Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 18/11/2014 | 20h45

Realista, Iveco vê crescimento tímido em 2015

Participação sobe 1 ponto porcentual, projeta diretor comercial Paulo Goddard

SUELI REIS, AB | De Barueri (SP)

Há quatro meses na Iveco, o novo diretor comercial Paulo Goddard aposta em uma previsão de mercado mais realista do que pessimista para 2015, conforme sua própria análise. Transferido da divisão de automóveis da Fiat para o Grupo CNH, o agora coordenador de estratégias de negócios para o segmento de caminhões espera por um horizonte menos árduo do que este ano e embora seja tímido, aposta em crescimento.

“O mercado deve fechar 2014 com 150 mil unidades, com uma fatia (para a Iveco) entre 8,5% a 9%. Considerando a conjuntura que se apresentou neste ano, imagino ser este um mercado ainda bom. Para 2015, projetamos um cenário em linha com este ano com a meta de crescer um ponto porcentual”, afirma.

Nesta reta final do ano, a montadora confirma o movimento de antecipação de compra devido ao fim do prazo de contratos via Finame PSI simplificado válido até 21 deste mês, contudo avalia que o ritmo da procura é menos acelerada se comparada com igual período do ano passado, quando havia cenário semelhante e estava confirmado o fim da menor taxa de juros para financiamentos via PSI.

“Estamos confiantes de que o governo não vai deixar um cenário de insegurança: em dezembro deverá anunciar as condições para 2015. Com isso, acreditamos que o primeiro trimestre não será um período tão difícil quanto foram os primeiros três meses deste ano”, relata.

Paulo também relembra a trajetória da Iveco, cuja participação dobrou entre 2006 e 2013. Sob sua supervisão, a estratégia atual de negócio será focada em reforçar o trabalho na rede de concessionária, hoje formada por 100 pontos de venda e que em 2015 seguirá sem planos de expansão. Para Goddard, o sucesso está na capilaridade e na diversificada gama de produtos.

“Neste momento, avaliamos que não é necessário expandir a rede porque já cobrimos todo o território nacional. Vale lembrar que a Iveco mantém a meta de ser uma montadora full line com o objetivo de oferecer o produto de acordo com a necessidade do cliente. Acabamos de lançar o Tector Economy: com ele, estamos entrando em um segmento importante e nosso produto traz o diferencial da economia de combustível. Vamos em busca de 10% de participação neste segmento de 15 toneladas, muito forte em centros urbanos, como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Curitiba. Concentrar esforços no test drive é a forma de chegar nesse cliente”, aponta (leia aqui).

Ele também lembra que a chegada de novos integrantes da família Economy em 2015, que estreou com o novo Tector, deve garantir a manutenção das vendas nas demais categorias. “O novo motor do Tector Economy foi projetado exclusivamente para este modelo, mas o conceito de maior economia sem comprometer o desempenho pode evoluir para outras aplicações, como micro-ônibus.”

Quem deve ditar o próximo passo é a segmentação do mercado e isso dependerá exclusivamente de cenários macroeconômicos. “A estabilidade da distribuição do comércio varejista, o agronegócio, indústria e demais atividades essenciais não devem apresentar nenhuma variação muito expressiva no ano que vem”, projeta. “Devemos seguir com o Daily (leve) como líder de nossos negócios; Vertis e Tector, nas categorias semipesado e médio, têm a segunda melhor colocação dentro de nossas vendas, enquanto o extrapesado Stralis tem tido uma boa aceitação no mercado.”



Tags: Iveco, caminhão, mercado, vendas, Finame, PSI, Paulo Goddard.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência