do México, a Kia também poderá ter acesso ao mercado brasileiro sem pagar imposto de importação. Os dois países têm acordo de livre comércio de automóveis, mas desde 2012 foi imposto regime de cotas sem a cobrança de alíquotas, previsto para acabar em março de 2015, quando em tese o fluxo comercial deveria voltar sem restrições.

Com isso, a Kia poderia reduzir sua dependência de exportações da Coreia para atender os mercados das Américas. No país de origem a montadora enfrenta custos trabalhistas crescentes e desvantagem cambial com a valorização do won diante do dólar, o que vem impactando a competitividade global da marca. Veículos montados na Coreia responderam em 2013 por 57% das vendas globais da Kia, enquanto para a marca Hyundai, que pertence ao mesmo Grupo Hyundai, esse porcentual cai para 38%, devido ao maior número de fábricas em outros países.

Nos Estados Unidos, opera no limite da capacidade a planta do grupo localizada no Estado da Georgia, que produz o Hyundai Santa Fe e os Kia Sorento e Optima. As vendas da Kia no mercado americano cresceram 7% nos primeiros sete meses de 2014, para quase 350 mil unidades, impulsionadas pela boa aceitação dos crossovers Soul e Sportage. Com isso, a marca superou o desempenho da irmã Hyundai, que avançou apenas 1% de janeiro a julho, enquanto a média de crescimento no país foi de 5% no mesmo período.



Tags: Kia, México, fábrica, investimento, Cerato, Forte, Sportage.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência