Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
VW tenta turbinar venda do Up! com TSI
O Up! TSI: por dentro, 28% mais potência com 105 cavalos; por fora, tampa traseira preta diferencia a versão

Lançamentos | 24/07/2015 | 12h00

VW tenta turbinar venda do Up! com TSI

Plano é elevar demanda em 20% com a versão turbo, a partir de R$ 43,5 mil

PEDRO KUTNEY, AB | De São Carlos (SP)

A versão turbinada do mais novo compacto da Volkswagen produzido no Brasil, o Up! TSI, é 28% mais potente, com 105 cavalos, tem torque 62% maior, 16,8 kgfm, e chega com a missão de melhorar o desempenho do carro em todos os sentidos, na estrada e no mercado. Ao oferecer poder extra de aceleração em quase toda a gama, a fabricante espera que o turbocompressor que gira no eficiente motor três-cilindros EA211 também acelere as vendas do Up! em cerca de 20%, o que representaria algo como 700 a mil unidades extras por mês no atual cenário. Com preços que vão de R$ 43,5 mil (a partir da versão Move Up!, que ficou R$ 3 mil mais cara do que o MPI aspirado) a cerca de R$ 50 mil, a estimativa é que o TSI represente 30% dos emplacamentos do Up!, já levando em conta que a opção turbo deve roubar alguns negócios do resto da linha.

Desempenho superior é a principal diferença que o Up! TSI pode oferecer para convencer novos clientes a pagar mais pelo modelo. De resto o carro mantém as mesmas qualidades das versões equipadas com motor aspirado, incluindo a boa eficiência energética que garantiu nota A na avaliação do Inmetro – no TSI foi medido consumo energético de 1,44 megajoules por quilômetro, o melhor nível registrado até agora no País, equivalente ao consumo combinado estrada/cidade de 10,2 km/l com etanol e 14,8 km/l com gasolina E22. Por fora o carro cresceu imperceptíveis 40 mm para abrigar o motor ligeiramente maior com o turbocompressor e radiador do intercooler. As únicas diferenças visuais são a sigla TSI e a tampa traseira na cor preta.

O motor turbinado estará disponível para todas as versões do Move Up! para cima, que já tem pacote de equipamentos bastante completo, incluindo ar-condicionado, direção elétrica e acionamentos elétrico de vidros, travas e retrovisores. As opções topo de linha Red, White e Black passam a ser vendidas somente com turbo, não usarão mais o aspirado MPI.

Um pouco mais diferente, cara e completa (o único opcional é a central multimídia com navegador, por R$ 1,4 mil) será a série especial topo de linha Speed Up!, feita especialmente para abrigar o motor turbo sob o capô com mais propaganda externa. A versão é oferecida somente na cor branca, com teto preto e faixas azuis nas laterais e nos retrovisores – a cor é para lembrar o conceito de eficiência Think Blue da Volkswagen. Também tem rodas de liga leve exclusivas, interior revestido em preto e bancos de vinil. O Up! TSI chega às concessionárias a partir da segunda quinzena de agosto.


A série especial Speed Up! foi criada especialmente para ser a versão topo de linha do compacto turbinado da Volkswagen: por quase R$ 50 mil, tem pacote completo de equipamentos, pintura branca com teto preto e duas faixas laterais azuis, retrovisores também pintados em azul, rodas de liga leve com desenho exclusivo para o modelo e o interior é todo revestido em preto

Veja os preços das versões TSI do Up!:

• Move Up! TSI: R$ 43.490
• Cross Up! TSI: R$ 47.030
• High Up! TSI: R$ 48.040
• B/R/W Up! TSI: R$ 48.690
• Speed Up! TSI: R$ 49.990

Além do mercado brasileiro, o Up! TSI também será vendido na Argentina e Uruguai, para onde as outras versões já são exportadas, e até o fim do ano o México e outros países sul-americanos passam a ser novos destinos para o compacto.

NOVA INVESTIDA

Lançado no mercado brasileiro em março de 2014, o Up! tem preços altos em relação ao que oferece e à concorrência. Com isso, até agora o desempenho comercial do compacto está abaixo do que a Volkswagen esperava. Foram pouco menos de 60 mil unidades emplacadas no ano passado e o modelo foi apenas o 16º veículo leve mais vendido do País. No primeiro semestre deste ano foram 27,8 mil emplacamentos, apontando para resultado pior. A fabricante, no entanto, destaca que atualmente a participação de mercado do Up!, de 2,9% das vendas totais de automóveis, está melhor do que os 2,4% registrados em 2014.

“Esperávamos market share acima de 3%, mas avaliamos que ainda falta maior entendimento (do consumidor brasileiro) sobre o Up!, principalmente em algumas cidades. Em São Paulo, por exemplo, o carro tem 5% de share e em outras regiões apenas 2%. Acreditamos que a tecnologia TSI deve trazer mais clientes, mas também temos de reforçar os valores da marca”, avalia o argentino Jorge Portugal, o novo vice-presidente de vendas e marketing da Volkswagen do Brasil, que assumiu o posto em junho passado. Ação nesse sentido foi tomada já este mês com o lançamento da campanha publicitária “Volkswagen Vale”, que foca nos principais valores da marca, como maior rede, confiabilidade, custo de manutenção, garantia e segurança, trazendo à frente justamente o Up!.

A versão turbo tem papel importante nessa estratégia, para tentar “despopularizar” a imagem do modelo e agregar mais valor. Em nenhuma peça publicitária será dito que o Up! TSI tem motor de 1 litro. “Seis meses após o lançamento do Up! fizemos uma pesquisa com aqueles que não compraram o carro. Um dos argumentos foi de que ele só tinha motor 1.0, que ainda passa a ideia de algo fraco, sem potência”, revela Ivan Segal, diretor de vendas que chegou à Volkswagen do Brasil há cerca de um ano, mas entende bem o mercado brasileiro – ele já foi diretor geral da Citroën no País entre 2010 e 2013.

“CHOCOLATE QUE EMAGRECE”

Na definição de Portugal, a Volkswagen quer vender o Up! TSI “como um chocolate que emagrece”. A mistura de potência com a eficiência trazida pelo turbocompressor torna possível a figura de linguagem. “Conseguimos juntar o melhor de dois mundos”, afirma o executivo. Com isso, ele estima que o mix de vendas do modelo também deve se deslocar para cima. Hoje 60% dos emplacamentos estão concentrados na versão de entrada Take Up!, que não terá a opção turbo. A chegada do TSI, portanto, tem potencial para aumentar a demanda a partir do intermediário Move Up!.

“É como ter dois motores em um. Carros com grande autonomia normalmente têm baixo torque. Com o TSI você tem as duas coisas. Quando roda na cidade tem o consumo reduzido de um motor pequeno, mas que responde muito bem ao acelerador quando precisar. Isso torna coisa do passado avaliar um veículo pela cilindrada”, afirma Markus Kleimann, o novo vice-presidente de desenvolvimento da Volkswagen do Brasil. “O TSI prova que performance e eficiência em um mesmo motor não é mais uma contradição. O Up! TSI é o primeiro carro nacional com motor turbo e injeção direta fabricado no Brasil, fruto de parte do investimento de R$ 460 milhões feito na fábrica de motores de São Carlos (SP) até 2018. A Volkswagen é a primeira cliente da turbina para veículos leves que a Borg Warner começou recentemente a produzir em Itatiba (SP). O motor três-cilindros com bloco e cabeçote de alumínio é também o primeiro turbo de 1 litro usado pela Volkswagen em todo o mundo – na Europa o Up! usará a versão 1.2 do TSI. O propulsor foi desenvolvido pela engenharia brasileira da empresa com tecnologia flex, que permite rodar com etanol ou gasolina.

“Este motor redefine o conceito de 1.0 no País”, afirma David Powels, que assumiu este ano a presidência da Volkswagen do Brasil. Mais do que isso, o propulsor inaugura no País uma tendência que vem ganhando espaço em mercados mais maduros nesta década. A solução deverá ser adotada em breve em mais modelos fabricados aqui. A própria Volkswagen já começou a produzir na fábrica de São Carlos (SP) mais um motor turbo, o 1.4 que será usado pelo Golf e Audi A3 Sedan que entram em produção nos próximos meses.



Tags: VW, Volkswagen, Up!, TSI, turbo, lançamento.

Comentários

  • domingos j.f.santos

    prabens vw, toda tecnologia de ponta para linha de entrada , isso e muito bom , quem mais ganha e o consumidor , e a força da inteligencia,.

  • Simone

    Com esse preço? Prefiro um carro com mais conforto. Sinto muito.

  • Volnei Consoni

    Infelizmente acredito que que os resultados de venda não serão os melhores por dois motivos. 1º O preço do carro está muito elevado pelo tipo e tamanho do veículo. 2º O designer do UP não caiu no gosto do consumidor estão modificando o carro para torna-lo a cada dia mais parecido com o CHERY NEW QQ.

  • Marius Sabbazius

    Esse motor TSI foi um tapa na cara da concorrência, mas fico pensando: já que a Volks trouxe o up! lá de fora pra ser modificado ao gosto do brasileiro, por que não fizeram o serviço completo??? 1 - Aquela saída de ar central que fica acima do painel; aquilo acumula sujeira, deixa o painel muito vazio/simplório e no verão, nós brasileiros gostamos de vento gelado no rosto, não no teto!!! Não há jeito de se acostumar com aquilo; coloquem a saída à frente, não acima do painel!!! 2 - Falta espelho no parasol do motorista; só tem no lado direito do carona; não ficou nada harmônico este arranjo!!! 3 - E por último, coloquem vidros elétricos nas portas traseiras!!! Aí sim, creio que o up! passaria à ficar bem mais interessante; ainda assim continuaria caro, mas ao menos o carrinho seria completinho, não é, não?! Nem precisaria de um volante com botões de comando; só iria deixar o carrinho com muita informação de detalhes, o que seria um exagero e não combinaria com o up!.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência