Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Indústria | 16/03/2015 | 13h04

VW do Brasil celebra 45 anos de exportações

Montadora já embarcou mais de 3,3 milhões de unidades a 147 países

REDAÇÃO AB

A VW do Brasil completou 45 anos de exportações. Segundo a montadora, as 13 primeiras unidades, dos modelos Kombi e Variant, foram embarcadas para o México e países da América do Sul. O envio de veículos montados passa de 3,3 milhões de unidades, para 147 países, além de kits CKD, com os automóveis desmontados.

“A exportação é vital para a empresa e para o setor. É, sem dúvida, uma alternativa importante às variações do mercado interno”, afirma o presidente da Volkswagen do Brasil, David Powels. Argentina e México são os principais destinos. Segundo levantamento do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a Volkswagen do Brasil foi a 32ª maior empresa exportadora do País em 2014, considerando todos os setores, superando US$ 1,14 bilhão. Desde 1998, período divulgado pelo MDIC, a VW marca exportou US$ 19,1 bilhões. Em 2014 foi a maior exportadora de veículos, com 92.553 unidades.

A fábrica VW Anchieta foi a primeira da marca fora da Alemanha e a instalação próxima ao porto de Santos tinha em vista as exportações. Hoje a empresa também utiliza os portos de São Sebastião (SP) e Paranaguá (PR) para embarcar os veículos, por causa da proximidade com as fábricas localizadas em São Bernardo do Campo, Taubaté (SP) e São José dos Pinhais (PR). Segundo a montadora, de 1970 a 1972 o volume exportado chegou a 7,2 mil unidades.

Um dos maiores contratos externos ocorreu com o Iraque, para onde foram enviadas 170 mil unidades do Passat, de 1983 a 1988. Outro grande contrato ocorreu em 1987, com o Projeto 99 (Voyage e Parati) para o mercado norte-americano (Canadá e Estados Unidos). Foram dois anos de exportação da Parati, com 25 mil unidades, e sete anos do Voyage, com 202.062 carros enviados. Os dois modelos receberam várias modificações em relação aos automóveis vendidos no Brasil.

Em 2000, após o sucesso das exportações do Voyage e da Parati, a VW do Brasil anunciou a volta ao mercado norte-americano (Canadá e EUA), com as exportações do Golf. Foram 137,9 mil carros mandados aos Estados Unidos de 2000 a 2005 e 75 mil para o Canadá entre 2000 e 2009.

O Gol com motor a diesel foi vendido entre 2000 e 2008 para Argentina (14,5 mil), Uruguai (1,2 mil) e Paraguai (898 unidades). Em junho de 2004 a VW comemorou 1,5 milhão de unidades exportadas. O veículo que representou o marco foi um Gol destinado à Venezuela.

Entre 2004 e 2005, o Gol foi exportado para a Rússia. Ucrânia, Turcomenistão e Azerbaijão receberam o Gol entre 2005 e 2006. O teve adaptações por causa da grande diferença climática em relação ao Brasil.

China e Irã chegaram a fabricar o Gol em CKD a partir de peças exportadas do Brasil. O Gol foi o carro mais exportado a partir do Brasil. Totalizou em 2014 mais de 1,2 milhão de unidades enviadas para 66 países das Américas, África, Ásia, Oriente Médio e Europa. O modelo é também o mais produzido da história da indústria nacional, com mais de 7,5 milhões de unidades feitas no Brasil.

O hatch começou a ser exportado já no ano de seu lançamento, 1980, quando foram enviadas 49 unidades ao Paraguai e à Nigéria. Atualmente, os principais mercados do Gol no exterior são o México e a Argentina, onde o carro brasileiro as vendas por 12 anos seguidos.

O Gol para exportação passa em regra por adaptações para se adequar às exigências legais de cada país. Para poder ser exportado à Rússia, passou por testes de resistência a fim de suportar temperaturas que podem chegar a 40 graus célsius negativos. Componentes elétricos, guarnições, motor e câmbio passaram por avaliações rigorosas. Já o Voyage é o derivado do Gol de maior aceitação em outros mercados e já teve 381,8 mil unidades embarcadas, para 58 países, desde seu lançamento, em 1981.

Em 1983 teve início uma das primeiras grandes operações de exportação da Volkswagen do Brasil, a do Passat para o mercado iraquiano. Até 1988 foram enviadas aproximadamente 170 mil unidades. As adaptações visavam à substituição de itens sensíveis às altas temperaturas, adaptação das suspensões e modificações do revestimento interno.

O Fox, montado em São José dos Pinhais, foi exportado para a Europa de 2005 a 2011. A operação levou para lá 305,7 mil carros. A VW vende ao mercado externo até mesmo carros bicombustíveis. Em 2009 o Paraguai adquiria os primeiros Gol Total Flex. Hoje são vendidos no país vizinho também Voyage, Saveiro, Fox e CrossFox.



Tags: VW, Volkswagen, exportações, CKD, Passat, Gol, Iraque, Fox, Kombi, Variant, Golf.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência