NOTÍCIAS
22/06/2015 | 23h55

Lançamentos

Focus 2016 recebe nova cara da Ford

Hatch manteve preço-base de R$ 69,9 mil com maior conteúdo argentino


Mário Curcio, AB | De Aquiraz (CE)

Versões 2.0 têm 178 cv e câmbio automático de seis marchas
A Ford apresentou no Brasil a linha 2016 do Focus hatch. O carro chega às revendas em agosto a partir de R$ 69,9 mil, valor equivalente à versão SE 1.6, com câmbio manual de cinco marchas. O carro mais completo, Titanium Plus 2.0, tem transmissão automática de seis velocidades e um pacote de itens que inclui assistente de frenagem e sistema de estacionamento automático, entre outros recursos. Nesse caso chega a R$ 95,9 mil.

“O comprador dos hatches médios quer um carro cada vez mais completo. Em 2011, 52% das vendas eram das versões de entrada. Em 2015 essa participação caiu para 10%, enquanto os carros mais completos saltaram de 4% para 42%”, afirma o gerente-geral de marketing da Ford, Oswaldo Ramos. Um gráfico revela ainda que as opções intermediárias passaram de 44% para 48% do mix.

A nova geração do Focus teve mudanças importantes de estilo, como a grade dianteira com formato semelhante ao adotado nos modelos mais atuais da marca. Na SE é do tipo colmeia e na Titanium tem frisos cromados. A traseira e o interior também foram alterados.

A Ford promete uma condição especial de pré-venda com 15% de desconto aos donos de Focus 2014 e 2015, como forma de compensá-los pela defasagem prematura. O Focus vendido no Brasil continua sendo fabricado na Argentina e, segundo a Ford, foi possível manter o preço de entrada e aumentar o nível de itens de série pelo aumento do conteúdo local. “Quase toda a estamparia agora é feita na Argentina. Antes, muita coisa vinha da Europa”, afirma o diretor de lançamentos de novos programas, Luiz Morroni.

Além do novo desenho, o carro recebeu modificações para aumentar a rigidez à torção e melhorar a dirigibilidade. A plataforma, porém, permanece a mesma. Tem 2,65 metros de distância entre eixos, o que resulta em bom espaço para quem vai nos bancos dianteiros ou no de trás.


Mudanças de estilo foram feitas na frente, atrás e no interior. Grade da versão SE é do tipo colmeia e a Titanium recebe frisos (fotos: divulgação e Mário Curcio)

O Focus 2016 mantém os motores e transmissões da geração anterior. O 1.6 Sigma com até 135 cavalos e a transmissão manual são fabricados em Taubaté (SP). O 2.0 com até 178 cv vem do México e a caixa automática sequencial de seis velocidades, da Alemanha.

BOM DE BRIGA

Na década atual, o Focus foi o segundo hatch médio mais vendido em 2011, 2012 e 2014. O volume de emplacamentos anual oscilou de 20,8 mil unidades a 27,6 mil. Ele fica atrás apenas do Fiat Punto, um carro menor e bem mais acessível, a partir de R$ 46,5 mil. Em 2013 ficou em terceiro, atrás também do Cruze Sport 6.

Em 2015 o Focus mantém o segundo posto, mas sua vantagem para o Golf, terceiro colocado, pode cair até o fim do ano, já que a Volkswagen voltará a montá-lo em São José dos Pinhais (PR) no segundo semestre e isso certamente terá reflexo positivo em suas vendas. A Ford, no entanto, confia no próprio taco: “Nosso trabalho é sempre vender cada vez mais”, afirma o diretor de marketing, vendas e serviços da Ford Brasil, Guy Rodriguez.

BOM DE CONTEÚDO

Desde a versão de entrada, SE 1.6, o Focus 2016 traz rodas de liga leve de 17 polegadas, controles eletrônicos de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, alerta de pressão baixa dos pneus, freios a disco nas quatro rodas, acendimento automático dos faróis e sistema multimídia Sync com tela de 4,2 polegadas e conexão Bluetooth.

A versão intermediária SE Plus 2.0 salta para R$ 86,9 mil e traz câmbio automático de seis velocidades com aletas para trocas de marcha atrás do volante, airbags laterais, airbags de cortina, Sync com tela de oito polegadas, navegador GPS, sistema de áudio Sony, bancos de couro e sensor de estacionamento traseiro.

O Focus Titanium Plus 2.0, além dos sistemas autônomos de frenagem e estacionamento, recebe faróis bixenônio adaptativos com luzes diurnas de LED, retrovisores externos com rebatimento elétrico, teto solar e banco do motorista com ajuste elétrico.

BOM DE DIRIGIR

Desde a primeira geração que chegou ao Brasil, o Focus sempre foi um carro bom de dirigir, reunindo conforto, estabilidade e bom espaço interno. O carro 2016 mantém essas qualidades e tem porta-malas para 316 litros. Automotive Business dirigiu um Titanium 2.0. O Focus é daqueles carros que a gente veste. Os bancos seguram bem o corpo, o volante tem o tamanho certo, os principais comandos são fáceis de achar e estão na distância correta. A transmissão automática de seis velocidades (de série para todos os 2.0) resulta em acelerações e retomadas de velocidade sempre rápidas.

Segundo a Ford, com etanol os carros 2.0 fazem 6,7 km/l na cidade e 9,2 km/l na estrada. As versões SE e SE Plus 1.6 percorrem 7,5 km/l em uso urbano e 9,3 km/l em rodovia.

SEDÃ VEM NA SEQUÊNCIA, MAS COM OUTRO NOME

A versão renovada do Focus com carroceria de três volumes pode chegar também em agosto, mas perderá a palavra “Sedan” do nome: “Queremos ressaltar o apelo esportivo do novo Focus, não dá para compará-lo com um carro como o Toyota Corolla”, afirma Oswaldo Ramos, que faz mistério sobre o batismo do próximo filho. “Será Focus +, que nem o Ka?”, perguntamos. “Só vamos contar em julho”, diz Ramos.

O fato é que essa carroceria de médio porte tem outros concorrentes de peso além do líder Corolla, como Honda Civic, Chevrolet Cruze, Nissan Sentra, VW Jetta, Citroën C4 Lounge e Renault Fluence. O Focus sedã terminou 2014 em oitavo lugar entre os médios e está em décimo em 2015, com vendas abaixo do Audi A3 sedã, outro carro que começa a ser montado na VW paranaense.

Veja a lista de preços do Focus hatch 2016:

SE 1.6 – R$ 69,9 mil;
SE 1.6 Plus – R$ 71,9 mil;
SE 2.0 Plus (aut.) – R$ 78,9 mil;
Titanium 2.0 (aut.) – R$ 86,9 mil;
Titanium Plus 2.0 (aut.) – R$ 95,9 mil.


Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 22/11/2017
Frota brasileira de 42 milhões exige controle apropriado

Esta coluna é apoiada por:

Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
INOVAÇÃO | 25/10/2017
Indústria precisa questionar qual será o seu papel no futuro
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
AUTOINFORME | 09/11/2017
Luguez firmou parceria com o governo de Ohio
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
DE CARRO POR AÍ | 17/11/2017
Chineses entregam operação brasileira à administração dos brasileiros
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório