Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Porsche pretende fazer do Brasil seu maior mercado na América Latina
Para Matthias Brück, ainda há oportunidades no Brasil

Negócios | 12/11/2015 | 14h33

Porsche pretende fazer do Brasil seu maior mercado na América Latina

Com subsidiária local, objetivo é superar os mil carros por ano

GIOVANNA RIATO, AB

A Porsche decidiu fortalecer a presença no mercado brasileiro com subsidiária local. A operação é uma joint venture entre a empresa, que detém 75% do controle do negócio, e a Stuttgart Sportcar, até então importadora exclusiva dos carros da marca. Com a unidade, a companhia pretende fazer com que o Brasil volte a ser seu principal mercado na América Latina, posição perdida recentemente para o México.

“Em 2013 tivemos recorde de vendas nacionais com 1.039 carros, mas os volumes diminuíram desde então”, conta Heinz Moreira, diretor de vendas da operação local. A meta está distante para este ano. De janeiro a outubro a companhia negociou 597 carros no País, uma unidade a mais do que no mesmo período de 2014.

O executivo prefere não projetar quando isso irá acontecer, mas confirma a expectativa de que 2016 traga boas oportunidades para a Porsche. “O mercado brasileiro tem potencial. Já devemos crescer a partir do ano que vem”, determina. Um dos pilares para o avanço da companhia no Brasil é a ampliação do portfólio de produtos. Com o recente anúncio de redução do Imposto de Importação para carros eletrificados (leia aqui), a empresa confirma a intenção de vender localmente a versão híbrida do Cayenne. “A chance é grande”, diz o executivo.

PRESENÇA LOCAL

Os estudos para a implementação da subsidiária da Porsche no Brasil começaram há cerca de três anos, quando o cenário do mercado nacional de veículos era bem mais promissor. A decisão foi tomada no fim de 2014 e, em agosto deste ano, a operação local da empresa fez a importação do primeiro veículo: um 911 GT 3. “O momento econômico e político é difícil, mas ainda há oportunidades. Todos acreditam no potencial do País no médio prazo”, enfatiza o diretor executivo Matthias Brück.

A subsidiária é a primeira da companhia na América Latina e a 18ª da Porsche no mundo. Até o fim do ano a unidade terá 26 funcionários, número que saltará para 30 pessoas em 2016. Segundo Brück, além do mercado importante, o Brasil tem como atrativo os clientes fiéis e apaixonados pela marca. O executivo destaca que outro fator positivo foi a presença robusta que a empresa já tinha localmente por causa do trabalho feito pela Stuttgart Sportcar.

O Brasil também apoia a estratégia global de crescimento da Porsche, servindo como a base da marca na América Latina. Nos últimos cinco anos a empresa duplicou suas vendas anuais no mundo. Só entre janeiro e outubro de 2015 a companhia entregou 191,7 mil veículos, cerca de um quarto deste volume foi para o mercado chinês. Estados Unidos e Alemanha aparecem em seguida na lista dos países com maior demanda por modelos da marca.

Ao se estabelecer no Brasil, a Porsche pretende fortalecer o interesse pela marca e se aproximar ainda mais dos clientes, do mercado e de sua rede de concessionárias. Hoje são sete casas espalhadas pelo Brasil: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Ribeirão Preto (SP), São José do Rio Preto (SP) e Brasília (DF). Há intenção clara de aumentar a cobertura do território nacional, apesar de a empresa não confirmar para quais regiões pretende crescer. “Estamos estudando e devemos definir em 2016”, afirma Moreira.



Tags: Porsche, Brasil, Stuttgart Sportcar, Matthias Brück.

Comentários

  • RONNY REICHMANN

    Gostaria se possível um contato com Sr. Matthias Bruck, pois fomos os primeiros a abrir o mercado de importação 1990 BMW, Ferrari e Hyundai. Quem sabe posso colaborar pois montei 22 Dealer nas grandes capitais. Atenciosamente

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência