NOTÍCIAS
07/11/2014 | 19h50

Lançamentos

Chevrolet Spin Activ chega a partir de R$ 62.060

Minivan da GM passa a ter versão com apelo aventureiro


MÁRIO CURCIO, AB

Opção automática eleva o preço para R$ 65.860
A rede Chevrolet começa a vender no fim deste mês a Spin Activ, versão com apelo fora de estrada da minivan lançada em junho de 2012. O carro parte de R$ 62.060 com câmbio manual de cinco marchas e passa a R$ 65.860 quando equipado com a transmissão automática de seis velocidades. O motor é o mesmo Econo.Flex 1.8 com até 108 cavalos que equipa a Spin desde o lançamento.

A alteração mais evidente para as demais versões (LT e LTZ) é o estepe fixado do lado de fora da carroceria. Os para-choques também são diferentes. As rodas de 16 polegadas e os pneus de uso misto são exclusivos desta versão, assim como as faixas laterais. Com a nova opção, a minivan amplia a chance atrair consumidores com família.

“Acreditamos que a Activ responderá por 20% a 25% das vendas do modelo”, diz a gerente de marketing Juliana Fukuda. No acumulado de janeiro a outubro a Spin teve 30,4 mil unidades emplacadas e foi o 11º carro mais vendido no atacado (para frotistas em regra), mas no varejo (aquisição por consumidores comuns) ocupou só o 26º lugar.
Chevrolet
Spin Activ tem novos para-choques, rodas maiores e pneus de uso misto. A movimentação do estepe é fácil e combina uma trava elétrica a outra mecânica.

Diferentemente da Spin LTZ, a Activ só é vendida com cinco lugares: “Percebemos por pesquisas que a prioridade dos clientes era o espaço para bagagem”, afirma Juliana. O porta-malas é mesmo grandão e comporta 710 litros.

A versão aventureira se apoia em outros dados importantes, como o crescimento de 30% ao ano do ecoturismo no Brasil e de 11% na prática de esportes no País entre 2009 e 2013. Com a nova aparência, a Spin poderá até concorrer com utilitários esportivos como Ford EcoSport e Renault Duster e atender clientes que entram numa concessionária Chevrolet mas ainda não alcançam um Tracker, que parte de R$ 82.050.

AJUSTES NECESSÁRIOS

Com as novas rodas e pneus a Spin Activ ficou oito milímetros mais alta. Esse fato somado ao reposicionamento e fixação do pneu reserva obrigou a General Motors a recalibrar as suspensões. Houve mudanças também na transmissão. “O diferencial é mais longo para propiciar redução de consumo e aumento do conforto”, afirma o diretor de powertrain, Paulo Riedel. Esse conforto vem da redução do nível de ruído do motor. Como compensação, a primeira e a ré foram encurtadas para manter a capacidade de subida de rampas.

COMO ANDA A SPIN ACTIV

Assim como ocorreu no lançamento da Spin há pouco mais de dois anos, Automotive Business avaliou duas versões, uma manual e outra automática. As principais impressões se repetiram: embora com apenas 108 cv, o motor 1.8 com bloco de ferro fundido e cabeçote de alumínio resulta em desempenho aceitável para a Spin Activ porque tem boa força em baixas rotações. O torque máximo com etanol é de 17,1 kgf.m a 3,2 mil rotações por minuto.

Segundo a GM, com câmbio manual e abastecida com etanol o novo carro atinge 168 km/h de velocidade máxima e acelera de zero a 100 km/h em 11,7 segundos. Com a transmissão automática os números são um pouco piores, 165 km/h e 12,5 segundos.

A transmissão manual tem engates fáceis e a automática é de uma nova geração, como a que passou a equipar a versão 2015 do Cruze. Suas trocas de marcha ficaram mais rápidas e, no modo sequencial, continuam sendo feitas por um botão na alavanca. Não há borboletas atrás do volante.

A Activ foi apresentada na mesma pista do campo de provas em que avaliamos o carro pela primeira vez. O traçado tem 3,6 quilômetros e alterna asfalto liso, ondulado, paralelepípedo, retas curtas e curvas fechadas. Como essa pista fica no meio de uma floresta, é fácil imaginar-se nesse cenário com uma família dentro do carro. Esse sentimento já havia sido experimentado em 2012 e se repetiu com a Activ. Nas poucas voltas dadas não se ouviu barulho vindo do estepe externo. Ele tem três pontos de apoio quando fechado, é bem fácil de movimentar e tem uso intuitivo.
Chevrolet A única opção da Activ é o câmbio automático. O carro traz central multimídia Mylink com tela de sete polegadas. Os revestimentos internos da nova versão são pretos em vez de marrons e os bancos têm listras.

Comentários: 4
 

Claudionor
09/11/2014 | 16h53
O estepe na traseira da Spin é ridículo. Mas o pior é não ter cinto de 3 pontos e sequer encosto de cabeça para todos. Se acha que isso não é tão importante veja o vídeo: http://youtu.be/HC2ASk40HxU

Carlos Roberto
14/11/2014 | 08h12
Que piada, carro aventureiro com motor de 108 hp ??? e o preço $ 62.000 ??? o que a GM pensa, que aqui tem muito imbecil ???

EDSON LAURENTINO SILVA
22/04/2015 | 21h29
VISITEI UMA DAS CONCESSIONARIAS EM NOSSA CIDADE, PARA SABER DE INFORMAÇOES SOBRE CONSORCIO, E DEPAREMOS COM O SPIN ACITV, EU E ESPOSA, EMBORA NAO TENHA ADENTRADO NO VEICULO, ACHAMOS O MAXIMO DE AUTOMOVEL, UM CARRO MUITO ATRAENTE, SOMENTE TESTANDO AO DIRIGIR VAMOS SABER DO QUE CARRO TEM DE CONFIAVEL E DE BOM, GOSTO MUITO DE CARRO GRANDE, VOU FAZER UM ESFORÇO PARA ADQUIRIR DE PREFERENCIA O AUTOMATICO, COM ISENÇAO DE IPI E ICMS, POIS A ESPOSA TEM ESSE DIREITO, A MESMA SOFREU UM ACIDENTE E INFELIZMENTE ELA DEIXOU DE TER A CAPACIDADE TOTAL DOS MOVIMENTOS, COMO FORÇA NA PERNA ESQUERDA. BOA IDEIA DO LANÇAMENTO, PARABENS A EQUIPE DE ENGENHEIROS.

CLEIDMAR CARNEIRO
08/09/2015 | 18h07
PARABÉNS!!! Eu fui fã da zafira,mas qdo vi a spin activ me apaixonei com o modelo, e determinei que eu vou comprar uma ( sou dona de casa ,casada e tenho 4 filhos) preciso desse carro para fazer a obra de DEUS, levar meus filhos para escola e para passear é ideal esse é os objetivos principal,não tenho carta ainda e nem dinheiro,mas o meu PAI é dono do ouro e da prata ,sou a filha serei contemplada em nome de jesus!!! que DEUS continua iluminando e cingindo de força e aperfeiçoando nos seus projetos e sonhos com determinação ,fé e esperança toda a equipe da chevrolet que a marca brasileira. felicidades

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 11/10/2017
Montadoras decretam fim da crise e já desfrutam de trajetória de recuperação

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement
DE CARRO POR AÍ | 13/10/2017
Com Jumpy, marca avança em novo território
AUTOINFORME | 11/10/2017
Onix e HB20 elevam o patamar de entrada no mercado brasileiro
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
INOVAÇÃO | 15/08/2017
Indústria automotiva precisa abrir os olhos para novas formas de trabalhar
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes