Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Lifan se adapta ao mercado retraído

Mercado | 13/08/2015 | 01h55

Lifan se adapta ao mercado retraído

Chinesa investe R$ 3,5 milhões no Sul e amplia centro de peças do Sudeste

MÁRIO CURCIO, AB | De Salto (SP)

Apesar da queda de mercado que reduziu em quase 30% a procura pelo utilitário esportivo X60, o carro mais vendido da Lifan, a fabricante chinesa instalada no Brasil ainda investe no País: “Inauguramos há cerca de dois meses um PDI maior em Itajaí (SC), com capacidade para receber 6 mil carros”, afirma o diretor de marketing da empresa, Luiz Zanini (SC).

A sigla PDI vem de Pre Delivery Inspection, um pátio de 50 mil metros quadrados onde os Lifan montados no Uruguai ficam armazenados antes de seguir para a rede, atualmente com 57 concessionárias no Brasil. “Ele serve como um ‘pulmão’ e nos permite ter em estoque modelos, versões e cores diferentes com menor preocupação quanto à taxa cambial”, diz Zanini. Segundo o executivo, a Lifan investiu R$ 3,5 milhões no local e ainda há mais R$ 1 milhão previsto para as instalações.

A empresa também vem ampliando o centro de distribuição de peças, inaugurado em novembro de 2013 na cidade de Salto (SP) com investimento de R$ 750 mil. “Ele foi aumentado de 3,5 mil para 4 mil m² e receberá um mezanino para ampliar a capacidade interna”, afirma o diretor de pós-venda, Carlos Tavares. É como se a companhia oriental e seu proprietário, o sr. Yin Mingshan, enxergassem o Brasil como uma grande lagoa que deve ser cevada aos poucos e com paciência porque um dia a pesca será graúda.

Mas nem tudo é filosofia ou comemoração. Dos 7 mil veículos estimados para 2015 a empresa só vendeu 2.925 até julho. A picape Foison teve menos de 600 unidades emplacadas de janeiro a julho deste ano: “Falta crédito para o consumidor desse modelo. De cada dez propostas, apenas duas são aprovadas”, afirma Zanini.

Sobre a baixa procura pelo sedã pequeno LF 530 (644 unidades licenciadas até julho) ele diz: “O cliente desse modelo é muito conservador. Ele tem poucos recursos, não pode errar. Ao mesmo tempo este é um segmento muito concorrido”, diz Zanini. O LF 530 tem preço sugerido de R$ 41.990 e acaba disputando mercado com modelos consagrados e com grande rede de revendas como o Chevrolet Classic, que tem ar-condicionado e direção hidráulica de série por R$ 33,6 mil.

O baixo desempenho de vendas acabou atrasando a chegada do novo utilitário esportivo X50, mostrado no Salão do Automóvel de 2014 (veja aqui).

. Durante o evento ele foi prometido para 2015, mas o diretor comercial, Jair de Oliveira já o empurrou para o fim do primeiro semestre de 2016.

Com o mercado brasileiro encolhido, a produção da Lifan deve permanecer no Uruguai durante algum tempo: “O volume atual não nos permite pensar em fabricar no Brasil em curto prazo”, afirma o diretor-geral da empresa para o Brasil, Huang Zhen.



Tags: Lifan, Luiz Zanini, Carlos Tavares, Yin Mingshan, Jair de Oliveira, X60, X50, Foison, LF 530.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência