Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Mercedes adia demissões e greve para

Trabalho | 27/04/2015 | 14h30

Mercedes adia demissões e greve para

Montadora estendeu layoff e concedeu novos benefícios em PDVs

REDAÇÃO AB

Reportagem atualizada às 19h20

Os trabalhadores da Mercedes-Benz de São Bernardo do Campo (SP) suspenderam a greve iniciada em 22 de abril. Em assembleia na manhã de segunda-feira, 27, o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e os funcionários decidiram suspender a paralisação até 18 de maio. A decisão foi tomada após anúncio de proposta encaminhada pela empresa, que inclui o cancelamento das 500 demissões previstas para 4 de maio, prorrogação do layoff de 715 empregados (incluindo os 500 que seriam demitidos) até 15 de junho e abertura de um novo Programa de Demissão Voluntária (PDV) para todos os trabalhadores da fábrica.

Em comunicado, a Mercedes informa assumir 100% dos custos da prorrogação do layoff para colaboradores sem estabilidade e até 30 de setembro àqueles com estabilidade.

A empresa também decidiu melhorar as condições do PDV e prorrogar até 15 de maio o prazo para adesão ao plano, tanto para o grupo em layoff como para colaboradores em atividade na planta. Serão pagos R$ 55 mil (equivalentes a 12 meses de salário) para o grupo em layoff sem estabilidade. Já para para horistas diretos e mensalistas em atividade, será concedido meio salário por ano de casa com piso de quatro salários e teto de R$ 65 mil.

“Em 18 de maio já tem negociação marcada do sindicato com a empresa para avaliar o resultado do PDV. Se o resultado reduzir e der conta de administrar o excedente, estará resolvido. Senão, haverá nova negociação e a mobilização será retomada”, afirma o secretário-geral da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Sérgio Nobre.

O presidente do Sindicato do Metalúrgicos do ABC, Rafael Marques, trata como “boa saída” a solução encontrada: “Com a prorrogação do layoff e um PDV com melhores condições para os trabalhadores, vamos continuar a negociação com a empresa.”

Além daquilo que pleiteia da montadora, o sindicato também cobra do governo ações de proteção aos trabalhadores e a aprovação de um programa de renovação de frota. Os trabalhadores da Mercedes-Benz entraram em greve após o anúncio de demissão de 500 dos 715 trabalhadores que estavam com contratos de trabalho suspensos por tempo determinado (layoff).

“Lembramos que a Mercedes-Benz não tem como manter o excesso de pessoas na fábrica de São Bernardo do Campo, sendo 750 hoje em layoff e outro excedente de 1,2 mil pessoas gerado este ano devido à forte retração das vendas de veículos comerciais no País”, conclui o comunicado da fabricante.



Tags: Sindicato, metalúrgicos, ABC, Mercedes-Benz, Mercedes, Sérgio Nobre, Rafael Marques.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência