Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Internacional | 22/09/2015 | 15h51

VW admite fraude em 11 milhões de carros

Montadora já reserva € 6,5 bilhões para cobrir possíveis multas

REDAÇÃO AB

O Grupo Volkswagen anunciou que vai reservar € 6,5 bilhões de seus resultados no terceiro trimestre do ano para arcar com o esperado impacto de uma crise que ganha força dentro da companhia. O conglomerado alemão admitiu na terça-feira, 22, que vendeu em torno de 11 milhões de veículos equipados com software que frauda o controle de emissões em motores diesel. A suspeita é que a tecnologia detecta quando o carro está em teste para reduzir o nível de apenas poluentes naquele momento. Em circulação normal, no entanto, os automóveis emitem bem mais gases nocivos do que o permitido pela legislação.

Sem entrar em detalhes, a Volkswagen aponta que os carros foram vendidos em vários países do mundo. Mas o escândalo começou na semana passada quando a agência de proteção ambiental dos Estados Unidos, a EPA, constatou a presença do dispositivo em quase 500 mil veículos de várias marcas da companhia, incluindo modelos como os Volkswagen Jetta e Golf e o Audi A3. O órgão apontou que o nível de emissões de óxido de nitrogênio destes carros chegava a ser 40 vezes maior do que o autorizado (leia aqui).

Depois de ser acusada nos Estados Unidos e de admitir a infração, a companhia passou a ser alvo de investigação na Europa também. Martin Winterkorn, CEO do grupo, desculpou-se publicamente e declarou que a empresa vai colaborar com a apuração do caso, sem no entanto reconhecer ou negar a fraude. A chefe de estado na Alemanha, Angela Merkel, é pressionada para colocar esforços no esclarecimento do problema. “Espero que os fatos sejam colocados na mesa o mais rápido possível”, declarou ela em coletiva de imprensa em Berlim.

O ministro dos Transportes da Alemanha, Alexander Dobrindt, organizou comissão investigativa para trabalhar no caso. Ainda nesta semana o grupo pretende fazer uma visita à matriz da Volkswagen na cidade alemã de Wolfsburg.

CREDIBILIDADE ABALADA

Apesar de a Volkswagen ter reservado € 6,5 bilhões para arcar com os custos que a fraude pode gerar entre multas e processos, ainda não é possível calcular com precisão o impacto do problema. A própria companhia já admitiu que este montante pode ser revisto, com consequente mudança na expectativa de lucro em 2015 e anos à frente. Apenas nos Estados Unidos, onde 482 mil automóveis com o problema podem ter sido vendidos, as multas podem chegar a US$ 37,5 mil por unidade, o que resultaria num total de US$ 18 bilhões a pagar.

O escândalo tem potencial para abalar seriamente os resultados e o tamanho da companhia. Mais ágil, o mercado de capitais já reagiu bem mal à notícia. Na manhã da terça-feira, 22, as ações do Grupo VW sofreram queda de cerca de 20% na bolsa de valores alemã, com perda de quase € 13 bilhões de valor de mercado.

A venda de carros que burlam o controle de emissões traz forte dano à imagem da fabricante de veículos. Há receio ainda de que a infração não afete apenas as marcas do Grupo, mas os produtos alemães de forma geral.

A fraude da Volkswagen também ecoa em outros mercados. França, Coreia do Sul e Itália já anunciaram que pretendem apurar se os carros vendidos pela empresa nestas regiões respeitam os limites de emissões. Há ainda um movimento, principalmente na Europa, para estender as investigações a outras montadoras e marcas de carros para checar se a legislação é respeitada.

WINTERKORN PODE SAIR

A Volkswagen nega, mas a imprensa alemã aponta que o CEO Martin Winterkorn pode deixar o cargo nos próximos dias. Ele foi responsável pela área de pesquisa e desenvolvimento (P&D) global do grupo entre 2007 e 2015, justamente no período em que foram vendidos carros com sistemas de emissão que desrespeitavam a legislação dos Estados Unidos.

Os jornais da região enfatizam que o caso respinga no executivo de qualquer forma: ou ele sabia, ou aconteceu durante sua gestão sem que tomasse conhecimento, o que coloca a sua liderança em questão.



Tags: Volkswagen, emissões, fraude, motores.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência