NOTÍCIAS
08/12/2014 | 23h02

Lançamentos

Citroën torna flex seu motor 1.6 turbo

C4 Lounge já recebe o novo propulsor, que saltou de 165 para até 173 cv


MÁRIO CURCIO, AB

C4 Lounge THP Flex parte de R$ 78.790
As concessionárias Citroën começam a vender nos próximos dias o C4 Lounge com motor turbinado 1.6 THP Flex. O modelo chega em duas opções: Tendance, por R$ 78.790, e Exclusive, por R$ 85.490. Em vez dos 165 cavalos do THP a gasolina, o novo propulsor bicombustível produz até 173 cavalos com etanol. Com o derivado de petróleo agora são 166 cv.

Este é o primeiro motor flex com turbo e injeção direta do grupo PSA Peugeot Citroën. No Brasil, porém, a pioneira foi a BMW com o 320i - coincidência ou não, o 1.6 THP da PSA foi desenvolvido em sociedade com a BMW.

“Estudamos a utilização do flex em todos os carros que já têm o 1.6 THP”, afirma o diretor da Citroën do Brasil, Francesco Abbruzzesi. Este é o caso da linha DS, cujos modelos à venda no País são equipados com o 1.6 THP a gasolina.

“Este motor flex também estará no Peugeot 2008”, recorda o responsável pelo projeto do novo propulsor na América Latina, Maurício Mendes. O sedã Peugeot 408, que também tem a opção 1.6 THP, não deve demorar a receber o propulsor bicombustível.

Uma mudança que acompanha o novo C4 Lounge Flex é a terceira geração da transmissão automática Aisin de seis marchas, que passou por uma evolução para redução de atrito, está com as relações de marcha 11% mais longas e trouxe economia de 7,5% de combustível.

O THP Flex foi desenvolvido por engenheiros da Citroën do Brasil, Argentina e França. Participou também a Bosch, responsável por fornecer o sistema de controle do motor. A empresa fornece uma nova bomba de combustível de alta pressão (são 200 bars, ante 120 bars da versão a gasolina), os bicos injetores, a rampa de injeção e sensores. O motor é fabricado na França, de onde segue para a Argentina, já que o C4 Lounge vendido no Brasil é montado no país vizinho, na fábrica de El Palomar.

Outros componentes do motor foram modificados ou receberam algum tipo de tratamento por entrar em contato com etanol ou com o óleo, caso do cabeçote, dos pistões, anéis, bronzinas, injetores e dos mancais do turbocompressor (fornecido pela BorgWarner). As velas de ignição também são novas.

Citroën
C4 Lounge é espaçoso e tem bom nível de equipamentos desde a versão de entrada. Câmbio automático de seis marchas fica devendo aletas para trocas de marcha atrás do volante

SEDÃS E CONSUMIDORES

Os sedãs vivem um bom momento no Brasil. Em 2010 eles respondiam por 37,7% do mercado e hoje detêm 51,8%. Uma pesquisa apresentada pela Citroën também mostra que o perfil dos compradores desse tipo de carro vem mudando, com cada vez menos consumidores casados e aumento da proporção de homens.

“Esses clientes procuram carros modernos. “Quando as vendas do C4 Lounge 1.6 THP a gasolina começaram, em julho, imaginávamos para ele 30% do mix, mas essa proporção passou a 60%”, diz Abbruzzesi.

BOM DESEMPENHO

Confortável e com bom espaço interno, o C4 Lounge THP Flex é agradável de dirigir e anda muito bem. Automotive Business avaliou o carro em rodovias do Estado de São Paulo por cerca de 200 quilômetros. As acelerações e retomadas de velocidade são sempre rápidas. Segundo a Citroën, o sedã acelera de zero a 100 km/h em 8,9 segundos quando abastecido com etanol. Com gasolina o tempo sobe para 9,2 s. A velocidade máxima é de 214 km/h com qualquer um dos combustíveis.

O C4 Lounge tem comandos bem localizados e fáceis de usar. Desde a versão Tendance o carro traz bancos de couro, ar-condicionado com duas zonas distintas de temperatura, câmbio automático sequencial de seis marchas, sistema multimídia com navegação e tela de sete polegadas. Os controles eletrônicos de tração e estabilidade ajudam a aumentar a segurança.

A Exclusive traz a mais o teto solar elétrico, os sensores de estacionamento dianteiros, a partida por botão no painel e os retrovisores rebatíveis, entre outros detalhes. Poderia ter também as aletas para trocas de marcha atrás do volante.

CITROËN E O MERCADO

A Citroën deve fechar 2014 com cerca de 52 mil unidades e queda de mais de 20% em relação a 2013. Abbruzzesi atribui o fato a diferentes motivos: “Parte disso vem da própria queda do mercado, da renovação de parte de nossa gama e também porque reduzimos a venda de importados por causa da alta do dólar”, explica o executivo, que busca aumentar a rentabilidade do negócio com menores volumes.

“Deveremos fechar o próximo ano com 2% a 3% de crescimento ou com resultado semelhante ao deste (52 mil veículos)”, afirma o diretor da Citroën. “Nossos principais produtos ainda serão o C4 Lounge, o C3 e o Aircross e faremos um grande trabalho sobre a marca DS”, diz.

Comentários: 2
 

sidney militao araujo
11/12/2014 | 18h23
boa tarde. gostaria de saber a data correta em q possamos ir a uma concessionaria, e encontrar o veiculo C4LOUNGE- EXCLSIVE.p comprar, pq até então só no site. espero uma resposta, estou esperando desde 27 de Setembro de 2014. aguardo uma resposta. OBS:C-4 LOUNGE EXCLUSIVE-FLEX. No Aguardo. grato.

Deisy
30/07/2015 | 11h51
Comprei esse carro... ele é maravilhoso... nunca mais vou querer dirigir outro carro.... o meu é o top.... realmente ele é top....

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 15/11/2017
Mudança na mobilidade domina discussões do Congresso SAE Brasil

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
DE CARRO POR AÍ | 17/11/2017
Chineses entregam operação brasileira à administração dos brasileiros
INOVAÇÃO | 25/10/2017
Indústria precisa questionar qual será o seu papel no futuro
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
AUTOINFORME | 09/11/2017
Luguez firmou parceria com o governo de Ohio
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro