Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Insumos | 12/09/2014 | 16h25

Basf fornece diferentes componentes para BMW i3

Reforço da fibra de carbono é um dos itens desenvolvidos pela empresa química

REDAÇÃO AB

A Basf desenvolveu uma série de novos componentes plásticos para equipar o BMW i3, o primeiro elétrico da marca e que acaba de chegar ao Brasil (leia aqui). Entre os produtos, estão o encosto dos bancos dianteiros, o banco traseiro tipo concha e partes do reforço no corpo de fibra de carbono.

“Trazendo toda nossa experiência em plásticos podemos oferecer soluções customizadas para consumidores inovadores, tais como o Grupo BMW e seus fornecedores mundiais, bem como fornecer apoio durante a construção de componentes. Com o BMW i3, o grupo BMW deu um passo à frente para o futuro da indústria automotiva, e as soluções inteligentes da Basf contribuem muito para isso”, disse Raimar Jahn, responsável global de Materiais de Performance da Basf.

No caso do encosto dos bancos dianteiros, é o primeiro componente estrutural revestido e moldado pelo processo de injeção feito de poliamida a ter uma superfície visível e a ser utilizada no interior de um veículo. Pesando dois quilos, o componente híbrido é feito em poliamida 6, com alto nível de estabilidade.

Já a concha do banco traseiro é feita de poliuretano: pela primeira vez um veículo de produção em série utiliza fibras de carbono combinadas com a matriz de poliuretano. O componente também pode ser empregado em outras aplicações, como porta-copos e bandeja e armazenamento.

O chassi do veículo, que leva alumínio e fibra de carbono contém partes estruturais de tereflato de polibutileno (PBT), entre a concha interna e externa. O maior componente é feito a partir do processo de injeção e localizado na área traseira, entre as conchas de fibras de carbono. Além de sua função de suportar cargas, também serve para manter as duas células da concha separadas e formar a abertura traseira para a janela lateral. Outras duas dúzias de componentes menores são integrados em outras áreas do corpo do veículo, onde fornecem reforço e alcançam a acústica desejada.

Uma espuma estrutural é usada como material de reforço em toda a armação do teto. Resistente à pressão, é fabricada para um composto ‘sanduíche’ de carbono, suportando dessa forma a estrutura rígida do veículo.

Outras partes do veículo também contam com matéria-prima da Basf, tais como o poliuretano para a caixa de fusível, conector de alta voltagem e o revestimento de cabos e prensa-cabos. No interior, uma espuma semirrígida é usada para proteger o painel de instrumentos. Outras duas espumas diferentes de poliuretano servem de base para a construção do forro do teto para melhorara a acústica.

Já no módulo de produção do teto retrátil – oferecido como item opcional – é aplicado um sistema de encapsulamento de vidro, para resistência às intempéries, enquanto a armação do teto retrátil é feita de uma mistura de PBT e PET de baixo empenamento. Por fim, as molas encontradas nas suspensões de eixo dianteiro e traseiro são feitas de um elastômero especial micro celular.



Tags: Basf, BMW, i3, plástico.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência