Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Trabalho | 13/05/2015 | 19h34

GM faz cortes na fábrica de São Caetano do Sul

Segundo sindicato, companhia demitiu 150 trabalhadores nos últimos dias

REDAÇÃO AB

A General Motors dá sinais de ter esgotado os recursos para desacelerar a produção e começa a fazer demissões. O Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul aponta que a companhia cortou 150 vagas na planta do ABC paulista desde a sexta-feira, 8. Em resposta à medida, a entidade organizou paralisação na terça-feira, 12, com interrupção da jornada por duas horas.

A mobilização teve o objetivo de alertar a empresa sobre o descontentamento dos trabalhadores. Segundo o sindicato, a GM teria apontado que as demissões são necessárias por causa da queda na fabricação de veículos. Com o mercado contraído, entre janeiro e abril deste ano as montadoras instaladas no Brasil produziram 17,5% menos do que no mesmo período do ano passado, com 881,7 mil unidades de acordo com dados da Anfavea.

Em comunicado a General Motors assegura que o corte faz parte da “rotatividade de pessoas natural da empresa”, sem indicar qualquer excedente de produção. Ainda assim, a companhia tem adotado medidas para frear o ritmo da fábrica. No último dia 5 de maio foi anunciado afastamento de 467 funcionários em São Caetano com licença remunerada por tempo indeterminado.

GRAVATAÍ

A fabricante também enfrenta paralisação na fábrica de Gravataí (RS), onde as atividades estão interrompidas desde a terça-feira, 12. A empresa atribui a parada a interrupção das atividades das transportadoras Tegma e Transzero, responsáveis pela logística de retirada dos carros da planta e transporte para a rede de distribuição. As empresas, no entanto, asseguram que a parada foi causada pelo Sintravers, Sindicato dos Cegonheiros do Rio Grande do Sul. A entidade teria decretado estado de greve e impedido as empresas de operar no complexo industrial. Em defesa do interesse de prestadores de serviços da região, a organização pleiteia reajuste maior no valor do frete pago pela montadora.

A General Motors calcula que, com a interrupção das atividades em Gravataí, a planta já deixou de fabricar 1,9 mil veículos e os cerca de 9 mil funcionários do complexo industrial estão impossibilitados de trabalhar. A unidade é responsável pela fabricação dos Chevrolet Onix, Prisma e Celta, os três carros mais vendidos pela companhia no Brasil. No primeiro quadrimestre do ano estes modelos responderam por 53% do total de emplacamentos da GM.



Tags: GM, General Motors, demissão, trabalho, São Caetano.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência