Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Duas Rodas | 09/04/2015 | 18h10

Motos: mercado interno cairá 4,5% neste ano

Abraciclo revisou para baixo projeções de vendas, produção e exportações

MÁRIO CURCIO, AB

Por causa da retração de 10,5% nas vendas de motos do primeiro trimestre (leia aqui), os fabricantes revisaram para baixo as projeções do setor. De acordo com a Abraciclo, entidade que reúne as montadoras de Manaus (AM), até o fim de 2015 os emplacamentos devem ficar em 1,36 milhão de unidades, volume 4,5% menor que o estimado no início do ano. Em unidades, serão cerca de 65 mil motocicletas a menos, a metade de um mês de vendas. A previsão anterior, de janeiro, estimava 1.470.000.

- Veja aqui as projeções das fabricantes


A produção em 2015 deve ficar em 1,41 milhão, 6,8% abaixo daquela registrada no ano passado. Ainda de acordo com a Abraciclo, as concessionárias vão absorver este ano 1,36 milhão de motos, 4,9% a menos que em 2014.

“Desde junho de 2014 a média diária de emplacamentos se mantém abaixo de 6 mil unidades”, recorda o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian. Com os emplacamentos observados até o início de abril e aqueles estimados até o fim do ano, a média diária de emplacamentos em 2015 deve ficar em pouco mais de 5,4 mil motos zero-quilômetro licenciadas por dia útil.

As exportações devem fechar o ano com cerca de 70 mil unidades e retração de 20,5%. A queda será menor, porém, que a projetada no início do ano, quando a Abraciclo previu 55 mil unidades vendidas ao exterior: “Estamos enviando mais motos para a Colômbia e Peru”, diz Fermanian. Os números da entidade mostram também que os negócios com o Canadá também cresceram. No primeiro trimestre deste ano o país comprou 813 unidades, volume 73,7% maior que o registrado no mesmo período de 2014. Para a Argentina, porém, os embarques recuaram de quase 20 mil unidades no primeiro trimestre de 2014 para menos de 1,1 mil de janeiro a março deste ano.

No mercado interno, as vendas de modelos com cilindrada até 150 centímetros cúbicos nesses três primeiros meses tiveram queda de 22,4%. Este é o segmento de maior volume e recuou de 315,5 mil para 244,9 mil unidades no confronto janeiro-março deste ano com os mesmos meses do ano passado. As motos de alta cilindrada, que até 2014 mantinham algum crescimento, recuaram 7,4% neste início de 2015. Para Fermanian, a incerteza “é o maior ingrediente” e mesmo aqueles com poder aquisitivo mais alto estão adiando a decisão de compra ou troca do bem.



Tags: Abraciclo, Marcos Fermanian, emplacamentos, motos, motocicletas, produção, vendas, exportação, atacado.

Comentários

  • Feliciano JR

    A Honda por ter uma carteira enorme de consorciados , com certeza se mantem e não se preocupa muito , mas de suzuki para baixo no ranking a preocupação é muito grande e o risco de fecharem é enorme , ! a chinesada que abra o olho !! Traxx, Chineray, Dafra ,

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência