NOTÍCIAS
29/07/2015 | 04h30

Lançamentos

Focus sedã ressurge como Fastback

Ford muda apelo e aumenta conteúdo, mas mantém preço-base de R$ 77,9 mil


MÁRIO CURCIO, AB | De Gramado (RS)

Todas as versões têm motor 2.0 turbo com até 178 cv e câmbio automático de seis marchas
A linha 2016 do Focus Sedan foi rebatizada Fastback. Com preço inicial de R$ 77,9 mil, o Ford chega em setembro às concessionárias. A fabricante promete desconto de 15% aos donos de unidades 2014 e 2015 do sedã que procurarem a rede. “Estamos trazendo da Argentina um lote de 500 carros”, afirma o gerente-geral de marketing da Ford, Oswaldo Ramos. O novo desenho dianteiro é o mesmo mostrado em junho no Hatch.

Na parte traseira, com o volume do porta-malas menos aparente pelo novo desenho, a Ford tenta diferenciar o Focus Fastback dos sedãs concorrentes. A receita inclui também motor mais potente que o dos líderes de mercado, bons equipamentos e dirigibilidade refinada: “Trinta por cento dos consumidores desse segmento são ‘entusiastas’, pessoas que valorizam o automóvel, o desempenho”, diz Ramos.

Como o Hatch, o Fastback é fabricado em Pacheco, na Argentina. “Também aumentamos o conteúdo local do Fastback tanto em itens argentinos como brasileiros”, afirma o diretor de marketing, vendas e serviços da Ford Brasil, Guy Rodriguez. Um exemplo são as peças da carroceria, agora estampadas no país vizinho. Até a geração anterior elas vinham da Europa.

Já o motor flex 2.0 com turbo, injeção direta e 178 cavalos é trazido do México e a transmissão automática de dupla embreagem e seis velocidades vem da Alemanha. O novo Focus Fastback será vendido nas versões SE, SE Plus, Titanium e Titanium Plus.


Nova carroceria chega em setembro à rede. Acabamento interno inclui couro e aletas para trocas de marcha atrás do volante a partir da versão SE Plus, com preço sugerido de R$ 79,9 mil

A mais completa chega a R$ 96,9 mil e traz até sistema de estacionamento automático (em vagas paralelas ou perpendiculares) e também assistente de frenagem autônomo, capaz de atuar sobre os freios para impedir ou minimizar colisões. Esses itens também estão disponíveis no Focus Hatch.

“No Brasil, eles são os únicos carros abaixo de R$ 100 mil que trazem esses equipamentos”, ressalta Ramos. Sobre o mix de vendas, o executivo estima 60% para o Titanium e recorda que a opção S saiu de cena. “O novo carro de entrada, SE, tem o mesmo preço inicial do S e mais equipamentos”, recorda o gerente-geral, referindo-se aos quatro freios a disco, faróis de neblina, acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, rodas de 17 em vez de 16 polegadas e outros itens.

Como o Hatch, o Fastback recebeu mudanças que aumentaram a rigidez torcional da carroceria. E as suspensões traseiras ganharam novas buchas que tornaram seu comportamento mais preciso. A direção com assistência elétrica também foi recalibrada.

BOM DE GUIAR COMO SEMPRE

Automotive Business dirigiu o Fastback SE Titanium em um trecho de serra no Rio Grande do Sul e aprovou a novidade. O Focus surpreende a cada nova geração e é um carro muito bom, previsível, grudado no asfalto. Desde a versão de entrada ele tem controles eletrônicos de estabilidade e tração. Com 2,65 metros de distância entre eixos, o Focus tem bom espaço no banco traseiro. O porta-malas para 421 litros o coloca em desvantagem ante os principais concorrentes (Toyota Corolla, 470 l, Honda Civic, 449 l, Nissan Sentra, 503 l, e Chevrolet Cruze, 450 l).

As trocas de marcha são rápidas o suficiente e a caixa Getrag de seis velocidades continua fazendo um par e tanto com este 2.0 Direct Flex. As melhorias na linha 2016 teriam tornado o carro até 8,2% mais econômico que o anterior. Segundo a Ford, na cidade o Fastback faz 6,7 km/l com etanol e 9,7 km/l com gasolina. Na estrada os números passam para 9,2 km/l no álcool e 13 km/l no derivado de petróleo.

REVISÕES GRÁTIS E SEGURO ATRATIVO

Como promoção de lançamento, a Ford garante revisões gratuitas até os 36 meses ou 30 mil km para as primeiras 2 mil unidades vendidas do Fastback. Outro valor interessante foi divulgado para o seguro: R$ 3.332 para a Titanium. Por causa do assistente de frenagem autônomo, a apólice do Titanium Plus tem valor ligeiramente mais baixo, R$ 3.198.

Veja abaixo os preços de cada versão do Focus Fastback:

SE: R$ 77,9 mil;
SE Plus: R$ 79,9 mil;
Titanium: R$ 87,9 mil;
Titanium Plus: R$ 96,9 mil.

No passado, a palavra fastback era associada a carrocerias de duas portas com desenho fluido, em que o desnível entre o teto e o porta-malas era atenuado por um inclinação suave que se iniciava já no centro da capota e resultava em um vidro traseiro com ângulo inferior a 45 graus. O Ford Maverick duas portas, por exemplo, era um fastback.

Comentários: 2
 

Guilherme G. Morador
29/07/2015 | 09h05
Na matéria estão descrevendo que a mecânica utilizada será a 2.0 Turbo. Está correta essa informação? Att. Guilherme G. Morador

Artur
29/07/2015 | 09h53
Prezados, Qual o consumo do novo Focus? Por quê não utilizar a tecnologia LED nas lanternas (frente e traseira)? Por quê não é fabricado no Brasil? Gerar emprego na Argentina ou México não ajuda nas vendas aqui no Brasil. O novo Cruze 1.5 Turbo, da GM terá consumo de 17 km/l. O GOLF 1.4 TSI faz 17 Km/l. O consumo faz muita diferença na hora da compra.

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:

QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 18/10/2017
Medidas simples e novos estudos ajudam na redução de emissões de CO2

Esta coluna é apoiada por:

Documento sem título
Advertisement Advertisement Advertisement
AUTOINFORME | 19/10/2017
Hyundai produz em Ulsan 1,5 milhão de carros por ano
DE CARRO POR AÍ | 13/10/2017
Com Jumpy, marca avança em novo território
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
INOVAÇÃO | 15/08/2017
Indústria automotiva precisa abrir os olhos para novas formas de trabalhar
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes