Automotive Business
  

Notícias

Ver todas as notícias
Caminhões têm 1º bimestre nulo

Mercado | 05/03/2015 | 19h20

Caminhões têm 1º bimestre nulo

Produção caiu 44% e os licenciamentos declinaram 40% no início de 2015

VICTOR FRANÇOIS, AB

Os dois primeiros meses do ano de 2015 foram nulos para o setor de caminhões, que de forma geral apresentou queda próxima a 40% nos licenciamentos se comparados ao primeiro bimestre de 2014, quando foram licenciados 21.215 caminhões, ante os 12.857 deste ano. De acordo com a Anfavea, Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, a queda na produção de caminhões no período foi ainda maior, de 43,9%, com apenas 16,2 mil unidades fabricadas este ano. No comparativo entre fevereiro deste ano com o do ano passado a queda na produção foi de 48,7%.

- Veja aqui os dados da Anfavea

A queda do setor foi puxada principalmente pelos pesados, que registraram expressivo recuo de 72,1% nos emplacamentos de fevereiro na comparação com o mesmo mês de 2014. No bimestre a retração acumulada é de 61,8%. Por causa dos altos estoques e da drástica redução nas vendas, a produção apresentou baixa igualmente pronunciada. No acumulado deste ano foram fabricados 4.722 caminhões pesados, 56,9% a menos do que os 10.966 de janeiro e fevereiro de 2014.

Para o vice-presidente da Anfavea e diretor de relações governamentais da Mercedes-Benz do Brasil, Luiz Carlos de Moraes, são diversos os fatores que derrubaram todos os segmentos de caminhões, especialmente os extrapesados, provocando o adiamento de investimentos em frotas. “As principais causas que afetam a indústria de caminhões são a conjuntura econômica negativa, juros e inflação em alta, embate do ajuste fiscal, aumento dos preços de combustíveis, o atraso na divulgação das novas regras do Finame PSI”, disse o executivo, que também citou a piora nas condições de financiamentos do BNDES em relação ao ano anterior.

EXPORTAÇÃO

Ainda afetado pela crise na Argentina, principal mercado de exportação do Brasil, o setor industrial de caminhões do País apresentou neste primeiro bimestre queda nos embarques de 11,1% em relação a igual período de 2014. A comparação feita entre fevereiro de 2014 e de 2015 é desfavorável em 19,7%. Mesmo assim, o mês passado retomou o fôlego em relação a janeiro, com alta de 22,2% nas exportações.

ÔNIBUS

O setor de ônibus apresentou queda de 24,2% nos licenciamentos no primeiro bimestre de 2015 em comparação ao ano anterior, quando foram licenciados 4.488 veículos, ante os 3.403 do primeiro bimestre deste ano.

Grande vilão é o mês de fevereiro de 2015, quando foram emplacados 1.528 ônibus, o que significou recuo de quase 45% em relação aos 1.753 do mesmo mês de 2014. Já em relação ao primeiro mês deste ano a retração foi de 18,5%, já que janeiro contou com 1.875 licenciamentos.

A produção do segmento no acumulado do ano foi de 5.351 unidades, queda de 13,4% sobre igual período do ano anterior, quando foram produzidos 6.181 chassis ônibus.

A redução nas exportações do setor é bem menor se comparada à de caminhões, apenas 1,7% neste primeiro bimestre em relação ao de 2014. Houve crescimento nos embarques de chassis em fevereiro sobre janeiro, de 57,2%, com 448 unidades exportadas. Se a comparação for com o mesmo mês do ano passado o crescimento é de 5,9%.



Tags: Caminhões, Pesados, Luiz Carlos Gomes de Moraes, PIB, Finame, ajuste fiscal, PSI.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência