Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Indústria | 01/12/2014 | 16h30

Dürr cresce com investimentos de fábricas no Brasil

Empresa completa 50 anos no País com avanço de 30% nas vendas em três anos

PEDRO KUTNEY, AB

Ao completar seu cinquentenário no Brasil como primeira subsidiária fora da Alemanha, a Dürr comemora também crescimento expressivo do faturamento no País. Apesar da contração dos negócios dos principais clientes, as montadoras, as receitas cresceram 30% nos últimos três anos, o melhor resultado entre os Brics, somando € 200 milhões em 2013, perto de 8% das vendas globais da companhia, que fornece a todos os fabricantes de veículos no mundo equipamentos e robôs para cabines de pintura e linhas de montagem final, além de projetos de engenharia para plantas. “Nossos resultados no Brasil avançaram porque estão diretamente ligados aos vultosos investimentos do setor automotivo em modernização, ampliação e construção de novas fábricas”, explica Ralf Dieter, CEO global da Dürr, que esteve em São Paulo na semana passada para as comemorações do aniversário de 50 anos da filial brasileira.

Os bons resultados, contudo, começam a ser afetados pelo cenário econômico desfavorável. “Este ano foi mais difícil para nós e deveremos fechar com faturamento quase igual ao de 2013”, afirma Dieter. Para o executivo, os investimentos anunciados das montadoras no País, que segundo a associação dos fabricantes, a Anfavea, devem superar R$ 75 bilhões de 2013 até 2018, “são factíveis, mas podem acontecer com intensidade menor, pois foram programados em momento mais favorável, quando havia grande crescimento da demanda”. Para 2015, as projeções são melhores: “Deverá ser um ano positivo, pois não existem os fatores negativos que impactaram no desenvolvimento do País em 2014.”

Dieter estima que os investimentos, mesmo que em velocidade menor, vão continuar acontecendo no País, por isso a Dürr vem se preparando para atender a demanda em crescimento das montadoras e alguns de seus fornecedores – o setor automotivo é responsável por 80% do faturamento global e no Brasil esta proporção se repete. Em 2012 foi implementado um plano de crescimento da subsidiária brasileira até 2017, com investimentos de € 2 milhões a € 3 milhões para o período. Desde então, o número de funcionários mais que dobrou, de 130 para 300, a maioria engenheiros envolvidos em quase 200 projetos. “Somos essencialmente uma firma de engenharia, fornecemos além dos equipamentos todo o serviço de projeto de uma fábrica”, diz o CEO.

POUCA NACIONALIZAÇÃO

Apesar da expansão das vendas, a Dürr produz pouca coisa no País; essencialmente são feitas aqui operações de montagem de maquinário importado de outras 20 fábricas do grupo no mundo, principalmente equipamentos que vêm do México e robôs de pintura da matriz, na Alemanha. O índice de nacionalização dos produtos vendidos no mercado brasileiro não passa de 10%, segundo Dieter. O problema é a falta de escala para compensar a produção local: “Em apenas um ano montamos mais cabines de pintura na China do que fizemos aqui em 10 anos”, conta. A expansão no mercado chinês é de fato exponencial, já representa de 30% a 35% do faturamento global e a Dürr já tem mais de uma dúzia de plantas no país.

O maior negócio da Dürr são as cabines de pintura da indústria automobilística (mais de 60% do faturamento global), justamente a área de manufatura que representa o maior gargalo produtivo de qualquer fábrica do setor. “Se você tem uma cabine para 30 carros por hora, talvez consiga chegar a 32, mas nunca a 40. Por isso, em qualquer plano de expansão, é preciso fazer um setor de pintura completamente novo”, explica Dieter. Segundo ele, cada projeto nessa área pode custar de € 50 milhões a € 150 milhões, dependendo do tamanho e tipos de equipamentos empregados. “Sempre existem investimentos constantes nessa área, nosso desempenho pode variar um pouco de um ano para outro, mas a tendência é de crescimento constante”, avalia o executivo.

No Brasil, a Dürr chegou em 1964 para atender a Volkswagen e hoje detém 80% de participação no fornecimento de robôs de pintura e selagem (já tem 600 em atividade no País) para fábricas instaladas e novas, também tem 80% do mercado de máquinas de balanceamento de rodas e fornece mais de 70% de outros equipamentos utilizados na manufatura, como lavadores secos mecânicos, testadores de limpeza de peças e transportadores rotativos, além de projetos virtuais de plantas.



Tags: Dürr, indústria, engenharia, pintura, montagem, aniversário, 50 anos.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência