Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 07/05/2015 | 17h25

Máquinas agrícolas: vendas recuam 23%

Perspectiva de boa safra é insuficiente para encorajar agricultores

REDAÇÃO AB

Prejudicada pelo menor número de dias úteis em razão de dois feriados nacionais, a venda de máquinas agrícolas em abril somou 4,3 mil unidades, volume 11,5% menor que o de março. No acumulado do ano, as 16,1 mil máquinas vendidas no atacado resultam em queda de 22,9%. Os números foram divulgados na coletiva mensal da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

- Veja aqui as estatísticas da Anfavea

“O segmento agrícola é exportador. A expectativa de retorno por causa da volatilidade do câmbio e do preço das commodities diminui o interesse do agricultor, mesmo considerando que deveremos ter uma safra melhor este ano”, afirma a vice-presidente da Anfavea, Ana Helena de Andrade.

“Assim, o agricultor vai dar prioridade à compra de sementes e defensivos”, diz Ana Helena. A venda de colheitadeiras no acumulado até abril foi de 1.375 unidades, volume 41,5% menor do que no mesmo período de 2014. Os tratores de rodas repassados à rede somaram 13,5 mil unidades, resultando em queda de 18%.

PRODUÇÃO

De janeiro a abril, as fabricantes instaladas no Brasil montaram 21 mil máquinas agrícolas, volume 21,9% mais baixo que o do primeiro quadrimestre do ano passado. “Foi basicamente um ajuste à baixa demanda”, diz a vice-presidente da associação dos fabricantes. O volume de colheitadeiras encolheu 43,3% e o de tratores de rodas, 20,4%.

EXPORTAÇÕES

No acumulado até abril o Brasil enviou ao exterior apenas 3,3 mil máquinas, número 15,9% menor que o dos mesmos meses do ano passado. A queda mais significativa ocorreu para os tratores de esteiras, 58,4%. O presidente da Anfavea, Luiz Moan, aguarda um anúncio do governo de novas regras que favoreçam as exportações ainda neste mês ou no próximo: “Agora vivemos com a malinha de viagem pronta”, brinca o executivo sobre a expectativa permanente de fechamento de novos negócios no exterior.

Ele recorda que o setor de brasileiro de máquinas tem hoje como principais mercados externos Estados Unidos, México e Argentina, nesta ordem. Moan lembra que recentemente a CNH fechou um contrato com Cuba e ressalta também os embarques feitos para vários mercados africanos como Moçambique, Gana, Zimbábue e Senegal.



Tags: Máquinas agrícolas, Ana Helena de Andrade, Anfavea, Luiz Moan, colheitadeiras, tratores, exportações, produção.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência