Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 13/04/2015 | 20h20

Federal-Mogul encerrou 1º trimestre com alta de 5%

Para compensar queda em originais, companhia cresceu no aftermarket

REDAÇÃO AB

A Federal-Mogul comemora ter encerrado o primeiro trimestre do ano com crescimento de 5% em suas vendas na comparação com o mesmo período de 2014. Diante da queda da ordem de 20% na demanda das montadoras por autopeças e componentes, a companhia fortaleceu sua presença no mercado de reposição e, no balanço dos dois segmentos, iniciou o ano com crescimento.

A companhia aponta que o posicionamento mais robusto no aftermarket só foi possível por causa de uma série de investimentos feitos recentemente. Entre as principais iniciativas estão a modernização da fábrica da divisão Motorparts, especializada em materiais de fricção, o lançamento da nova linha de pastilhas de freios Stop, a ampliação da família de produtos Jurid para o mercado de reposição e o lançamento da marca Ferodo.

O resultado positivo de janeiro a março estimulou a empresa a ampliar o quadro de funcionários da fábrica de componentes de freios em Sorocaba (SP). “Estamos na contramão do mercado, em meio à avalanche de notícias sobre demissões, layoffs, redução de jornadas, antecipação de férias e outras ações para adequar o nível de produção ao das vendas. Desde a aquisição pela Federal-Mogul da divisão Motorparts, no segundo semestre do ano passado, promovemos diversas mudanças na fábrica e ampliamos o nosso portfólio de produtos para o mercado de reposição”, destaca José Roberto Alves, diretor-geral da companhia, sem detalhar quantas contratações foram feitas.



Tags: Federal-Mogul, autopeças, mercado, aftermarket.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência