NOTÍCIAS
01/10/2015 | 21h00

Lançamentos

Kia cobra alto pelo conforto da Grand Carnival

Terceira geração da van familiar chega ao Brasil por R$ 244,9 mil


PEDRO KUTNEY, AB | De Itu (SP)

Conforto, tamanho, luxo, motorização... Tudo é grande na Kia Grand Carnival, inclusive o preço: a terceira geração da van familiar chega às concessionárias brasileiras da marca coreana por R$ 244,9 mil. Ainda assim, ainda é mais barata do que seu único concorrente reconhecido pela Kia no Brasil, a Chrysler Town&Country Limited importada do Canadá, com tabela de R$ 249,9 mil.

A nova Carnival foi apresentada ao público brasileiro pela primeira vez no Salão do Automóvel de São Paulo em outubro de 2014, mas só agora foi colocada à venda aqui. Durante esse período foi sendo vendido o estoque da segunda geração do modelo, por preços em torno de R$ 180 mil. Por isso as vendas até agora estavam acima da principal concorrente: de janeiro a setembro foram vendidas 93 Carnival, contra 83 Town&Country. Segundo a Kia, devem existir ainda 30 unidades antigas em estoque e daqui para frente a concorrência fica mais igual em preço. Com esse valor, a expectativa é de vender não mais do que 180 Carnival por ano, praticamente a metade do volume de 2014, quando foram emplacadas 362 unidades da van, mas ainda assim bem à frente do rival da Chrysler.

“Nosso produto estava desatualizado. A terceira geração da Carnival evoluiu muito e por isso é mais cara. O encarecimento do dólar também não permite fazer preço menor”, diz José Luiz Gandini, presidente da Kia Motors do Brasil. Segundo ele, com a cotação acima dos R$ 4 o preço pode até subir no ano que vem, pois os carros que estão sendo vendidos agora foram encomendados e pagos com o dólar em torno de R$ 3,20. “Essa diferença só vai chegar no mercado em janeiro de 2016”, afirma.

BANHO DE LOJA

A Kia de fato deu um banho de loja em sua van familiar, também bastante adequada para fretamento executivo de luxo. Com redesenho completo por fora e por dentro, a Grand Carnival subiu de nível. Por isso a Kia quer mudar a categoria do modelo, de minivan para CUV, sigla de Crossover Utility Vehicle, que designa veículos mais altos e espaçosos que misturam vários estilos. É verdade que o design externo ganhou em estilo e na cabine o cockpit mais se assemelha ao de um sedã premium – aliás tudo no modelo é bastante premium. Mas chamar a Carnival de crossover parece descabido para um veículo com portas traseiras laterais corrediças – mesmo que elas tenham acionamento elétrico – e comprimento de 5,1 metros. Por isso também não cabe chamar de minivan, pois o tamanho não é nada míni. Van familiar continua sendo mais adequado.



A nova proposta da Grand Carnival, que deu um salto tecnológico em relação à antecessora, continua a atender às necessidades de famílias numerosas e empresas prestadoras de serviços de transporte executivo, mas com mais luxo. A van acomoda até oito pessoas, dois nos bancos dianteiros e seis atrás em duas fileiras de três assentos. Mas pode-se rebater o encosto central da fileira do meio para se viajar com conforto de xeique árabe, também garantido nos assentos de trás se ninguém for sentado no meio. Dá para levar muita bagagem no porta-malas de 960 litros, volume que sobe para 2,22 mil litros com a terceira fileira rebatida e para 4 mil litros se todos os bancos traseiros forem dobrados.

A terceira geração da Grand Carnival traz sob o capô o valente motor V6 de 3.3 litros, com potência de 270 cv a 6.400 rpm, acoplado à transmissão é automática de seis velocidades, com opção de troca sequencial. É mais que suficiente para levar com acelerações vigorosas os ocupantes e as 2,77 toneladas de peso da van. É o mesmo powertrain do SUV Sorento, cuja terceira geração também está sendo lançada no Brasil junto com a Carnival (leia aqui).

O novo design, que deixou o modelo 2 centímetros mais baixo, com 1,74 m de altura, reduziu o arrasto aerodinâmico. Também ficou mais bonito com detalhes como o desenho da grade dianteira integrada aos faróis com luzes de LED. O projeto da traseira conta com lanternas de LED, para-choque integrado e spoiler de teto. A distância entre eixos aumentada em 4 centímetros, para 3,06 m, faz a Grand Carnival parecer ainda mais longa, apesar de ter encurtado imperceptíveis 2 centímetros em relação ao modelo anterior. As laterais foram embelezadas com rodas de liga leve de 18 polegadas.



Foi feito bom projeto de acabamento interno, com uso de materiais nobres com revestimentos em couro e cromados. O enorme painel e a ampla visão da posição de dirigir transmite sensação de mais segurança, ao mesmo tempo em que a Grand Carnival roda suave, garantindo grande conforto. O veículo traz assentos flexíveis para os oito ocupantes e uma infinidade de opções de porta-objetos, inclusive no console central dianteiro.

A Grand Carnival foi construída sobre um chassis totalmente novo, que ganhou maior rigidez torcional com o uso de aços de alta resistência, o que resulta em durabilidade e proteção aos ocupantes, garantindo a integridade da cabine em caso de colisão, quando estão à disposição seis airbags. O pacote de segurança ativa também é bastante generoso: todos os modelos vêm de fábrica com Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC), Sistema de Controle de Tração (TCS), Brake Assist System (BAS ), Hill-Start Assist Control (HAC), Electronic Brake Force Distribution (EBD) e Antilock Braking System (ABS), equipamentos-padrão para melhor controle dinâmico e segurança dos ocupantes.

Além das portas traseiras elétricas, que também podem ser acionadas da posição do motorista, a tampa do porta-malas também tem acionamento elétrico e pode ser programada para abrir automaticamente quando alguém se aproxima com a chave no bolso – muito útil para situações em que se está com as mãos ocupadas, como na saída do supermercado carregando as compras, por exemplo.

Comentários: 0
 

Comente essa notícia

Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de questões técnicas ou comerciais. Os comentários serão publicados após análise. É obrigatório informar nome e e-mail (que não será divulgado ao público leitor). Não são aceitos textos que contenham ofensas, palavras chulas ou digitados inteiramente em letras maiúsculas. Também serão bloqueados currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.
Seu nome*: Seu e-mail*:


QUEM É QUEM NO SETOR AUTOMOTIVO

Encontre empresas e profissionais do setor.
Confira seus perfis e biografias.

Encontre empresas e profissionais do setor.

Encontre empresas e profissionais de comunicação.

Confira seus perfis e biografias.

COLUNISTAS

ALTA RODA | 13/12/2017
Requisitos de segurança têm de se adequar à realidade local de mercado

Esta coluna é apoiada por:

Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement Advertisement
Indústria | 01/08/2016
Declaração do presidente da FCA evidencia crise no setor de autopeças
Pressão de montadoras adia controle de estabilidade obrigatório
Tecnologia | 13/03/2015
Setor enfrentará grandes mudanças nos próximos anos
INOVAÇÃO | 25/10/2017
Indústria precisa questionar qual será o seu papel no futuro
DISTRIBUIÇÃO | 03/08/2017
Marca percorreu caminho árduo e conseguiu destronar a Toyota da 1ª posição
Tecnologia | 23/07/2015
Novas ferramentas de desenvolvimento encurtam caminho para a competitividade
MERCADO | 16/01/2015
Utilização do potencial só deve melhorar a partir de 2016
DE CARRO POR AÍ | 15/12/2017
Governo oferece incentivo para instalação de fábrica em Itumbiara
QUALIDADE | 01/12/2017
Envolver e motivar colaboradores é essencial para gerar bons resultados
COMPETITIVIDADE | 08/04/2014
Interrupção do crescimento desafia fabricantes
Novas palavras, expressões e siglas podem levantar dúvidas sobre o futuro
QUALIDADE | 03/07/2017
Rota 2030 terá missão de levar a indústria automotiva nacional até o futuro
AUTOINFORME | 15/12/2017
Coreia constrói ambiente urbano planejado e inteligente
QUALIDADE | 23/11/2016
Empresas do setor automotivo precisam atualizar sistema de qualidade até 2018