Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Mercedes-Benz estende programa de demissão voluntária em SBC

Trabalho | 13/04/2015 | 17h03

Mercedes-Benz estende programa de demissão voluntária em SBC

E General Motors prorroga layoff de 819 funcionários em São Caetano

REDAÇÃO AB

A Mercedes-Benz prorrogou o programa de demissão voluntária (PDV) na fábrica de São Bernardo do Campo (SP) até o dia 27 deste mês. A montadora já havia aberto no mês passado um PDV em março com prazo até o dia 31, mas decidiu reabrir o programa provavelmente pela baixa adesão. A medida serve para reduzir o excedente de funcionários na unidade, calculado em 1,2 mil trabalhadores, segundo a própria empresa (leia aqui).

Para atrair mais adesões, a montadora elevou o pacote de benefícios: no mês passado, a oferta era de pagamento de R$ 28,5 mil, pagos independentemente do tempo de casa para cada funcionário que aderisse ao programa voluntariamente. Se o metalúrgico já estivesse em layoff - com contrato suspenso - seriam mais R$ 6,5 mil. No PDV atual, aberto até o dia 27, o valor sobe para R$ 11,5 mil, além do fixo. A Mercedes-Benz não informa o número de adesões, mas possui 715 operários em layoff, com retorno previsto para o dia 30 de abril.

A decisão de estender o prazo do PDV se deve à estagnação do mercado de veículos comerciais pesados, cujas vendas caíram 36,6% no primeiro trimestre na comparação com igual período de 2014 (leia aqui).

GENERAL MOTORS

Por sua vez, a General Motors prorrogou o retorno dos 819 trabalhadores da fábrica de São Caetano do Sul, também no ABC Paulista, afastados por meio de layoff, quando o funcionário tem a suspensão do contrato de trabalho. O retorno, que estava marcado para a última sexta-feira, 10, passou para o dia 10 de junho. A decisão também se deve ao excedente de mão de obra na unidade, uma vez que o mercado segue em baixa: a GM registrou queda de 18,7% das vendas no primeiro trimestre sobre mesmo período do ano passado.

Os custos dos próximos dois meses de afastamento serão arcados apenas pela GM, isto porque o prazo legal do layoff é de até cinco meses, período que os trabalhadores recebem R$ 1.304 do FAT, Fundo de Amparo ao Trabalhador, vinculado ao governo, enquanto a montadora paga uma complementação até o valor integral do salário.

Em novembro do ano passado, a GM afastou 850 funcionários e em janeiro colocou mais 100 em layoff (leia aqui).



Tags: Mercedes-Benz, General Motors, layoff, demissão voluntária, sindicato.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência