Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Trabalho | 18/05/2015 | 18h16

61% das empresas não estão prontas para o eSocial

Sistema experimental on-line do governo unifica prestações de contas

VICTOR FRANÇOIS, AB

Cerca de 61% das empresas não estão preparadas para digitalizar suas informações trabalhistas, fiscais e previdenciárias, segundo Marcus Vinicius Gonçalves, do departamento de impostos, fusões e aquisições da consultoria KPMG, durante o III Fórum de RH na Indústria Automobilística, promovido por Automotive Business, na segunda-feira, 18, em São Paulo. O eSocial, programa do governo criado em 2009 e que ainda está em caráter experimental, visa unificar em meios digitais a prestação de contas de empresas para a Receita Federal, Previdência e Ministério do Trabalho, seguindo exemplos como a declaração on-line do imposto de renda e da nota fiscal eletrônica.

Para Gonçalves, o fato de o governo já ter adiado mais de uma vez a publicação do cronograma oficial do programa indica que pode haver uma nova prorrogação de prazos. Por ora, o sistema opera em testes e é voluntário para empresas que já pretendem unificar seus dados trabalhistas ao novo sistema. “Em curto e médio prazo o eSocial vai dificultar muito a vida do RH das empresas, por causa da burocracia e adaptação às normas e especificidades técnicas de TI e organização interna. Os dois primeiros anos vão ser difíceis”, analisa o executivo.

Apesar de o RH ser responsável por 80% do processo de preenchimento da informações do eSocial, ele não é o único responsável pela implementação, já que outras áreas estão diretamente envolvidas, como tecnologia da informação, jurídico, financeiro e medicina e segurança do trabalho. “O problema de implementação do eSocial não está no TI e sim no processo. Se as informações trabalhistas não chegarem adequadas e com qualidade ao RH, haverá rupturas, já que a prestação de contas dura um período de 24h do sistema aberto”, explica Marcus Vinicius Gonçalves.

A princípio, as alterações devem ser reportadas no sistema imediatamente e as empresas terão de ajustar processos e cultura, a exemplo dos pedidos de férias, que deverão ser feitos com 30 dias de antecedência e sem divisão no período de gozo. As companhias terão de atualizar seus sistemas eletrônicos de armazenar e obter informações como admissão e demissão de funcionários, recolhimento de impostos trabalhistas, afastamentos médicos e folha de pagamento, entre outras, para alimentar o sistema on-line do governo.



Tags: eSocial, governo, Marcus Vinicius Gonçalves, KPMG, III Fórum de RH na Indústria Automobilística.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência