Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Novo Inovar-Auto adequado geraria ganhos de US$ 32 bilhões

Legislação | 14/09/2015 | 22h29

Novo Inovar-Auto adequado geraria ganhos de US$ 32 bilhões

Resultado viria da integração de seis elementos vitais para a indústria

SUELI REIS, AB

Uma nova política industrial que oriente e sustente o futuro da indústria brasileira automotiva deverá ser desenhada a partir do funcionamento efetivo de seis pilares essenciais para o setor: eficiência energética, rastreabilidade, inspeção veicular, reciclagem, carro conectado e segurança & infoentretenimento, define Paulo Cardamone, diretor da Bright Consulting, no painel Inovar-Auto e a política industrial para o setor, durante o Workshop Os Desafios da Legislação Automotiva 2016, realizado na segunda-feira, 14, por Automotive Business.

Os dados mostram que se aplicados conforme a necessidade e implementados da forma mais adequada, tais medidas seriam capazes de gerar faturamento equivalente a US$ 32 bilhões, e cujos investimentos demandariam algo como US$ 12,5 bilhões. A economia calculada ficaria em torno de US$ 38 bilhões, além da geração de cerca de 93 mil empregos.

Em sua apresentação, Cardamone chama a atenção para o fato de que as projeções de vendas de veículos para o futuro próximo no Brasil não podem mais ser tratadas como uma previsão, mas devem ser construídas a partir de uma visão de contexto. Ele elenca os seis pilares que devem fazer parte da agenda de uma nova política industrial, algo como a continuação do Inovar-Auto para o médio e longo prazo a ser desenvolvida de forma ordenada. No Brasil, sabe-se da velocidade quase letárgica para pôr em prática soluções inovadoras acerca de tecnologia a fim de melhorar produtos e toda a sua cadeia. A boa notícia é que parte dos pilares apontados por ele não são novidades no contexto global atual – não terá que se reinventar a roda, mas será preciso remoldá-la.

“A rastreabilidade só faz sentido como instrumento de política intrassetorial. O sistema de aferição de conteúdo local não aumenta por si só a competitividade, mas rastrear compras totais locais não permite decisões sobre a cadeia de fornecedores. Além disso, deveria fomentar o processo de consolidação dos tiers 2 e 3, além de que o sistema atual perde o sentido em 2017 em função da OMC”, alega.

Seus dados mostram que um modelo ideal de aplicação para a rastreabilidade deve gerar melhorias significativas para elevar a competitividade, isto a partir da governança de itens como a geração de caixa, produtividade, gestão tributária e financeira, entre outros. Por consequência, tiers 2 e 3 também entrariam no hall competitivo. Em suma, o estudo aponta para um impacto de US$ 10 bilhões de faturamento e US$ 2 bilhões em investimento e como resultado, uma economia de US$ 15 bilhões.

Para eficiência energética, ele aponta que seriam necessários controles sobre compliance das montadoras em 2017, ajustes no programa de etiquetagem, definição dos novos targets para 2020 e 2025 para veículos leves e utilitários, além de revisão da tributação dos veículos incorporando emissões e melhor definição da matriz energética. Adequando-se a estas necessidades, o consultor calcula faturamento equivalente a US$ 2 bilhões, além de US$ 7 bilhões em economias, com investimento de US$ 500 milhões.

Já para a inspeção veicular, a primeira medida é regulamentar o que falta para sair do papel. “A implementação da inspeção veicular é uma obrigação do governo, tem de ser avaliada como beneficio à sociedade e não como um penalidade para a minoria. Ela impacta mobilidade, segurança e infraestrutura e vai evitar mais de 20 mil mortes por ano. Deve-se também aproveitar a futura utilização de ‘obd’ e telemetria na inspeção veicular”, aponta. Os cálculos apontam para investimentos de US$ 5 bilhões com faturamento de US$ 2 bilhões e uma economia de US$ 10 bilhões.

A respeito de reciclagem, Cardamone lembra da Lei nº 12.305, de 2010, que institui a política nacional de resíduos sólidos (logística reversa), mas que não contempla veículos. Há aspectos críticos que, segundo ele, deverão ser considerados para a legislação de reciclagem de veículos, como a independência dos participantes para evitar a criação de mercados de interesse, as diretrizes que possam assegurar instalações e processos adequados de desmontagem dos veículos, metas específicas para os níveis de reciclagem a serem atingidos por veículo, que ele acredita, deveria ser de 85%, e uma rigorosa legislação relacionada à venda de peças usadas. Tais medidas trazem à tona o seguinte cálculo: um investimento de US$ 3 bilhões, aliado a um faturamento de US$ 8 bilhões, além da geração de 10 mil de empregos e uma economia de US$ 6 bilhões.

Por fim, questões relacionadas ao carro conectado e direção autônoma, que ditará as tendências do futuro, e a inserção cada vez maior de tecnologias que contemplem segurança e infoentretenimento aliadas a um modelo de cidades adaptadas a estas novas realidades, com infraestrutura inteligente. “Falta para o setor em si reafirmar sua intenção estratégica. O governo não tem a menor capacidade de fazer isso, a função dele é regular. Cabe a indústria trabalhar em conjunto e levar para o órgão regulador um material pronto a fim de acelerar a velocidade de acontecimento das coisas”, finaliza.

Assista abaixo entrevista exclusiva de Paulo Cardamone à ABTV



Tags: Política industrial, rastreabilidade, eficiência energética, inspeção veicular, reciclagem carro conectado, Paulo Cardamone, Workshop Desafios da Legislação Automotiva.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência